Top 10

Grandes pérolas de gerações passadas da Sony que hoje custam o preço de um sanduíche

Com quase vinte anos de sucesso, os consoles da linha PlayStation estão chegando em sua quarta versão. Ainda que a Sony tenha vivido s... (por Alex Campos em 13/11/2013, via PlayStation Blast)


Com quase vinte anos de sucesso, os consoles da linha PlayStation estão chegando em sua quarta versão. Ainda que a Sony tenha vivido seus altos e baixos, é inegável que os videogames da empresa sempre se destacaram com um alto volume de títulos de qualidade, pérolas que marcaram jogadores de várias gerações, muitas hoje disponíveis na PSN, a loja online da empresa. Para celebrar a chegada desta nova geração, eis então uma pequena lista de alguns dos títulos que marcaram gerações e sobreviveram ao teste do tempo, verdadeiros clássicos.

Final Fantasy (VII, VIII, IX)

Considerados por muitos como a melhor série de RPGs de todos os tempos, seria fácil ocupar três posições da lista com essa franquia. Final Fantasy sempre se destacou por seus enredos ambiciosos, batalhas inteligentes e pela trilha sonora fenomenal. Dentro da série, pode-se dizer que a Square (atual Square-Enix) viveu um período de ouro durante a época do primeiro PlayStation, produzindo três clássicos absolutos em sequência. Nas mãos de Cloud, Squal e Zidane, o jogador ficara encarregado de salvar alguns dos mundos mais encantadores já apresentados nos jogos.

Xenogears

Produzido pelos atuais desenvolvedores de Xenoblade, Xenogears foi um marco de qualidade em seu lançamento. Com um dos enredos mais densos, intrigantes e inteligentes já vistos em um jogo, o game trazia uma envolvente mistura de temas existencialistas, filosóficos, políticos e psicológicos com um ótimo sistema de combate e robôs gigantes. Precisa dizer mais? Infelizmente, o título, que era pra ser apenas um episódio dentro de uma série, acabou tendo problemas em seu desenvolvimento, levando ao desligamento da equipe desenvolvedora com a Square, e o enredo original acabou trancado dentro da empresa, fazendo dos títulos posteriores da série Xeno apenas sucessores espirituais para esta grande obra.

Tomba!

Quem acompanhou o lançamento do primeiro PlayStation lembra dos belíssimos CDs de jogos demonstrativos que acompanhavam o console. Dentre estes jogos, um dos que mais se destacava era facilmente Tomba!, um divertidíssimo side-scroller platformer. Neste jogo você estaria no controle de um simpático protagonista, de shorts verde e cabelos rosa, Tomba, com quem você deveria vasculhar o mundo em busca de seu bracelete para deter os sete suínos do mal que invadiram o mundo. O jogo recebeu uma continuação: Tomba 2! The Evil Swine Return, mas esta, por enquanto, só está disponível nas PSNs europeia e japonesa.

Resident Evil 2

Se o primeiro Resident Evil foi uma revolução no gênero de survival horror, em Resident Evil 2 o pesadelo ganhou dimensões ainda maiores. Neste segundo episódio, considerado por muitos como o melhor da série, você deve guiar Leon, um jovem policial em seu primeiro dia na cidade, e Claire, uma garota em busca do paradeiro de seu irmão, por uma cidade infestada de zumbis e criaturas nefastas. O game foi uma verdadeira evolução sobre seu predecessor, apresentando uma história mais intrigante, novas armas, enigmas e uma enorme cidade a ser explorada. O sucesso do título foi tanto que ele é considerado até os dias de hoje um dos melhores jogos do gênero.

Chrono Cross

Após anos de espera para os fãs de Chrono Trigger (Super Nintendo), foi durante a era de ouro do primeiro PlayStation que a Square apresentou sua continuação, Chrono Cross, ambientado em uma pequena ilha, alguns anos após o primeiro título. Nele você deve guiar Serge em sua jornada para deter Lavos, o Time Devourer. Envolvendo viagens no tempo e múltiplas linhas temporais, Chrono Cross se destaca por sua variedade de finais, sua envolvente história e pela fenomenal trilha sonora, que figura facilmente entre uma das melhores OSTs já compostas. Ta demorando pra sair o terceiro episódio hein?


Castlevania: Symphony of the Night

Desde sua primeira versão para o primeiro NES, a série Castlevania sempre foi considerada um dos grandes nomes da indústria. Nesta, tradicionalmente, o jogador fica encarregado de controlar algum descendente do clã Belmont, uma família de caçadores de vampiros, para impedir a volta de Dracula, um evento que se repete ao longo dos anos. Nesta edição, no entanto, os desenvolvedores optaram por secundarizar os Belmont na trama, dando ao jogador o controle de Alucard, primogênito de Dracula com uma humana, que além de hábil guerreiro possui os poderes de magia negra de seu pai, mas que busca vingança pelo que este fez à sua mãe.

Além de ter uma das melhores jogabilidades já vistas em um título de plataforma, muita ação e um enorme castelo, o jogo se destaca ainda mais pela enorme quantidade de mistérios e segredos presentes. Sem brincadeira, completar 100% do jogo significa ver menos da metade do que ele tem a oferecer, e até hoje muitos se perguntam se não existe ainda mais coisa a ser descoberta.

Shadow of the Colossus

Lançado na época do saudoso PlayStation 2, Shadow of the Colossus é um daqueles jogos que fez a cabeça de muita gente e serviu como inspiração para diversos títulos mais modernos, como Dragons Dogma e Ougon no Kizuna. Neste épico, você estará controlando Wander, um jovem em uma jornada para reaver a vida de sua amada. Contudo, para realizar esse milagre, Wander deve derrotar os dezesseis colossos que habitam aquela terra. O destaque do título fica por conta de cada uma das batalhas contra os gigantes, nas quais o jogador deve, literalmente, escalar cada uma das feras para conseguir derrubá-las e subjulgá-las.

Metal Gear Solid

Ainda que Ocarina of Time tenha sido o jogo do século, para muitos Metal Gear Solid ainda foi o jogo do ano em 1998. Nesta obra, você estará no controle de Solid Snake, um espião encarregado de se infiltrar em uma base militar para evitar o lançamento do Metal Gear, um robô bípede capaz de lançar silos nucleares em qualquer ponto do mundo. Priorizando a abordagem inteligente em oposição ao combate aberto e com um enredo fenomenal (escrito por Hideo Kojima), MGS é um daqueles títulos que contam com uma história superior a muito filme de espionagem, já tendo ganho diversas excelentes continuações ao longo dos anos.


Megaman Legends 2

Considerada uma das séries mais mal exploradas pela Capcom, Megaman Legends mostra um mundo diferente da tradicional série Megaman. Neste, Rock Volnut (o Megaman deste título) é um Digger, uma espécie de robô arqueólogo que adentra ruínas buscando por recursos. Sendo o primeiro título do Megaman em um ambiente completamente tridimensional, o jogo apresenta uma diferente proposta de jogabilidade, na qual o jogador usa sistemas de mira para poder atacar seus inimigos ao mesmo tempo em que se locomove no ambiente, evitando seus ataques. O título é especialmente lembrado por seus carismáticos personagens, desde os Servbots até a caricata Tron Bonne.

Uma continuação para o jogo havia sido anunciada para o 3DS, mas foi cancelada pela empresa sem muitas explicações. Para os fãs da série, resta rezar para que a companhia volte com a produção do terceiro título.

Crash Bandicoot

Originalmente criado para ser o mascote da Sony no mundo dos videogames, na tentativa de desbancar o encanador bigodudo da Nintendo, Crash Bandicoot fez um enorme sucesso na época de seu lançamento. O título, desenvolvido pela Naughty Dog (responsável também por games como Uncharted e The Last of Us), apresentava um alegre marsupial geneticamente modificado enfrentando outras aberrações do doutor Neo Cortex, para salvar sua namorada Tawna.

Crash é um daqueles títulos de plataforma 3D em que o jogador se diverte facilmente, devendo encontrar seu caminho em meio a selva enquanto supera obstáculos e escapa de inúmeros perigos. O título ganhou diversas continuações e spin-offs. Atualmente, o mascote foi descartado pela Sony, mas seus títulos permanecem como grandes clássicos.

Sempre faltará mais um

Sentiu falta de algum jogo nessa lista? Nós também, vários. O fato é que com cada nova geração surgem diversos novos clássicos, cada um com seu valor, que certamente mereceriam um lugar neste tipo de lista, então, para que nenhum grande jogo passe esquecido, aproveite o espaço abaixo para lembrar daquele título que marcou sua infância e que mesmo hoje pode ser considerado um jogo espetacular. Contamos com vocês!

Revisão: Alberto Canen
Capa: Daniel Machado
Alex Campos é graduando em Produção Sonora pela UFPR. Trabalha como músico freelancer e participa ativamente no cenário de jogos indie nacionais. Estuda por diversão sobre a indústria de games e está no Facebook.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook