Jogamos

Análise: Velocity 2X (PS4) combina tiro, corrida e plataforma de forma frenética

O título indie é repleto de mecânicas divertidas, desafiantes e acessíveis, o que deve agradar a qualquer tipo de jogador.

Combinar gêneros diferentes é algo complicado, pois nem sempre o resultado pode ser harmonioso. Mas o que acontece quando a mistura dá certo? Velocity 2X é um desses títulos que consegue essa proeza. O jogo indie para PS4 e PS Vita é continuação de uma série de shoot ‘em ups que nasceu no PSP e traz como principal novidade a inclusão de trechos no qual a protagonista explora a pé. Prepare-se para explorar fases repletas de velocidade e segredos.

Uma tenente tentando voltar para casa

O Jato Quarp tem uma habilidade única: ele consegue se teleportar pelo espaço. A tenente Kai Tana estava fazendo testes com a nave e tentou atravessar um buraco de minhoca espacial. A viagem não é tranquila e, em certo momento, o veículo é quase completamente destruído — e Kai Tana quase morta, em uma galáxia distante e desconhecida. Uma raça alienígena salva a garota e repara a nave, mas o objetivo dessas criaturas é sombrio: usar a tecnologia de teletransporte para dominar galáxias distantes. Kai Tana foge, consegue recuperar sua nave e vai fazer de tudo para impedir a destruição do universo. A trama de Velocity 2X é simples, mas é muito agradável ver a história se desenrolando por conta das várias belas ilustrações que acompanham o texto.

Teleportando pelo espaço

Velocity 2X tem como principal conceito o gênero shoot ‘em up (ou também o conhecido “jogo de navinha”) de progressão vertical automática. A premissa básica é chegar até o fim do estágio o mais rápido possível, sempre destruindo e coletando tudo que aparecer pelo caminho. O destaque são as várias mecânicas únicas desse título, que traz um ar de modernidade e variedade ao gênero.

Controlando o Jato Quarp, Kai Tana pode atirar lasers e acelerar o veículo, como na maior parte dos jogos do gênero. Mas as coisas ficam interessantes com a função de teleportar da nave: com isso é possível atravessar pequenas distâncias e obstáculos. O desenho dos níveis abusa dessa mecânica e, em conjunto com a velocidade, deixa tudo muito frenético e divertido.

O veículo ganha novos equipamentos conforme se avança na aventura. Alguns deles são bombas que podem ser atiradas em qualquer direção, extremamente úteis para acertar obstáculos laterais ou que estão atrás da nave. Outro equipamento muito útil é um teletransportador fixo: o jogador o coloca em algum ponto do estágio e pode voltar nele a qualquer momento, podendo ser utilizado em conjunto com o mapa. Ele é necessário para resolver puzzles espalhados em algumas fases, além de prover navegação rápida pelos locais.


Saltando e correndo

Mas a maior novidade de Velocity 2X em relação a seus antecessores são os trechos de plataforma. Em alguns pontos das fases, Kai Tana sai da nave e precisa explorar locais a pé. Além de correr, saltar e atirar em qualquer direção, a tenente também é capaz de executar “telesaltos”, que a permitem se teleportar por pequenas distâncias pelo cenário, assim como na nave. Os comandos das duas modalidades são praticamente idênticos, logo a adaptação é instantânea. Os dois tipos de jogabilidade se misturam nos estágios de maneira muito harmoniosa e a mudança entre eles é bem natural.

Estas sessões são muito divertidas e mantêm a ação frenética das partes com a nave. A garota é ágil e os comandos respondem muito bem. Mas os trechos a pé têm alguns pequenos problemas. O primeiro deles é que a personagem não consegue atirar sua arma básica ao mesmo tempo em que corre, sendo necessário parar e atirar, quebrando a fluidez e ritmo da ação. O outro defeito é o teleponto: Kai Tana pode lançar seu teleportador para alcançar locais de difícil acesso. Além de interromper a ação, o comando para executar esse movimento é impreciso, o que resulta em várias tentativas frustradas em alguns casos.

Desafios frenéticos

As fases de Velocity 2X não são muito desafiantes, afinal você tem vidas infinitas e consegue retornar para alguns pontos anteriores com facilidade, sem contar que boa parte dos estágios podem ser terminados em questão de poucos minutos. O real desafio está em conseguir classificações melhores, que em alguns casos exigem praticamente perfeição de movimentos e muita rapidez. Vários segredos como fases extras e entradas de diário estão escondidos pelas fases, sendo necessário explorar bem cada canto para encontrar tudo. Por conta dessas características, o jogo é perfeito tanto para casuais quanto para hardcores.

Mesmo com fases curtas e ótimo desenho de níveis, Velocity 2X tem um problema um pouco irritante. Mais para o final do jogo aparecem algumas fases extremamente longas: são labirintos que exigem exploração e muito uso do teleportador fixo para voltar para trechos já visitados. São estágios cansativos e confusos (mesmo com a ajuda do mapa), que destoam completamente da jogabilidade frenética e rápida da maioria das fases. Felizmente são poucos estágios nesse estilo.

Uma incrível aventura espacial

Velocity 2X consegue combinar perfeitamente bem vários gêneros distintos, resultando em um jogo divertido e variado. Além de ter ótimos controles, bom desenho de níveis e boa direção de arte, o título tem desafios e conteúdo que agradarão tanto jogadores casuais como hardcore. A aventura só escorrega em alguns pontos como alguns comandos não muito precisos, momentos em que a ação é interrompida e estágios confusos — felizmente estes problemas pouco atrapalham a experiência. Se gosta de títulos de ação e plataforma, não deixe de conferir Velocity 2X.

Prós

  • Ótima combinação de shoot ‘em up e plataforma;
  • Jogabilidade variada e comandos precisos;
  • Bela direção de arte;
  • Desafios acessíveis a todo tipo de jogador.

Contras

  • Pequenos problemas com certos comandos;
  • Algumas fases são desnecessariamente longas e confusas.
Velocity 2X — PS4 — Nota: 9
Revisão: Jaime Ninice
Capa: Stefano Genachi
Farley Santos é brasiliense e gosta de explorar games obscuros e pouco conhecidos. Fã de Yoko Shimomura, Yuzo Koshiro e Masashi Hamauzu, é apreciador de boardgames, game music, fotografia e livros. Além de mostrar seus cliques no Flickr, tem também um blog onde escreve sobre inúmeros assuntos.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook