Perfil

De volta à Pré-História, conheça Ayla, a loirinha primitiva que bate como um brutamontes

Quem disse que as mulheres são fracas? Quem disse que elas não podem liderar? Acredite, elas podem. Ou, ao menos, uma pode, e se chama Ayl... (por Sybellyus Paiva em 07/04/2013, via PlayStation Blast)

https://lh4.googleusercontent.com/-EfyBsv_gv1Y/UWDSS9_GTXI/AAAAAAAAAT0/M2c_1hIe3_U/s640/ayla.jpg

Quem disse que as mulheres são fracas? Quem disse que elas não podem liderar? Acredite, elas podem. Ou, ao menos, uma pode, e se chama Ayla. Diretamente da Pré-História, mostrarei a você o verdadeiro exemplo de uma fêmea-alfa. Um ser capaz de liderar e dar ordens estratégicas em um cenário de guerra que mudaria o curso da vida terrestre. Uma ser que simplesmente considera armas como brinquedo de criancinha e mostra com quantos socos se derrota um ser extraterrestre caído do céu e se muda o curso da história apenas com os próprios punhos.

 

Um pouco sobre a fêmea-alfa

Ayla é chefe da tribo Ioka que se localiza, cronologicamente, na Pré-História. Ela residia em um contexto de guerras contra os Reptites, uma raça evoluída e bastante inteligente de répteis.

Não é de se surpreender o porquê dela ter se tornado chefe do seu povo, afinal, Ayla, é uma guerreira nata, com força, destemida e altamente liderante. Tais características a puseram em frente de várias guerras desde então.

Em diversas falas (algumas censuradas, outras editadas), Ayla fala sobre uma possível tendência homoafetiva, assim como também, em outras versões, de uma possível gravidez. Chega até mesmo a criticar o tamanho dos seios de Marle, afirmando que em sua terra, ela não seria capaz de amamentar sua cria.

Após a chegada de Lavos, e seu seguinte impacto, núvens de poeira são levantadas cobrindo o Sol e dando início à era glacial que pôs fim a raça reptiliana. Com isso, mais a derrota de Lavos, Ayla se aposenta e volta a 65.000.000 a.C. e se casa com Kino, seu cônjuge. Começa aí, uma linhagem que dará origem a Marle na época atual. Sim, Ayla e Marle possuem uma ligação de sangue.

Ayla entra no grupo quando Chrono e seus amigos vão para a Pré-História em busca de uma maneira de recuperar a espada de Frog. Nessa jornada, Chrono e seu grupo se deparam com alguns Reptities e, então, Ayla aparece com o intuito de defendê-los e por fim nos répteis. Após a vitória, Ayla os convida para uma festa e apresenta todo seu povo, inclusive, seu marido Kino. Depois da chegada de Lavos, Ayla consegue convencer seu esposo de que precisa salvar o planeta e se junta a Chrono e sua turma.

Habilidades

http://randomassaultpodcast.files.wordpress.com/2012/01/882138-ayla4fixed_super.png

Como se trata de uma mulher pré-histórica, Ayla ainda não tinha um código genético apropriado para desenvolver habilidades psíquicas, restando apenas a velha e boa força bruta. Mas não é só isso, Ayla possui uma grande destreza, grande resistência e uma postura bastante felina. A maneira como Ayla corre lembra felinos, de fato.

Ayla também não pode equipar armas. A solução é resolvida novamente com sua força. Com sua evolução de níveis, ela passa a tornar seus ataques cada vez mais críticos, chegando a sempre arrancar uma boa quantidade de HP quando atinge o nível 96. A força é tamanha que pode ser comparada com as habilidades mais fortes de Robo, como Apocalypse Arm.

http://2.bp.blogspot.com/_V8siOOzLR80/TA1KIMta79I/AAAAAAAAANY/Qa5MC3upw0U/s1600/ctwp09(800).gif

Ayla é, de longe, a personagem mais resistente e forte do jogo. Essa tese é reforçada pelo fato de que Ayla não utiliza de armas em seus combates, da sua resistência que é superior até mesmo à de Robo, e pelas suas duas técnicas, “Charm” e “Kiss”, onde esta cura um amigo e, aquela, serve para roubar itens dos inimigos.

Revisão: José Carlos Alves

Sybellyus Paiva escreve para o PlayStation Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook