Jogamos

Análise: Nem só de zumbis vive a Telltale Games! Saiba tudo sobre o primeiro episódio de The Wolf Among Us (PS3)

A Telltale Games, famosa por sua incrível habilidade de criar adventures point-and-click, conseguiu uma vaga privilegiada na calçada da... (por Gabriel Vlatkovic em 26/01/2014, via PlayStation Blast)


A Telltale Games, famosa por sua incrível habilidade de criar adventures point-and-click, conseguiu uma vaga privilegiada na calçada da fama das desenvolvedoras mais talentosas do mundo quando lançou The Walking Dead (Multi) em 2012. Desde então, todo projeto iniciado pela empresa se torna um dos mais aguardados da indústria, o que é algo um pouco raro de se constatar atualmente, levando em conta que a desenvolvedora não produz jogos de tiro ou com multiplayer massivo para mais jogadores do que o próprio servidor suporta. Sua nova obra, The Wolf Among Us, se passa no universo de Fables, uma inusitada e interessante HQ lançada desde 2002 pela DC Comics e o resultado do primeiro episódio do título é bastante promissor.


A sangue frio

Em The Wolf Among Us, o jogador assume o papel de Bigby Wolf, ninguém menos que o Lobo Mau da história da Chapeuzinho Vermelho. Para os que não conhecem a série de HQs, o fascinante universo de Fables conta a história de diversos personagens de contos de fadas se veem obrigados a viver em um distrito de Nova York chamado Fabletown. Para não gerar suspeita, estes seres utilizam uma droga que os transforma em seres humanos, e, dessa forma, eles tentam viver uma vida normal. Os personagens que não têm dinheiro para consumir o produto, são encaminhados para a “Fazenda”, e por lá eles ficam, vivendo suas vidas antropomórficas. Bigby, ao contrário de muitos, consegue assumir uma forma humana convincente, e se torna um detetive e xerife de Fabletown.

Um inusitado encontro entre um lobo e um dos três porquinhos
Neste primeiro capítulo de The Wolf Among Us, Bigby deve investigar a morte de uma misteriosa mulher, que foi decapitada. Com uma lista de suspeitos em mente e uma clara rivalidade com o Lenhador, que se tornou um alcoólatra miserável e infeliz, o lobo deve buscar pistas para desvendar o mistério, que se torna mais intrigante e assustador a cada nova cena.

Bigby é o típico sedutor
Assim como ocorre com The Walking Dead, a história é contada por meio de episódios, que são lançados periodicamente pela Telltale, e o final de cada um representa um clímax na história que provavelmente lhe fará querer continuar acompanhando a narrativa. O final do primeiro episódio já conta com uma reviravolta que causa raiva e desconforto no jogador, que se sente ainda mais estimulado a adentrar no universo do jogo.

A glória dos Adventures

Se The Walking Dead trouxe um ar de novidade ao gênero, com seu ritmo mais frenético e cheio de tomadas de decisão muito difíceis que viriam a afetar todo o andamento do enredo, The Wolf Among Us consegue misturar estes novos elementos às características mais tradicionais dos melhores adventures de todos os tempos. Apesar dos momentos de ação, que não são poucos, este título conta com um pouco mais de situações de exploração do que o que se pode encontrar na aventura dos mortos-vivos, sendo que os cenários são cheios de elementos para o lobo recolher ou investigar. Outro ponto interessantíssimo são os diálogos, que são extremamente bem escritos e fazem com que os jogadores se apeguem aos personagens logo nos primeiros minutos de suas aparições.

Ao lado de Branca de Neve, Bigby deve investigar o assassinato de uma misteriosa mulher
Desta vez, os comandos estão ainda mais intuitivos do que na saga de Clementine, e as cenas de ação são um verdadeiro deleite, quebrando completamente o clima de investigação do jogo. Quanto aos diálogos, o sistema continua o mesmo, isto é, o jogador tem um tempo pré-determinado para dar suas respostas, o que acaba testando não só o sangue frio de quem está segurando o controle, mas também sua intuição e instintos. Logo no primeiro capítulo, algumas decisões complicadas devem ser tomadas, de maneira que a história promete, novamente, ser totalmente moldada ao gosto do jogador, o que acaba tornando a experiência muito pessoal e diferente para cada um.

Visual imersivo

Além de todas as qualidades mencionadas, The Wolf Among Us faz muito bonito com seu visual. Com cores lavadas e um estilo Noir, a Telltale conseguiu passar com maestria o clima suburbano da aventura, que tem uma atmosfera bastante pesado. Para completar, a trilha sonora também transmite bem a sensação de amargura e infelicidade dos personagens do jogo, que são muito bem interpretados por seus dubladores. O único problema fica por conta das eventuais travadas que, assim como em The Walking Dead, acontecem para atormentar os jogadores nos momentos mais inoportunos. Contudo, a frequência das travadas parece ter diminuído, apesar de ainda serem bastante incômodas.

Vai encarar?

Novos horizontes

The Wolf Among Us marca o início de uma nova saga criada pela Telltale Games, saga esta que já se mostra tão promissora quanto à de Clementine pelo mundo dos mortos-vivos. Com seu lindo visual, roteiro brilhante e personagens extremamente carismáticos, o jogo promete se tornar mais um grande clássico contemporâneo entre os jogos do gênero. Resta-nos agora aguardar pelo segundo episódio da aventura, que está previsto para o início de fevereiro.

Prós

  • Visual incrível;
  • Personagens bem construídos;
  • Roteiro brilhante;
  • Decisões afetam o desenrolar do enredo.

Contras

  • O jogo trava em alguns momentos.


The Wolf Among Us – Episode 1: Faith – PlayStation 3 – Nota: 9.0

Revisão: Samuel Coelho
Capa: Stefano Genachi
Gabriel Vlatkovic é economista formado pela Unicamp. Trabalha como Analista de Finanças e joga videogames há quase vinte anos. Adora ouvir música, assistir a filmes e seriados e discutir a Timeline de Zelda. Quando não está trabalhando, está no Facebook.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook