Hands-on

Não vai sobrar pedra sobre pedra! Testamos Knack (PS4)

Quem viu o anúncio da mais nova IP da Japan Studio durante a última E3 certamente teve um gosto do que esperar pelo título de lançamento m... (por Unknown em 27/10/2013, via PlayStation Blast)

Quem viu o anúncio da mais nova IP da Japan Studio durante a última E3 certamente teve um gosto do que esperar pelo título de lançamento mais inusitado do PlayStation 4. Misturando a jogabilidade de God of War com um estilo artístico e narrativo que remete a grandes obras japonesas como Astro Boy, Knack promete ser um jogo onde a família toda poderá se divertir. Confira as nossas impressões!

No comando de um gigante

A demonstração disponível na Brasil Game Show desse ano consistia em curtos trechos de quatro partes distintas do jogo. Primeiro, a demo começava em um vilarejo costeiro onde Knack precisava impedir a invasão Goblin prosseguindo linearmente pela fase enquanto combatia os inimigos de uma forma similar a um hack’n slash. Toda a sucata e destroços derrubados pelos inimigos (e pelos obstáculos de cenário que eram eventualmente dizimados no combate) eram integrados ao corpo de pedregulhos de Knack, aumentando sua força mas diminuindo sua mobilidade e leveza. Além de socar com quadrado e pular com xis, o jogador também pode se esquivar usando o analógico direito, manobra que também piora com o aumento do tamanho do protagonista.
A segunda área mostrada envolvia usar a habilidade de Knack de se fragmentar de volta ao seu tamanho original para atravessar lasers de segurança, habilidade que é feita através do botão triângulo. Nessa seção, também era necessário se livrar dos destroços em excesso para acessar tubulações de ar e outras áreas muito pequenas.

Com uma mistura de stealth e puzzle, uma das seções demonstrava a habilidade de Knack de dissipar suas partículas
A terceira área envolvia um Knack incorporado à fragmentos de gelo deslizando por uma caverna congelada enquanto combatia outros Goblins. Uma seção inacessível na demo mas apresentada para nós durante a apresentação da Sony envolvia um puzzle onde o “abominável Knack” devia se apressar e destrancar um grande portão enquanto derretia e perdia vida gradualmente sob a luz solar, dependendo de coberturas e sombra para conservar sua força.

A fase de gelo e neve conta com um piso que se torna mais escorregadio na proporção do tamanho de Knack
A quarta e última área colocava um Knack colossal contra tanques de guerra e helicópteros invadindo a mesma cidade costeira da primeira área. Com seu tamanho gigantesco, os controles eram mais pesados, mas mesmo assim confortáveis e responsivos. Destruir prédios, aviões e carros, além de lhe fazer se sentir um Hulk, também agregava mais detritos ao monstrengo de pedra.

Às vezes medidas drásticas (e imensas!) são necessárias para impedir a invasão Goblin

Falando a nossa língua

Uma das grandes surpresas, durante a apresentação de conteúdo exclusivo do jogo à portas fechadas, foi a revelação de um jogo totalmente localizado para o português do Brasil. Os jogadores nacionais poderão usufruir inclusive de uma dublagem com profissionais brasileiros que, apesar de soar um pouco amadora, ajuda na estilização de “desenho animado” que o título promete. O próprio Knack muda de voz conforme cresce com o volume de detritos que recolhe e, ao atingir seu maior tamanho, é dublado por Luiz Feier Motta, a voz nacional de estrelas como Sylvester Stallone, Steven Seagal e Pierce Brosnan.

Os personagens carismáticos dignos de animações de cinema conseguem ser ainda mais simpáticos através da dublagem brasileira

Diversão em dupla

Outra novidade apresentada pelo promotor que não era acessível na demo foi o modo cooperativo. Nele, um segundo jogador controla uma espécie de Knack robótico que, apesar de não poder crescer em poder como seu colega protagonista, pode usar os destroços recolhidos para curá-lo através do botão triângulo. Tirando isso, o “Knack metálico” pode socar, pular e realizar qualquer outra ação disponível para seu parceiro, mas deve se contentar com a câmera seguindo sempre o personagem principal. A vida de ambos não é compartilhada, sendo que o segundo jogador é bem mais frágil e é derrotado em poucos golpes, mas pode voltar ao jogo contanto que Knack ainda esteja vivo.

Além de localmente, o Knack ajudante também poderá participar pela internet, através das funções exclusivas do PlayStation 4

Uma aventura duradoura

Durante a palestra, foram confimadas pelo menos 12 horas de jogo corrido, distribuídas entre mais de nove capítulos contendo por volta de cinco seções cada. Também foram prometidas outras missões onde Knack poderá incorporar outros elementos, como fogo e terra. Além disso, um sistema de cartas colecionáveis foi mostrado, onde os jogadores coletam diferentes peças para construir um “dispositivo” que melhora as habilidades de Knack. Essas cartas podem ser trocadas entre seus amigos da PSN, o que ajuda o jogador a se livrar das repetidas enquanto auxilia os amigos a completarem seus próprios dispositivos. Durante o que foi mostrado, todas as cartas se escondiam em baús confinados em lugares secretos da fase, que exigiam que Knack socasse paredes e outras partes disfarçadas para descobrí-los.

Os baús de cartas de dispositivo são bem escondidos e prometem aumentar o fator replay
Assim como no resto do mundo, Knack será lançado junto ao PlayStation 4 aqui no Brasil, dia 29 de novembro. Aguarde nossa análise e até lá!

Revisão: José Carlos Alves
Capa: Daniel Machado
Unknown escreve para o PlayStation Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook