Jogamos

Abyss Odyssey (PS3) é uma aventura pelo rico folclore chileno

Monstros, poder e riquezas lhe esperam no fundo desse abismo. Está pronto para encarar o desafio?


Sua cidade está em chamas, prédios sucumbindo e monstros aparecendo por todo lado. O Exército foi convocado e está nas ruas tentando conter a confusão, sem sucesso. Porém, no meio desse caos, uma mulher se levanta para acabar com isso tudo. Armada de um florete, a corajosa Katrien parte para o local de origem de toda essa confusão. E lá está ele, um enorme buraco no meio da cidade, fonte da invasão dos monstros. Destemida, ela ignora as suplicas de diversos soldados, que pediam para que ela desistisse por ser muito perigoso. Nossa heroína entra no buraco sabendo que ele é um enorme abismo, determinada a extinguir o mal que lá habita. Por que tamanha coragem? Ela conhece de perto sua fonte. Essa é a premissa de Abyss Odyssey, jogo de aventura desenvolvido pela ACE Team e publicado pela Atlus USA.

Sonhos ou pesadelos?

O abismo se expande em um enorme labirinto de túneis, que descem em direção ao lar de um bruxo (warlock no idioma original). Enquanto ele dorme no fundo do abismo, seus pesadelos se tornam realidade e afligem o caos para a cidade de Santa Lucia. Esses túneis estão recheados de perigos, como armadilhas e monstros. E para complicar ainda mais a aventura, tudo é gerado do zero a cada nova visita: o caminho até o fundo do labirinto, os monstros que o habitam e os tesouros a serem encontrados. Portanto, cada vez que jogar Abyss Odyssey será uma experiência diferente.
A entrada sempre será assim. Mas você nunca sabe o que vai encontrar lá embaixo...

Falando em tesouros, existe muita coisa escondida nesse labirinto, como ouro, armas e poderosos artefatos mágicos. Essas riquezas atraíram diversos soldados para tentar a sorte no labirinto, mas a maioria não sobreviveu a seus perigos. Caso encontre algum desses soldados moribundos, eles podem lhe oferecer algo que coletaram antes de morrer. Também existe uma sala especial no labirinto que é uma espécie de sala do tesouro. Chegar até lá costuma ser difícil, porém, ela contém inúmeros baús recheados de ouro e uma fonte misteriosa. Lendas contam que atirar dinheiro nela vai trazer-lhe boa sorte. Você arriscaria?
O soldado usa suas últimas forças para te ajudar. Aproveite bem.
A invasão dos monstros ocorre em uma bela cidade chilena, durante a virada do século XIX para o século XX. Mudanças de século são períodos agitados e costumam trazer maus agouros para a sociedade. Conforme você avança na história, outras regiões também são afetadas pelo bruxo, abrindo duas novas entradas para o abismo. Essas entradas vão lhe permitir iniciar a jornada em níveis diferentes ou adquirir diferentes tipos de acessórios antes de sua jornada. Além disso, também é possível encontrar pedaços do diário do bruxo dentro do abismo.
Se prepare nas lojas antes de descer ao abismo
O diário descreve a origem de parte das criaturas e dos pesadelos, sendo bem interessante para complementar a história. Você também pode conversar com pessoas dentro e fora do labirinto para aprender mais sobre a trama, mas não vou me alongar aqui para não estragar a experiência de ir entendendo o que aconteceu aos poucos.

Arte latino-americana

A ACE Team é um estúdio de origem chilena e buscou em lendas e no folclore de seu país a inspiração para a direção de arte de Abyss Odyssey. Dos personagens até as construções na cidade, tudo aparenta fazer parte de uma colônia espanhola do período citado. Casas enfeitadas, grandes estátuas e fontes, as roupas de Katrien e até o design dos menus é baseado no estilo de art nouveau. O nível de detalhe empregado em cada um desses pontos é um dos grandes destaques do jogo.
A bela cidade de Santa Lucia, com seus diversos detalhes.
Os personagens se movimentam com a câmera fixada em apenas um plano, o que faz definir o jogo como em 2D. Ao mesmo tempo, todos os cenários lhe passam um efeito incrível de profundidade. Pequenos detalhes a frente ou atrás do plano de movimentação muitas vezes mudam essa sensação, com objetos e iluminação presente. Seria ótimo se tivessem incluído o suporte de exibição 3D junto a uma TV compatível.
Os cenários são extremamente detalhados, inclusive nos planos de fundo

As músicas de fundo seguem a mesma pegada, muito bem feitas e baseadas em composições reais criadas na virada do século. Todas passam um sentimento sombrio nos níveis, melhorando ainda mais a experiência de explorar. Esse tom sinistro com músicas clássicas lembra bastante Castlevania, por exemplo. Já a dublagem dos personagens é bem feita e adiciona uma ótima interpretação dos personagens frente aos acontecimentos.

Uma mistura de gêneros

A movimentação dos personagens segue o plano 2D, fixado em uma única profundidade, assim como o ótimo Muramasa lançado anos atrás para o Wii e relançado há pouco tempo para PS Vita. E como cada descida ao abismo gera níveis randômicos, ele também pode ser descrito como um roguelike. Mas também pode ser definido como RPG e jogo de luta, por suas inúmeras características. É tanta coisa que fica difícil alocá-lo em um único gênero.
Combate, exploração e personagens ganhando níveis dão diversas facetas ao game


É possível jogar com três personagens principais, liberados ao longo da história:
  • Katrien, a heroína inicial, que luta utilizando floretes;
  • Ghost Monk, um misterioso esqueleto coberto por um manto, que luta com espadas pesadas;
  • Pincoya, uma princesa/espírito do mar, que combate com alabardas, uma arma que mistura o alcance de uma lança e lâmina de um machado.
Tela de seleção dos heróis

É possível equipar itens como anéis e amuletos com diferentes efeitos, como proteção a algum efeito ou gerar mais dano. Também é possível trocar a arma do herói, desde que seja do mesmo tipo que ele já usa. Novas armas podem ter uma variedade de efeitos, como fogo, gelo e veneno, facilitando sua vida contra os monstros. Esses efeitos também são úteis para explorar áreas secretas. Algumas paredes feitas de gelo podem ser destruídas com armas de fogo, já paredes com lava podem ser quebradas com armas de gelo. Atrás dessas paredes você pode encontrar novos itens, baús com tesouros ou um sinistro vendedor. Caso não vá com a cara do vendedor, você pode lutar contra ele e ganhar uma boa dose de experiência. A cada nível você aumenta sua vida e ganha mais pontos para customizar suas habilidades especiais.

Praticamente Street Fighter...

Cada personagem possui diferentes golpes e movimentações, que podem ser misturados para realizar poderosos combos contra os inimigos. Além disso, todos conseguem executar um bloqueio, esquivas, arremessos e golpes especiais. Você começa podendo lançar um projétil a longo alcance e posteriormente encontra itens que lhe ensinam novas habilidades. Como os personagens só podem equipar três habilidades por vez, você pode customiza-lo e escolher as que gosta mais ou que melhor se adaptam ao seu estilo de jogo. Também é possível adicionar efeitos extras aos golpes, como dano adicional, proteção durante sua execução ou ganho adicional de mana.

Outra opção é jogar com um amigo ao mesmo tempo localmente ou online, e é nessas horas que você vai reparar como cada um tem seu estilo próprio de jogo. Mesmo que os dois estejam utilizando o mesmo herói, cada um pode utilizar golpes especiais de maneiras diferentes. Cada jogador vai ganhá-los em ordem diferente, e podem ser customizados para serem mais fortes ou tornarem o jogador invencível durante a execução, por exemplo.
Encarar a ação com amigos sempre é mais divertida

 …ou Megaman?

Diferente da maioria dos jogos, utilizar os golpes especiais gera mana para o herói em vez de gastá-lá. Também é possível preencher sua barra de mana com pequenas esferas azuis encontradas em baús ou poções azuis espalhadas pelo mundo. Assim que encher a barra, o jogo vai indicar para pressionar os botões quadrado e triângulo ao mesmo tempo. Espere encontrar um grupo de inimigos antes de realizar isso, pois você vai desferir um poderoso golpe, um círculo de mana que acerta tudo à sua volta sem parar. E se você conseguir derrotar inimigos com o golpe, é grande a chance que algum deles deixe uma pequena esfera brilhante azul-claro no chão. Esse item lhe permite se transformar no inimigo derrotado!
É possível se transformar até mesmo em um touro sem um dos chifres!

Ao se transformar em um inimigo, você vai possuir uma barra de energia separada. Portanto, danos nessa forma não influenciam na energia do seu personagem principal. Isso é ótimo, pois Abyss Odyssey é extremamente difícil. Transformado em um dos monstros, será possível realizar todos os ataques dele, inclusive golpes especiais. Ao morrer como um monstro, você volta ao seu personagem principal. Além de conseguir o item para se transformar utilizando o golpe de mana, também é possível comprá-lo em alguns vendedores ou adquiri-lo após algumas fases especiais. Nessas fases você se transforma em um monstro desde o começo e se derrotar tudo que o jogo mandar contra você, vai ganhar o item de transformação para esse monstro no início do próximo estágio.
Supere esse estágio em preto e branco como o monstro inicial e ganhe o item para se transformar nele

Falando em morrer, o jogo não acaba caso seu personagem principal morra. Dependendo de quem você escolheu, um soldado com características de luta parecidas com seu personagem virá lhe ajudar no momento em que você cair. Cada um possui habilidades únicas e uma barra própria de energia, mas não é tão forte quanto os protagonistas ou monstros. Se você conseguir se virar com o soldado, pode continuar a explorar o abismo utilizando ele, carregando os itens do seu personagem. Caso encontre um altar com a forma dos heróis, o soldado vai reviver o herói e devolver a ele os equipamentos. Mas se morrer como soldado é game over. Pelo menos até aquele ponto.
Encontre um altar como esse para seu herói voltar a ação

A luta sempre continua

Como o soldado não conseguiu reviver algum dos heróis, a aventura vai parar por ali. Você retornará em uma espécie de mundo-cemitério, onde pode trocar de personagem e retornar para a cidade inicial de sua escolha. Mas a morte não significa o fim de tudo, pois você continuará com os níveis e habilidades que acumulou ao derrotar inimigos na sua primeira descida ao abismo. Além disso, o dinheiro que você acumulou também continua contigo, então pode investir em equipamentos antes de descer novamente. O problema é que nessa nova descida, tudo vai ser diferente do que você já havia explorado.
Chegar aqui é sinal de que está na hora de reiniciar a aventura

Mas todo esse conceito é diferente no modo multijogador. Se alguém tiver morrido também com o soldado, esse jogador vai ficar fora da ação e o restante continua a explorar o abismo. E se encontrar um altar durante o caminho, os jogadores que estavam de fora irão retornar ao campo de batalha com seu herói. Os aventureiros só serão levados ao mundo-cemitério caso todos tenham morrido com seus heróis e soldados. Também é possível utilizar itens chamados Camp Token como se fossem vidas. Se você utilizar algum deles em um altar, retornará a esse altar após morrer. Mas os itens são limitados a três mortes.

Problemas para se mover

Abyss Odyssey é um belo jogo, com ótimos conceitos por trás de suas mecânicas, mas sofre na jogabilidade. Nem sempre os controles vão responder como esperado e muitas vezes você acaba ficando preso ao tentar pular para uma plataforma ou esquivar de alguma coisa perigosa, principalmente ao se jogar via internet, pois existe um delay muito grande entre você realizar uma ação e acontecer na tela.

Ainda sobre o multiplayer, percebemos que a interação entre jogadores não recebeu a devida atenção. Pelo menos no que diz respeito a jogar com os amigos. É possível atingir o outro jogador com todos seus golpes, causar efeitos como veneno e até mesmo mata-lo. Com a dificuldade de operar com os controles, nem sempre fica fácil lutar contra diversos monstros e não acertar seu companheiro. No mínimo poderia existir uma opção para desligar o fogo amigo.

O Abismo lhe aguarda

Definitivamente o fator replay é o ponto forte em Abyss Odyssey. Mesmo que você consiga derrotar o bruxo em sua primeira descida ao abismo, será impossível ter visto todo o conteúdo disponível. Certas coisas serão desbloqueadas conforme você avança ou até mesmo quando morre, tornando a derrota parte da ação. Segundo a ACE Team, existe ainda mais conteúdo disponível que ainda não foi explorado. Conforme mais gente for jogando e alcançando certos pontos-chave, pedaços da máscara do bruxo irão se quebrar. Isso irá liberar novos locais para explorar, novos monstros e até mesmo novos poderes para o bruxo no combate final.
Você vai encontrar diversas figuras curiosas que habitam o abismo.

Abyss Odyssey está disponível para compra na PSN. E, apesar dos pequenos problemas em seu multiplayer e nos controles, é uma ótima aquisição. É fácil não reparar que já se passaram algumas horas ao explorar o abismo. Além de que você vai querer voltar para ver o que mudou nesse fantástico mundo após todos os poderes do bruxo serem revelados.

Prós
  • Customização das habilidades de luta de cada personagem;
  • Belos cenários e músicas integram o jogador na história;
  • Estágios randômicos para serem explorados;
  • Mais conteúdo a ser desbloqueado pela comunidade.

Contras
  • Poucas explicações das mecânicas do jogo;
  • Dificuldade em controlar os personagens;
  • Atrasos e fogo amigo durante o modo multiplayer.

Abyss Odyssey — PS3 — Nota: 8.5

Revisão: José Carlos Alves
Capa: Stefano Genachi
Vinicius Eleno é formado em Administração de Empresas pela USP, e mestre em cultura inútil pelas experiências de vida. Desde 1993 gosta de explorar o mundo dos games em seu tempo livre. Pode ser encontrado reclamando da vida no Facebook e Twitter.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook