Hands-on

Shadow of the Beast é um clássico que volta com tudo para o PS4

Um jogo antigo faz seu retorno em alta definição no PS4.


Em uma época em que é tão comum remakes de games recentes como The Last of Us (que foi uma remasterização, na verdade), foi surpreendente quando as desenvolvedoras Heavy Spectrum e Enterteinament Labs anunciaram o remake de um clássico de 1989 do Commodore Amiga, Shadow of the Beast. Os jogadores irão embarcar em uma jornada por vingança em um mundo estranho e brutal, onde a única saída é lutar.

Dos bits para HD

A trama não é necessariamente o ponto mais forte de Shadow of the Beast mas, mesmo assim, é importante saber o que acontece no game para compreender o objetivo do personagem. Um homem chamado Aarbron é sequestrado quando criança e transformado pela mágica em um monstro-guerreiro que se torna escravo do Lord Maletoth. Suas memórias de quando era humano retornam quando ele assiste um homem sendo executado, que mais tarde ele descobre se tratar de seu pai. É assim que Aarbron parte em uma jornada por vingança contra Maletoth e seu exército de bestas.
Pode parecer simples agora, mas isso foi uma revolução em 1989.

Shadow of the Beast impressionou o público e a crítica na época de seu lançamento por causa de seus gráficos arrojados e composição musical excelente. As únicas reclamações ficavam por conta do nível de dificuldade de seus puzzles e a falta de um sistema de salvamento. Felizmente essas não são preocupações para o remake em HD feito para o PS4. O game foi completamente refeito esteticamente e graficamente. Apesar de continuar sendo do estilo plataforma em que o jogador precisa atacar os inimigos e prosseguir pelo cenário, a mecânica está muito mais fluída do que era no original.


Os poucos minutos disponíveis para gameplay na área VIP da Sony consistiam em guiar Aarbron por uma terra desolada, em que podíamos ver a dinâmica do ambiente acontecendo ao fundo. Sem muitas instruções - o que é uma surpresa para os games da atualidade - o jogo forçava o jogador a descobrir como cruzar obstáculos e derrotar os inimigos que apareciam pelo caminho.
O game era muito belo e simples em sua jogabilidade.

Uma aventura antiga para um público novo

O que mais chamou a minha atenção durante a experimentação do game foi o estilo único dado ao remake. O cenário parece que foi desenhado à tinta, dando um aspecto mais suave ao mundo brutal de Aarbor. Essa impressão ficou mais forte à medida que atacava inimigos e o sangue jorrava de seus corpos como tinta sendo derramada, pingo a pingo. O único aspecto que talvez parece um pouco estranho no jogo seja a falta de instruções ao jogador, como citado anteriormente. Em vários momentos me peguei indo na direção errada ou simplesmente trancado em algum lugar sem saber o que fazer.
Prepare-se para enfrentar grandes (e monstruosos) desafios!

Shadow of the Beast parece trazer ares novo para o gênero plataforma, um estilo já muito explorado e sem grandes inovação no mundo dos games. Sua gameplay rápida e intuitiva promete conquistar jogadores que procuram por um título mais casual e, certamente vai alegrar os fãs de games antigos que terão a chance de revisitar esse clássico do Amiga.
O retorno de um clássico!

Luis Antonio Costa escreve para o PlayStation Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook