Blast from the Past

Encarne o ninja high-tech e salve o mundo em Strider 2 (PS)

Strider tornou-se um dos personagens mais famosos da Capcom após sua participação no título de luta Marvel vs. Capcom . O que poucos sabem... (por Farley Santos em 28/11/2013, via PlayStation Blast)

Strider tornou-se um dos personagens mais famosos da Capcom após sua participação no título de luta Marvel vs. Capcom. O que poucos sabem é que o ninja foi protagonista de algumas aventuras de ação e plataforma para arcades, que eventualmente foram convertidas para consoles domésticos. Strider 2 é o segundo jogo solo do personagem e se passa muitos anos depois da aventura original. Lançado originalmente para arcades em 1999, o título foi portado para PlayStation no ano seguinte.

Um futuro sombrio

Em um futuro distante, o aumento massivo da população causou guerras, fome e corrupção. A vida é difícil, mas a humanidade sobrevive como pode. Neste mundo, existem os Striders, grupo de mercenários que executam inúmeras tarefas pelo mundo, sempre agindo nas sombras e de maneira furtiva. O misterioso Hiryu é o mais famoso membro da equipe: ele conseguiu a classificação Super A, a maior dentro da organização, quando era bem jovem. Devido à sua habilidade, força e convicção, Hiryu é considerado praticamente um deus.

Tudo muda quando Hiryu sai em uma missão de investigação. Ao explorar ruínas antigas, o mercenário percebe que Grandmaster Meio, um ditador há muito tempo derrotado, foi revivido. Para piorar a situação, Hiryu descobre que o vilão recebeu a ajuda de Hien, um de seus antigos aliados na organização de Striders. Hien sempre teve inveja do status de Hiryu e com a ajuda de Meio ele pretende se tornar o único e mais forte Strider do mundo. Seu primeiro passo foi localizar e eliminar os membros da organização, sendo Hiryu um dos poucos sobreviventes. Enquanto isso, Grandmaster Meio colocou em ação seu plano de dominar o mundo. Mas o jovem Hiryu não pretende deixar isso barato e vai em busca de Hien e Meio.

Cortando e destruindo tudo

Mesmo com os avanços da tecnologia da época e do uso de gráficos poligonais, Strider 2 mantém a jogabilidade de ação e plataforma em um plano 2D. O objetivo é muito simples: destruir todos os inimigos que aparecerem pelo caminho, enfrentando imensos chefes no final dos estágios. Os personagens eram representados em sprites 2D e o cenário era construído por polígonos, o que possibilitava ângulos dramáticos e vários níveis de zoom para acompanhar a ação. Entre os estágios, a trama é contada por meio de belas ilustrações, o que torna mais rica a imersão.


Hiryu conta com três ações básicas: saltar, atacar e o Boost Mode. Por ser atlético e dotado de grande agilidade, o ninja se move com velocidade e é capaz de executar pulos duplos, rasteiras e  pulos pelas paredes. O herói também consegue escalar paredes e se mover pendurado no teto, habilidades extremamente úteis para conseguir avançar pelos estágios. Nos combates, Hiryu utiliza Cypher, sua icônica espada. É possível atacar em todas as direções e a arma desfere pequenas ondas de energia ao ser utilizada. O poder da lâmina é intensificado ao ativar o Boost Mode: neste modo, Cypher lança inúmeras ondas teleguiadas, sendo a técnica perfeita para destruir muitos inimigos rapidamente. Os controles são precisos, o que torna a ação frenética e fluida.


Melhorando a aventura

Por ter sido concebido inicialmente para arcades, Strider 2 conta somente com cinco estágios. A aventura não é muito difícil e pode ser vencida rapidamente por conta da quantidade ilimitada de continues disponíveis. Pensando nisso, alguns extras foram incluídos na adaptação para PlayStation pela Capcom. O primeiro deles foi a adição de um novo estágio, que retrata a missão na qual Hiryu descobriu o retorno de Grandmaster Meio. Outra novidade é a possibilidade de jogar com Hien após terminar a campanha principal. O ninja renegado conta com jogabilidade bem distinta: ele empunha duas espadas e pode combiná-las em uma espécie de bumerangue. Por fim, o Strider original de 1989 foi adicionado ao pacote, perfeito para os jogadores que não conheciam a origem da série.

Uma experiência simples e divertida

Mesmo curto e um pouco simples, Strider 2 foi mais um ótimo jogo de ação para o console 32-bit da Sony. O título apresentava um Hiryu de visual atualizado e conservava as características básicas da jogabilidade, o que era perfeito para apresentar as origens do herói para quem o conheceu somente em Marvel vs Capcom. A diversão era garantida por conta dos controles precisos e ação ininterrupta. E vocês, tiveram a oportunidade de jogar Strider 2?

Revisão: Alberto Canen
Capa: Stefano Genachi
Farley Santos é brasiliense e gosta de explorar games obscuros e pouco conhecidos. Fã de Yoko Shimomura, Yuzo Koshiro e Masashi Hamauzu, é apreciador de boardgames, game music, fotografia e livros. Além de mostrar seus cliques no Flickr, tem também um blog onde escreve sobre inúmeros assuntos.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook