Blast from the Past

Jackie Chan Stuntmaster (PS) garante saltos, chutes certeiros e boas risadas

A primeira aventura do lutador oriental em uma Nova Iorque 3D deixou um gostinho de "quero mais" para os saudosistas.

Em meio a tantas franquias de luta que se popularizaram na quinta e sexta gerações de consoles, como Street Fighter, Mortal Kombat e crossovers de séries de luta dos arcades, eis que um título do gênero beat'em up ganha destaque no PlayStation por mesclar artes marciais, combos com golpes engraçados e uma trilha sonora oriental atípica. Desenvolvido pela Radical Entertainment e publicado pela Midway Games, o clássico Jackie Chan Stuntmaster (PS) é o título que estrela o homônimo ator e lutador Jackie Chan, e também um prato cheio para os fãs do lutador de Kung Fu mais carismático dos cinemas.

Aventura em Chinatown

Durante os cinematics de entrada, Jackie aparece coletando caixas de dentro de um caminhão, em uma tarefa que se assemelha a de um auxiliar de transportadora. O avô de Jackie deixa claro que ele não pode atrasar a entrega de um pacote, pois isso pode atrapalhar os negócios. Atitudes suspeitas entre um dos carregadores do caminhão e um misterioso sujeito do outro lado do telefone logo resultam no sequestro do bom velhinho, que apareceu em apuros dentro de um carro e foi visto por seu neto de dentro de um restaurante chinês. Em uma cena de perseguição que, para a época em que o jogo foi feito, merece seu reconhecimento, Jackie percorre as ruas do bairro chinês atrás do carro que carrega seu avô, disposto a salvá-lo, até que dá de cara com um lugar com ruas em direções diferentes. Esse é o hub inicial, por onde adentramos o primeiro estágio do jogo, e é aqui que nossa aventura transoriental começa.

Run, Jackie, run!

Na ausência de superpoderes e de equipamentos sofisticados, Jackie Chan briga de igual para igual com os inimigos do jogo. Ao som de uma melodia que explora elementos musicais orientais mas que também não deixa morrer as rápidas batidas americanas, o destemido lutador parte ao resgate. Com uma câmera lateral e que se movimenta à medida que Jackie percorre o cenário, temos um gameplay bem dinâmico, realizando variados movimentos de Kung Fu que dependem dos botões pressionados e da sequência em que são apertados.

Jackie realiza golpes baseados em socos, pontapés e até empurrões, esses últimos sendo muito populares em estágios que contêm precipícios ou locais no qual podemos arremessar o inimigo. O jogador, muitas vezes, vê-se encurralado e precisa abusar de sua criatividade para escapar do xeque-mate com sucesso, optando por dar distância ao inimigo e atacar quando esse abrir a guarda.

Jackie interage com alguns objetos de cenário a fim de usá-los como armas, como é o caso de pegar varas, tacos, boias, vassouras e até um peixe "tamanho família” para punir aqueles que entram em seu caminho de justiça. Os pulos de Jackie são épicos durante as animações, mas não tão perfeitos quando tentamos alcançar um lugar de difícil acesso em que o pulo é nossa única escolha. Mesmo assim, é divertido dar saltos mortais enquanto Jackie está no topo dos toldos, tentando incessantemente alcançar algum colecionável ou uma vida extra.


Os inimigos de Jackie vão mudando conforme avançamos as fases. Podemos ouvir uma variedade de frases cômicas, pelas quais o lutador de Kung Fu expressa seu espanto ou zomba de seus inimigos enquanto derruba um após o outro. As caras e bocas, infelizmente, não são visualmente perceptíveis como acontece nos filmes, devido à limitação tecnológica da época. Porém, há sempre um som de fundo ou trecho de música indicando quando Jackie faz alguma de suas estripulias ou escapa de uma situação de perigo, causando um alívio até no jogador.

Um lutador para todos os ambientes

Jackie inicia sua busca no bairro de Chinatown, encurralado pelos capangas do intrigante mafioso chinês. Iniciando sua sequência de combos, Jackie salta apoiado em paredes, escala grades metálicas e parte para telhados de prédios, interiores de restaurantes, varandas de estabelecimentos comerciais, garagens e muito outros lugares. Isso apenas no primeiro estágio do jogo, enfatizando a diversidade de ambientes em que o lutador se aventura. Cada ambiente é ligado por portas, e estas somente são destravadas após Jackie acabar com o último dos inimigos daquela área, tornando o combate algo necessário para prosseguir no jogo.


Ao derrotar todos, Jackie não somente pode prosseguir para a próxima área, como também terá tempo e espaço para explorar aquela que fora tomada, procurando pelos famosos emblemas de dragões. Estes são colecionáveis que estão distribuídos dentro de cada estágio. Há dez emblemas de dragões vermelhos em casa fase, enquanto há um número variado de emblemas dourados — outro item que deve ser coletado, porém visando à garantia de poder jogar um pouco mais após alguns pontapés tomados, é a claquete de cinema, que confere a Jackie uma vida completa. Há também uma nota no fim de cada estágio que avalia o desempenho do jogador pela fase, o que confere um fator replay interessante na busca pelos combos perfeitos que lhe garantirão um magnífico A.

Um item raro por aí

Com todo o seu sucesso, muitos jogadores procuram por este jogo, que não está disponível na PlayStation Network em formato digital. A única maneira de adquiri-lo legalmente é optar por importação, já que, até em sites de compras e trocas brasileiros, ele é um item difícil de encontrar. Além das altas taxas relacionadas à importação, o jogo se tornou um clássico dos beat’em up do PlayStation, chegando a valores de até 60 dólares americanos por um exemplar em bom estado. Além de um jogo raro de coleção, é um título muito apreciado pelos saudosistas e fãs das locadoras de videogames. Longe de ser uma perfeita obra de arte, este é, na verdade, um jogo bem divertido e que garante mais risadas do que desafios.

Revisão: Vitor Tibério
Arthur Maia escreve para o PlayStation Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook