Blast from the Past

Relembre como era balançar por entre prédios no clássico Spider-Man (PS)

Em um universo tão grande como o da empresa Marvel, temos uma infinidade de grandes e marcantes heróis. Isso, entretanto, não impede algun... (por João Pedro Meireles em 09/10/2013, via PlayStation Blast)

Em um universo tão grande como o da empresa Marvel, temos uma infinidade de grandes e marcantes heróis. Isso, entretanto, não impede alguns de terem um maior destaque, tanto na editora em si quanto em sua popularidade. O Homem-Aranha é um dos mais famosos e amados personagens do renomado estúdio de quadrinhos e, portanto, não é de se estranhar que seja um dos heróis com mais adaptações para videogames até hoje. Spider-Man (PS) foi um dos grandes jogos que esse conhecido personagem teve o prazer de estrelar e até hoje arranca lembranças dos fãs do “herói da vizinhança” que se aventuraram em seus PlayStations.

Uma obra à frente do seu tempo

Lançado em 2000, Spider-Man é uma obra prima do Playstation, simples assim. Pela primeira vez em um jogo do cabeça de teia era possível se locomover em um mundo (quase) aberto e balançar entre prédios exatamente como nosso herói favorito. Mas não era só a isso que o jogo se limitava. Perseguições, combates, quebra-cabeças, entre diversos outros desafios estavam presentes no jogo, que o tornava extremamente divertido e variado, algo raro na época.

O design de fases e de personagens era outra coisa que se destacava (levando em conta as capacidades do nosso querido PS). Com uma boa variedade de fases e inimigos (na medida do possível), avançar nas fases era uma experiência empolgante e que se renovava a cada vitória conquistada.

Um HQ em suas mãos

Capa de um dos capítulos
Embora a história não seja uma das melhores, mas também não chegando a ser ruim, Spider-Man transporta o jogador direto para um quadrinho, como se todas aquelas aventuras que lemos no passado, e em especial aquelas que vimos na televisão (sim, estou falando da fantástica série animada), estivesse na nossa frente e em nossas mãos. Como isso era possível? Um dos motivos era a grande variedade de personagens, desde o universo do Homem-Aranha como os vilões Venom, Carnage e Dr. Octopus, até algumas aparições especiais como Capitão América e Tocha Humana. Embora muitos desses personagens não tenham tido o destaque que mereciam, o simples fato de vê-los em sua TV já causava euforia para os fãs da Marvel.

Mas não é pelo simples fato de aparecerem que esses heróis e vilões são destaque no jogo. Mesmo alguns não tendo a profundidade que mereciam na história, todos possuíam uma grande fidelidade com os quadrinhos e em especial tinham ótimas dublagens. Mas afinal, o que esperar da dublagem de um jogo que tem sua introdução narrada por ninguém menos que Stan Lee em pessoa? As falas, além de serem perfeitamente reproduzidas pelos dubladores, eram coerentes e pareciam ter sido tiradas de um HQ, desde as frases insanas de Venom até as inúmeras piadas do Homem-Aranha, tudo no jogo tinha como objetivo nos envolver como um uma história em quadrinhos.

Além dos excelentes efeitos sonoros, as músicas de Spider-Man também merecem um destaque. Em especial a música tema do jogo, uma adaptação da música original da série animada do cabeça de teia:

Teia para todo lado

A jogabilidade do game em geral era um jogo de aventura em mundo (quase) aberto, em que o jogador deveria progredir e derrotar os inimigos que encontrava pelo caminho. Para tal, o jogador tinha a sua disposição um sistema de combate simples, porém variado, em que era possível variar golpes a curta distância com a famosa teia lançada pelos web shooters do nosso querido herói.


Embora o game fosse divertido no geral, o destaque ficava por conta de algumas fases especiais e batalhas contra chefes. Dificilmente o jogador se verá em uma luta “normal” contra um vilão da série, visto que quase sempre será necessário lutar com inteligência e usar o cenário e as fraquezas dos inimigos para derrotá-los. E o que falar das fases especiais?  Quem que jogou esse clássico e não lembra da incrível perseguição policial pelos telhados de Nova Iorque?


Um clássico para qualquer fã do aranha

Spider-Man é um dos melhores e mais marcantes jogos do PlayStation e certamente o melhor jogo de super-heróis que deu as caras no console do Sony. Se você é fã do cabeça de teia, e mesmo que não seja, vale a pena dar uma revistada nesse jogo que marcou a infância de vários jogadores. ”Spider-Man, Spider-Man, does whatever a spider can!”

Revisão: Alex Sandro
Capa: Diego Migueis
João Pedro Meireles é graduando em Engenharia de Computação na UFRGS. Viciado em jogos, em especial Mobas e RTS, passou boa parte da vida jogando-os e pesquisando sobre aqueles que não teve tempo de jogar, o que o levou a virar redator do PlayStation Blast.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook