Blast from the Past

SoulCalibur: Broken Destiny (PSP/PSVita), a série Soul para novos jogadores

Spin-off foca em batalhas para introduzir o universo de SoulCalibur aos recém-chegados.

História paralela e fora do universo canônico da série Soul, o jogo de luta SoulCalibur: Broken Destiny (PSP/PSVita), da Project Soul, foi um título introdutório da saga aos novos jogadores. Composto por inúmeras mecânicas do predecessor SoulCalibur IV (PS3/X360) e aproveitando a nova fase de evolução gráfica e narrativa do game, o exclusivo para PlayStation Portable e PlayStation Vita buscava conquistar uma nova leva de fãs para os guerreiros medievais em busca da espada amaldiçoada.

Lutador versus lutador

Ao contrário dos títulos anteriores, cuja história era um dos principais pontos do jogo, em SoulCalibur: Broken Destiny o modo história seria quase ausente se não fosse pelo Gauntlet, um tutorial narrativo que conta a história de Hilde, Cassandra e o novo personagem Dampierre. A falta de um modo história apropriado foi uma das principais críticas ao jogo.


Outra diferença foi que o modo Gauntlet contemplava vários personagens icônicos da série Soul, mas agindo de maneira diferente de suas personalidades originais. O pequeno modo história em formato de tutorial focava no bom humor e trazia os guerreiros em situações engraçadas.

Uma expansão de SoulCalibur IV

Lançado um ano após o jogo do arco principal Soulcalibur IV, em 2009, SoulCalibur: Broken Destiny aproveitou o hype da franquia e trouxe um título que aproveitava a maioria das mecânicas e personagens do anterior em um ambiente de fácil aprendizagem para os novos jogadores, motivo pelo qual ele focou em lutas armadas.


SoulCalibur: Broken Destiny possui 28 personagens jogáveis, inclusive o inédito Dampierre e o personagem convidado Kratos, da série God of War. Dentre os guerreiros presentes há os clássicos Rock, Ivy, Kilik, Mitsurugi, Nightmare, Siegfried e os novos lutadores apresentados em SoulCalibur IV: Algol e Hilde.

O conteúdo do quarto título principal do arco da série Soul não ficou apenas na presença de personagens do jogo, mas também se estendeu para o Character Creation, um sistema de criação de personagem muito similar ao de SoulCalibur IV, em que o jogador criava seu próprio guerreiro Soul para batalhar nas arenas do jogo.



Sobre os modos de jogo, SoulCalibur: Broken Destiny possuía Quick Match, no qual o jogador enfrentava lutadores aleatórios escolhidos pelo sistema do jogo. O modo Trials possuía três níveis de dificuldade: Trial of Attack, desafio padrão em que se ganhava pontos por realizar ataques conectados durante a batalha; Trial of Defense consistia em conseguir pontuação ao atacar o inimigo logo após se defender de um ataque; e Endless Trial, no qual o jogador deveria derrotar todos os inimigos e conseguir o máximo de pontos possível.

No quesito arenas de batalha, a maioria dos stages são de SoulCalibur IV, com o acréscimo de Challenge of the Gods, de Kratos e Voiceless Volpe Bridge, de Dampierre. Cenários como Dark Capital Ostrheinsburg, Sleeping Marsh, Thesmophoros' Imperial Garden e Hall of the Warrior God marcam presença durante os modos Quick Match, Trials e Versus.


Boas-vindas à série Soul

Apesar de deixar de fora um dos elementos cruciais pela qual a franquia SoulCalibur é conhecida — o modo história — SoulCalibur: Broken Destiny cumpre seu objetivo em receber os novos jogadores. O jogo traz personagens icônicos, a mecânica de combate armado e arenas clássicas que ambientam o jogador no mundo da série Soul.

Revisão: João Pedro Boaventura
Karen K. Kremer é mestre jedi em história pela UEPG e game designer pela Universidade Positivo. Viajante do tempo e cinéfila, considera Quantum Break uma obra-prima. Cresceu fazendo Meteoro de Pégasos e jogando videogame. Apaixonada por literatura, ilustração e dinossauros. Diz a lenda que com um bat-sinal no Twitter ou DeviantArt ela aparece.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook