Blast from the Past

Relembre o quão complexo e envolvente pode ser o caminho de um ninja em Shinobido: Way of the Ninja (PS2)

A temática de ninja já foi bem explorada no mercado, com gêneros mais stealth como a série Tenchu, ou mais “agressivos” com franquias como... (por João Pedro Meireles em 25/04/2013, via PlayStation Blast)

A temática de ninja já foi bem explorada no mercado, com gêneros mais stealth como a série Tenchu, ou mais “agressivos” com franquias como Ninja Gaiden. Alguns bons títulos, entretanto, acabam passando despercebidos devido a abundância de jogos dos famosos guerreiros japoneses. Um deles é Shinobido: Way of The Ninja, exclusivo do PS2 que, embora não seja tão conhecido (injustamente), é um envolvente e desafiante jogo.

Hã? Que lugar é esse?

O jogador, como não poderia deixar de ser, assumirá o controle de um ninja em pleno Japão feudal. O diferente em Shinobido, entretanto, é que o personagem (Goh ninja do clã Asuka), acorda completamente desprovido de suas memórias. Goh então recebe uma misteriosa mensagem que explica sua origem, e acrescenta que seu clã havia sido misteriosamente exterminado no dia anterior, sendo ele o único sobrevivente. Além disso, tanto a memória quanto a própria alma de Goh foram, de alguma forma, presas em oito pedras mágicas, sendo que a linha principal da história do game consiste em encontrar essas pedras e entender quem fora o responsável pelo extermínio dos Asuka.

Troca de favores

O grande destaque do jogo, entretanto, não está em sua história, mas sim na forma em que Goh terá que progredir na busca por suas pedras: com a ajuda dos senhores feudais. Em meio a toda a história de Shinobido, o jogador também participa de outra história paralela, a disputa de três clãs pela região em que se passa o jogo. Goh pode aliar-se a qualquer uma das casas, e é por meio dessas que as missões são feitas, visto que na maior parte do jogo, você estará fazendo missões designadas pela casa que você escolheu, sendo possível trair uma ou outra, mas é claro, arcando com as futuras consequências.

Uma bela lua
Por exemplo, se você escolher fazer uma determinada missão de roubar suprimentos de uma das casas, todas as outras missões que os soldados da mesma aparecerem esses estarão mais fracos e famintos. Ao negar a ajuda de um líder para matar um urso (sim, acredite, eles são fortes) esse pode resolver fazer uma pequena visita na cidade mais próxima, atrapalhando Goh ou simplesmente causando caos entre os soldados inimigos. A realização dessas missões é que dita o quanto o jogo irá durar, caso o jogador queira uma jogatina maior, basta dividir sua atenção entre as casas, se quiser progredir, basta focar em uma visto que, a derrota de uma casa é pré-requisito para a continuidade da história principal.

Ninjas, ninjas em toda parte!

A cara de espanto do nosso amigo Woody é completamente justificável em Shinobido. Goh sempre leva desvantagem no combate corpo a corpo, entretanto, os soldados normais dos clãs, costumam ser “burros” e podem ser facilmente mortos de forma silenciosa, e mesmo que isso não seja possível, com certa prática é possível derrota-los em combate direto. Há outros inimigos, entretanto, que são um desafio para o jogador: Os clãs ninja. Esses são ninjas mercenários que podem trabalhar para os clãs do jogo, sendo que cada um possui suas fraquezas e forças. No geral é quase impossível derrotar mais de um em combate aberto e além disso, eles apresentam um movimento menos constante, e costumam ser mais perceptíveis aos movimentos de Goh, tornando tanto os ataques silenciosos quanto eventuais fugas, uma tarefa digna do título de ninja.

Ninjas + tanques = problema

Defendendo sua morada

Um ponto extremamente interessante em Shinobido, é o esconderijo de Goh e o jeito que o jogador deve interagir com o mesmo. Além de ser o ponto de escolha das missões, e o local onde o jogador pode produzir itens, caso Goh irrite um senhor feudal (seguidos ataques ou traições) esse pode enviar soldados seus, ou até mesmo um dos clãs ninja, para invadir a morada de Goh. Para impedir a pilhagem desses a sua pequena casa, o jogador poderá investir parte do dinheiro ganho em armadilhas, tanto para matar os invasores, quanto para atrasa-los a fim de dar a Goh o tempo e a distração certa para eliminá-los.

Lar doce lar

O caminho de um ninja

Shinobido: Way of the Ninja não teve a melhor das recepções da crítica especializada e continua sendo desconhecido por muitos. Embora o game tenha seus defeitos, que o impedem de entrar no grupo de melhores jogos do PS2, esses não impedem os que se arriscam a viver a história de Goh de ter uma alta dose de diversão e imersão.

Revisão: Leonardo Nazareth
Capa: Daniel Silva 
João Pedro Meireles é graduando em Engenharia de Computação na UFRGS. Viciado em jogos, em especial Mobas e RTS, passou boa parte da vida jogando-os e pesquisando sobre aqueles que não teve tempo de jogar, o que o levou a virar redator do PlayStation Blast.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook