Troféus e prêmios para os grandes jogos e momentos do ano: venha conferir o PlayStation Blast Awards 2013

Semana passada, conferimos os  10 melhores jogos de 2013 para PlayStation , colocando todos os lançamentos na mesma balança. Agora, é hora... (por Rafael Neves em 03/01/2014, via PlayStation Blast)

Semana passada, conferimos os 10 melhores jogos de 2013 para PlayStation, colocando todos os lançamentos na mesma balança. Agora, é hora de nos aprofundarmos em categorias especiais, descobrindo quais jogos mais se destacaram em quais gêneros e quais momentos mais nos impressionaram em 2013. Sim, 2014 já está aí, mas ainda é tempo de fazer mais uma retrospectiva no ano que passou, afinal, foi um ano de peso para qualquer um que tem uma plataforma da Sony. Sem mais delongas, aqui começa o PlayStation Blast Awards!


Aviso: Pela dificuldade em se adquirir um PS4 e testar seus jogos a tempo de fechar essa matéria, não pudemos incluí-lo no Blast Awards de 2013, da mesma forma que não pudemos colocar o Wii U nas premiações da edição de 2012. Ainda assim, você confere uma premiação especial para o PS4.

Melhor jogo de ação: GTA V (PS3)

Muitas pérolas deram o que falar em questão de ação. God of War: Ascension e Hotline Miami vieram com suas violências exageradas e DmC: Devil May Cry nos transportou para seu universo de demônios, mas foi GTA o grande “tchan” desse ano. E não podia deixar de ser, afinal, trata-se de um ícone dos games de ação. Com três personagens jogáveis em um mundo gigantesco, não faltaram tiroteios, perseguições policiais, roubos e toda a sorte de crimes para tocar o terror em Los Santos.

Melhor jogo de plataforma: Puppeteer (PS3)

2013 foi mais um ano que provou que o gênero de plataforma continua firme e forte, ainda mais quando se trata da tradicional progressão lateral. Rayman Legends seria um favorito para ganhar o prêmio, mas trata-se de uma adaptação com algumas limitações da versão de Wii U. Já Puppeteer é um exclusivo de PS3 que aproveita todas as capacidades da máquina da Sony para oferecer um jogo de plataforma genial. Charmoso, desafiante, cativante e inovador, é difícil não se viciar com esse conto de fadas jogável.

Melhor RPG: Ni no Kuni — The Wrath of the White Witch (PS3)

MMORPGs podem até ser chamados de “o futuro dos RPGs”, mas, mesmo com Final Fantasy XIV: A Realm Reborn e Diablo III chegando para conectar os donos de um PS3, foi Ni no Kuni o grande RPG desse ano. A aventura aparentemente infantil fez até o mais marmanjo dos jogadores derramar uma lágrima e entrar de cabeça no universo mágico do título. Ainda que o Vita tenha dado o que falar com Soul Sacrifice e Ys: Memories of Celta, é a jornada de Oliver e seus amigos que leva o prêmio esse ano.

Melhor jogo de luta: Injustice — Gods Among Us (PS3)

Os criadores de Mortal Kombat deram o sangue para unir de maneira magistral os heróis da DC Comics em um jogo de luta com um visual obscuro. O resultado do crossover dá um cruzado de direita em Tekken Revolution e nocauteia Naruto Shippuden: Ultimate Ninja Storm 3. Tudo bem que não é o melhor jogo de luta do PS3, e a ausência de alguns personagens e eventuais desbalanceamentos podem desqualificar um pouco o jogo, mas não dá para negar que o hype dos fãs foi atendido. Seja você um fascinado pela DC ou apenas um conhecedor do senso geral sobre super-heróis, Injustice é uma luta a ser travada.

Melhor multiplayer: Battlefield 4 (PS3/PS4)

A série Battlefield sempre prezou por tentar ao máximo colocar o jogador num realista campo de batalha moderno. Valorizando mais o trabalho de equipe do que a franquia irmã Call of Duty, a série da Dice conseguiu a proeza esse ano de simular uma guerra com 64 jogadores simultaneamente e ainda o incremento do auxílio via dispositivos móveis. É claro que nem todas as funcionalidades estão presentes na versão para PS3 e o custo de um multiplayer dessa magnitude foi um singleplayer pobre, mas a experiência em grupo de Battlefield 4 vale seu preço.

Melhor jogo de corrida: Gran Turismo 6

2013 não foi exatamente o ano para os jogos de corrida, mas Gran Turismo 6 fez seus competidores comerem poeira. Ok, também não é lá o melhor Gran Turismo que já jogamos e não inova tanto o gênero, mas quem curte uma corrida realista não encontrará uma opção melhor na família PlayStation. Drive Club está para dar a largada no PS4, mas, até lá, a variedade de carros e circuitos de Gran Turismo 6 vai nos manter presos ao volante.

Melhor jogo para download: Guacamelee (PS3/ PS Vita)

O que esperar de um game do gênero metroidvania com... um lutador mascarado de luta livre? Guacamelee é um daqueles títulos que nos mostra o quanto a venda de games para download pode ser uma chance única de encontrar pérolas de genialidade e criatividade. Os visuais bidimensionais são lindos, a música é contagiante, os personagens cativam, a exploração é viciante e as mecânicas de plataforma impressionam. 

Com um aproveitamento da interação entre PS3 e PS Vita, a experiência de Guacamelee pode ser jogada em qualquer lugar comprando o título apenas uma vez.

Melhor trilha sonora (original): Tearaway (PS Vita)

O novo jogo da Media Molecule usou do pedigree em criatividade de LittleBigPlanet para presentear o Vita com uma experiência que explora todas as funções do portátil... especialmente suas caixas de som. A música de Tearaway é simplesmente bela e combina perfeitamente com o lindo, interativo e criativo universo do título. Diversos instrumentos musicais exóticos misturam-se em ritmos cativantes e muito bem arranjados. É um jogo para se jogar com um bom fone de ouvido.

Melhor trilha sonora (licenciada): GTA V

O que é melhor em um jogo do que roubar um carro de luxo, atropelar pedestres indiscriminadamente e ser perseguido por horas pela polícia? Óbvio que é fazer isso com uma excelente música tocando no rádio do veículo. Com diversas estações e emissoras, GTA V traz uma gama de músicas muito boa, que satisfaz diversos gostos e mostra o quanto a Rockstar investiu nesse game. Reggae, eletrônica, funk, country, rock, hip hop, quase todos os estilos são remixados pelos DJs do jogo.

Melhor visual: The Last of Us (PS3)

A Naughty Dog é verdadeiramente o melhor estúdio para aproveitar as capacidades técnicas de um console. Após cada um dos games da trilogia Uncharted elevar a saltos largos o padrão gráfico do PS3, é incrível pensar em como a desenvolvedora conseguiu atingir um patamar ainda maior com The Last of Us. Um dos títulos do final da vida do PS3 conseguiu nos apresentar visuais dignos do PS4. E todo o esforço gráfico é empregado em cenários fabulosos de tantos mínimos detalhes, cutscenes impecáveis e personagens muito bem trabalhados. Um filme interativo, de fato.

Melhor história: Bioshock Infinite (PS3)

Viagens no tempo, cidades flutuante e submersa, poderes sobrenaturais, patriotismo exacerbado, fanatismo religioso, física quântica, tiroteios, revolução, amor paternal... Quantos jogos conseguiram unir temas tão diversos, polêmicos e complexos em uma trama só? A série Bioshock sempre prezou por enredos profundos, mas Infinite alcançou outro nível de qualidade com seu aspecto mais cinematográfico. A aventura por Columbia provavelmente pirou a cabeça de muita gente e nos tornou muito apegados a Elizabeth, Booker e todo o universo constituído ao seu redor... ou melhor, “os” universos.

Surpresa do ano: Lançamento da PS Plus no Brasil

Todos já sabíamos que logo, logo o PS4 teria de ser anunciado, então não foi nada surpreendente seu lançamento em 2013. O anúncio de Persona 5? Com certeza uma surpresa, mas não tão bem recebida quanto a chegada (muuuuito atrasada) do serviço PS Plus ao Brasil. Até então inexistente em nosso país, a PS Plus permite receber demonstrações betas exclusivas de jogos, ganhar ótimos games gratuitamente e outras comodidades para donos de plataformas PlayStation. Desde que se pague pelo serviço, é a vez dos brasileiros terem sua conta dourada.

Decepção do ano: Alien —Colonial Marines (PS3)

Poucos games em toda a história da indústria conseguiram ser mais decepcionantes do que Alien: Colonial Marines. Ok, existem muitos e muitos jogos péssimos na verdade, mas Colonial Marines foi o maior exemplo dessa geração. O que foi prometido e mostrado nos primeiros trailers do jogo era uma experiência survival horror futurista digna dos filmes Alien. No entanto, o que chegou às nossas mãos foi um game totalmente diferente. Por “diferente”, entenda: porcamente programado, feio de doer e sem apelo nenhum. Até processado por propaganda enganosa ele foi.

Fomos pegos de surpresa que nem esse pobre coitado

Melhor final: The Last of Us e Bioshock Infinite

O vencedor da melhor história não poderia ficar de mãos vazias quanto ao prêmio de melhor final. O encerramento de Bioshock Infinite é simplesmente incrível. Muitas dúvidas são sanadas e várias interpretações podem ser feitas, e isso sem falar no imenso sentimento de saudade. Já The Last of Us encerrou muito bem a saga de Joel e Ellie pelo mundo pós-apocalíptico. Alguns reclamaram das últimas cenas, mas nós temos que dizer que foi digno de todo o peso que o enredo do game tem.

Qual desses marmanjos acompanhou o melhor final de 2013?

Personagem do ano: Ellie (The Last of Us)

Muita gente cativou nossos corações em 2013, e boa parte delas eram representações virtuais. Elizabeth nos acompanhou fielmente nas aventuras por Columbia, Jodie Holmes roubou a cena em Beyond: Two Souls e Oliver nos fez viajar por um universo fantástico em Ni no Kuni. Mas Ellie traz mais um prêmio para The Last of Us, afinal, trata-se de uma jovem cativante e corajosa, que vai se desenvolvendo brilhantemente em um ambiente muito hostil. Ellie transporta para o jogo boa parte da sensação vivida pelo próprio jogador: trata-se de uma jovem curiosa pelo mundo no qual foi criada, que sabe de suas limitações físicas, mas esforça-se para fazer o máximo pela jornada que tem pela frente.

Fato do ano: PS4 arrasando no lançamento

1 milhão de unidades vendidas em apenas um dia e em apenas um país. Foi assim que o PlayStation 4 estreou, pondo medo na diferença de um ano do Wii U e superando logo no início o Xbox One. Mesmo com funcionalidades ainda não disponíveis, alguns aguardados jogos de lançamento se provando serem mornos e problemas de hardware nos primeiros lotes, o novo console da Sony estreou da melhor forma possível em 2013. Com uma fatia já garantida no mercado, só podemos esperar mais altos números de vendas e grandes títulos para 2014. Afinal, hoje são quase 2,5 milhões de PS4 vendidos.


Destaque de lançamento do PS4: Killzone —Shadowfall

Mesmo não sendo lá o melhor Killzone que já vimos, Shadowfall foi o grande título de lançamento do PS4. Afinal, é uma das maiores séries da Sony e que facilmente representam seus consoles. Colocar Killzone no lançamento do PS4 seria como ter o novo Zelda no início do Wii U ou lançar o Xbox One com um Halo. Como nenhum dos concorrentes fez algo do tipo, o PS4 marcou presença com uma franquia de peso para ajudar a nos recuperarmos do trauma que tivemos com as baixas avaliações de Knack.

Mico do ano: PS 4mil

A Sony teve de tirar o PlayStation Eye do pacote do PS4 para baratear em 100 dólares o seu novo console, colocá-lo por um preço mais acessível e “trollar” magistralmente a Microsoft na E3 desse ano. E essa estratégia com certeza ajudou o lançamento do PS4 a ganhar o prêmio de fato do ano. No entanto, aqui no Brasil, a situação foi outra. Por 3.999 reais, o novo console da família PlayStation foi motivo de chacota no mundo inteiro. Simplesmente inviável.

Mais esperados para 2014: Metal Gear Solid V e inFamous: Second Son

A genialidade da Rockstar mostrou o quinto capítulo da saga GTA em 2013, mas em 2014 o quinto filho da genial mente de Hideo Kojima promete ser o motivo certo para se adquirir um console da próxima geração. Mas seria este console o PS4 ou o Xbox One? Ou talvez seja até mais fácil curtir MGS V no PS3 mesmo. É aí que entra inFamous: Second Son para puxar a sardinha para o PS4. Com flamejantes poderes de fumaça e habilidades luminosas fantásticas, é difícil não querer viver a aventura do mais novo super-anti-herói do estúdio Sucker Punch. E isso porque só pudemos escolher dois jogos para representar o ano recheado que vem pela frente.



Revisão: Vitor Tibério
Capa: Douglas Fernandes

Rafael Neves é quadrinista e estudante de medicina da UFBA. Jogos fizeram parte dessa vida desde os seus primeiros anos, embalando muitos dos mais fortes laços de amizade e histórias de vida. E esse legado desembocam nas matérias que escreve aqui no Blast e em sua HQ, The Legend of Link.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook