BGS 2011: A conferência da Sony e o primeiro contato com o PS Vita

A conferência da Sony foi inusitada. Poucas pessoas puderam entrar naquela conferência que parecia um pequeno show, cheia de luz e música. O... (por Jean Duarte em 10/10/2011, via PlayStation Blast)

A conferência da Sony foi inusitada. Poucas pessoas puderam entrar naquela conferência que parecia um pequeno show, cheia de luz e música. O gerente de mídias da Sony abriu a conferência e depois de poucos minutos, o simpático e comunicativo Mark Stanley, presidente da divisão Playstation da América Latina, assumiu a pauta.

O primeiro assunto abordado foi comunicação. Prontamente ele falou sobre a expansão dos canais de comunicação da Sony para o Brasil, anunciando a criação da página oficial do PlayStation para o Brasil no Facebook até o final do ano.

Site BR do Playstation - br.playstation.com
Página do Facebook em português  - www.facebook.com/PlayStationBR
Blog BR do Playstation - blog.br.playstation.com

Ouvimos também sobre a tão desejada expansão da PlayStation Network, que vai permitir, teoricamente, a diminuição de lags e aumento de velocidade de navegação.

Stanley nos disse que o blog é para todos e que logo todos os bons posts serão publicados oficialmente lá. Também foi anunciado que em breve haverá uma nova campanha da Sony, então é bom ficar de olhos bem abertos.

Jeitinho brasileiro

Outro tema abordado foi a localização dos jogos. Uncharted, Infamous e Killzone já estão sendo localizados para o nosso país, ou seja, estão recebendo dublagem e legendas em português brasileiro. Stanley também abordou os comentários sobre a má adaptação dos jogos à nossa língua e ressaltou que a Sony conta com equipes que, segundo ele, garantem 100% de qualidade nas traduções.

Logo após, foi chamado ao palco Keith Guerrette, um dos produtores responsáveis por Uncharted 3 na Naughty Dog.  O papo foi sobre o novo jogo da franquia e seus novos sistemas multiplayers (de 2 a 10 jogadores) e também novas opções, como um modo stealth. Iniciou-se então um vídeo demo de Uncharted 3, com gráficos incríveis e dublagem competente. Eu, como telespectador, quase pude dizer que se tratava de um jogo nacional. O game estará disponível a partir de novembro deste ano.

Em seguida nos foi mostrado o jogo Medieval Moves: Deadmund’s Quest, que é totalmente controlado pelo Move e conta com uma visão que fica entre a primeira e a terceira pessoa (o personagem está lá, mas na maior parte do tempo fica translúcido) e conta com um arsenal que vai desde espadas e shurikens a arco-e-flechas e muitos outros.  Com modos online (competição e cooperativo), o jogo também foi completamente localizado para português do Brasil e estará disponível em novembro deste ano.

Everybody Dance, jogo que estará disponível em 2012, também apela para o PlayStation Move. Com a possibilidade de se jogar com até 20 pessoas online, o game de dança contará com 40 músicas, além de permitir que você desafie amigos online e até mesmo fazer upload de vídeos gravados com suas performances e compartilhá-los no Facebook e Twitter.

O pequeno astro da conferência

Após a demonstração dos jogos, Mark Stanley volta ao palco e eis que surge o PS Vita. O anfitrião começou falando que seria possível a integração do PS Vita com o PlayStation 3, e que o portátil contará com DLCs, touchscreen na tela OLED de 5 polegadas e com um touchpad na parte de trás do console, com múltiplo reconhecimento de toques (joguei e vi o ModNation Racers reconhecer 10 toques simultâneos). O console também virá com um GPS integrado que possibilitará o desbloqueio de features dentro dos jogos, além de permitir encontrar outros jogadores para partidas locais. Foi comentado sobre um sistema de AR (realidade aumentada) no console, e podemos adiantar que o Little Big Planet para o Vita usará esse recurso de forma bastante inteligente.

Jeff Kaplan assumiu a conferência e nos mostrou alguns vídeos do ModNation Racers. Ele falou sobre o uso do GPS no console, tanto para multiplayer quanto para desbloqueio de itens e também falou sobre  a possibilidade de mais de 2 milhões de níveis e atributos a serem desbloqueados, contando com a criação de pistas. “É um jogo para se jogar por anos e anos e sempre ter conteúdo novo”, disse Kaplan.

Conhecemos Anderson Viana, ganhador do concurso de originalidade da Sony. Seu prêmio foi ser oficialmente o primeiro brasileiro a jogar o PS Vita (eu devo ter sido o centésimo). Depois de alguns minutos, a única palavra que Anderson conseguiu foi dizer para expressar o que sentia foi “Nossa”. Despertou a curiosidade extrema nos espectadores.

PS Vita – Primeiras impressões


Fui privilegiado em jogar o PS Vita na conferência da Sony. Em forma, o PS Vita lembra o PSP, mas um pouco maior. Sua tela de 5 polegadas OLED mostra os gráficos com perfeição, com touchscreen suave e macio. Ouso compará-lo ao Nintendo DSi XL por questões de peso e de largura. Eu, que sou um jogador Old School e sempre uso D-Pads, gostei de jogar no analógico que se mostrou de excelente mobilidade.

Inicialmente joguei Little Big Planet. Seu touchscreen tem um excelente tempo de resposta. Os minigames do jogo são ótimos e o console fica confortável na mão. O peso realmente não é excessivo e me impressionou o jogo reconhecer multi toques na tela frontal, a ponto de permitir que duas pessoas joguem ao mesmo tempo com um único portátil.

Logo depois, quando eu conversava com Jeff Kaplan, um dos produtores de ModNation Racers, puder vê-lo demonstrar a criação de pistas no game. Jeff explicou que a tela de toque traseira também é multi toque e criou uma pista em alguns minutos usando os dez dedos na tela de trás.

Quando peguei o PS Vita pela segunda vez para jogar, desta vez, o ModNation Racers, pude sentir os botões macios, coisa que me incomodava um pouco nos PSPs que eu havia jogado. O analógico também era suave e sensível, e permitia controles rápidos e boas respostas aos meus péssimos reflexos.

Assim que parei para conversar e tirar algumas fotos com Keith Garrette, produtor de Uncharted, peguei pela terceira vez em um PS Vita. Keith mostrou-me os gráficos de Uncharted, do qual ele tem muito orgulho. E não é para menos: em uma das fases, Drake estava preso, rodeado por fogo. As cores e efeitos das chamas eram incríveis e a sensação de agonia era passada com clareza.

O áudio de todos os games era perfeitamente audível no meio da confusão em que estávamos e mostra que o console realmente tem potência, não só gráfica e sonora, mas também na jogabilidade.

Foi aberta uma rodada de perguntas da qual tive a honra de poder participar. O Playstation Blast perguntou qual era a dificuldade de se criar um jogo como Uncharted, (que já tem 3 títulos para PS3) para o PS Vita. Keith e Mark responderam que é uma espécie de experiência de aprendizado, pois o potente hardware do portátil mostra muitos recursos a serem explorados, sem falar na capacidade gráfica, que nos foi frisado (e eu concordei depois de jogar) que seria como jogar um PlayStation 3 em miniatura.

Quando perguntado sobre a possibilidade de desenvolvedores independentes trabalharem na plataforma, Mark respondeu positivamente e afirmou que podemos esperar algumas SDKs da Sony já para 2012.

Ainda respondendo às perguntas, o anfitrião disse ainda não saber se seriam fabricados no Brasil tanto o PS Vita quanto o PlayStation 3, e que possivelmente haveria chances de que fosse criada uma PS Store.

Finalizando a rodada de perguntas e a conferência, a Sony respondeu sobre pirataria. Comentou sobre todas as perdas e esforços em vão que são descartados ao uso de pirataria, e ainda disse que a solução é mostrar ao consumidor que as fabricantes estão em momento de baixar preços e localizar fabricação de produtos para que o cliente compre sempre produtos originais.

Revisão: Sérgio Oliveira e Rodrigo Estevam


é analista de sistemas de segurança e aproveita cada tempo livre para jogar videogames. Encontrou um grande prazer ao escrever no PlayStation Blast, é colaborador e colunista da Revista Nintendo World. Sempre da as caras no Facebook e as vezes no Google+.

Comentários

Google
Disqus
Facebook


  1. Esse eu compro no lançamento! =)

    ResponderExcluir
  2. Compro no lançamento se tiver barato e não apresentar defeitos ahhahehaeaeh

    Modnation Racers é horrível no PSP, os gráficos podres, criação de pistas é difícil, e a jogabilidade não é boa. Essa versão do Vita parece boa...

    ResponderExcluir
  3. Espera para ver o vídeo que fizemos! está fácil e incrivel

    ResponderExcluir
  4. Rafa...

    Acho que você só importa em gráficos e não em diversão dos games... aposto que você deve odiar mario.

    ResponderExcluir