Hands-on

O que Assassin’s Creed IV: Black Flag tem de especial no PlayStation 4

O estande de Assassin’s Creed IV na BGS estava lindo, com um barco, atores de cosplay super bem feito e alguns produtores por aqui e ali ... (por Lílian Moreira em 04/11/2013, via PlayStation Blast)


O estande de Assassin’s Creed IV na BGS estava lindo, com um barco, atores de cosplay super bem feito e alguns produtores por aqui e ali conversando com os visitantes e a imprensa. No fundo, um “pequeno” detalhe: uma tela gigante, formada por outras nove menores, ligada a um PlayStation 4 rodando Assassin’s Creed IV: Black Flag. Não é todo dia que temos a oportunidade de jogar assim.



A empolgação não é maior que o senso crítico, a franquia tem a difícil tarefa de superar sempre as expectativas dos fãs. Por um lado estão lidando com um produto que muitas pessoas são apaixonadas e querem sempre mais e cada vez melhor. Além dos aficionados tem o time dos que acham que apesar de serem bons jogos não daria pra confiar em quem produz um jogo tão pouco tempo depois do anterior. A experiência na Brasil Game Show já deu pra sentir bastante o clima do jogo: a essência se mantém, mas este talvez seja o que mais traz novidades.

O pirata passa boa parte do tempo no barco


Como era de se esperar de um pirata que se preze, sua vida é no mar. Edward Kenway controla a embarcação e lida com inimigos e intempérie, sendo que a jogabilidade muda completamente se uma tempestade começar a agitar as águas. Além disso é preciso observar a movimentação do mar, pois se uma onda se levanta bem na hora do ataque pode ser que a munição caia na água, sem causar dano nenhum ao inimigo.

Novo desafio: controlar o barco

É possível ancorar o barco em qualquer lugar e sair nadando para outras localidades ou mergulhar em busca de tesouros. Uma das novidades é que o barco tem três tipos de ataque. O primeiro é padrão, para atingir outras embarcações, o segundo é mais forte e serve principalmente para atacar fortes na terra e o terceiro consiste em jogar barris com explosivos da parte de trás (ou popa, para irmos nos acostumando ao linguajar dos mares) da embarcação.

Palavra de produtor


Além de jogar foi possível ouvir a diretora de produção Ambre Lizurey contar um pouco sobre Assassin’s Creed IV: Black Flag diretamente para nós. O que muitos queriam saber é a diferença entre o jogo no PlayStation 3 e no PlayStation 4. E a resposta é que a principal mudança está relacionada aos gráficos. No PlayStation 4 a água é muito mais bem trabalhada, com um efeito translúcido. Nas florestas a diferença é bem visível, especialmente quando nos escondemos entre as folhas, que foram animadas individualmente.

Diretora de produção, Ambre Lizurey, fala sobre o jogo na BGS

O mundo aberto deste título promete ser o mais imersivo e abrangente. Para completar a missão principal se gasta cerca de quinze horas, enquanto as possibilidades de missões paralelas e ítens colecionaveis ampliam a experiência para cerca de cinquenta horas.

O protagonista de Assassin’s Creed IV é o pirata Edward, avô de Connor, de Assassin’s Creed III, logo, a história se desenvolve anos antes dos acontecimentos do terceiro jogo. No que se refere aos tempos modernos a história de Assassin’s Creed IV se passa depois de seu predecessor. Desmond não está lá e controlamos um funcionário da Abstergo Entertainment. Quem entra na Animus agora não é um personagem, é o próprio jogador.

Capa: Doug Fernandes
Revisão: José Carlos Alves
Lílian Moreira é graduada em Letras e mestranda em Comunicação. É redatora do PlayStation Blast e TechTudo. Quando não está escrevendo nem jogando passa seu tempo lendo, traduzindo e tocando. Às vezes aparece no Twitter ou Google+.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook