Final Fantasy VII Remake (PS4): detalhes sobre a história e sistema de batalha

Equipe do jogo esclareceu alguns pontos importantes, como a divisão do game em episódios.



Os últimos dias têm sido bastante agitados para os fãs de Final Fantasy VII. Após a divulgação de um novo trailer do remake e de uma declaração do produtor Yoshinori Kitase, mais informações foram reveladas hoje pelas revistas Famitsu e Dengeki, que publicaram entrevistas com Kitase e com o diretor Tetsuya Nomura.


A dupla declarou que várias empresas, incluindo a CyberConnect 2 (mais conhecida por desenvolver jogos da série Naruto), estão contribuindo para a produção do game e trabalhando para que o jogo siga um estilo mais próximo dos jogos da Square Enix.

Foi dito também que o último trailer lançado mostrou cenas em tempo real, com exceção daquelas que haviam aparecido no trailer da E3 2015. A qualidade que foi vista é apenas o ponto de partida e serviu para demonstrar a direção do remake.

Sobre os modelos de personagens, a equipe mencionou que os modelos de Final Fantasy VII: Advent Children não estão sendo utilizados por estarem muito ultrapassados. No remake, Cloud parece mais magro por causa do tom de sua pele e por causa da luz.

O sistema de batalhas terá uma mistura de elementos de Dissidia Final Fantasy e de Kingdom Hearts, unindo ação e estratégia. Você poderá controlar um grupo composto por três membros que podem ser trocados livremente, mas será possível controlar também apenas um personagem, dependendo da vontade do jogador.
Além disso, algumas mudanças estão previstas: os Limit Breaks e a barra de ATB (que poderá ter seu nome mudado) estarão presentes no remake, mas serão utilizados de uma nova forma, servindo como um auxílio à ação do game. Nomura aproveitou para pedir aos jogadores que prestem atenção quando a barra de ATB ficar vermelha.

A dupla explicou a decisão de dividir o remake em vários episódios. Nomura disse:
Se tivéssemos que lançar o jogo em uma única parte, muitas coisas teriam que ser cortadas ou reduzidas, e isso não faz nenhum sentido. Por exemplo, você poderá explorar vários locais em Midgar que não estavam presentes no game original. Já que estamos refazendo esse mundo, queremos adicionar áreas e detalhá-las da melhor maneira possível.

É claro que alguns trechos talvez tenham que ser cortados por diversas razões, mas graças ao nível de detalhes que estamos incorporando, a quantidade de conteúdo vai aumentar. Por meio dos episódios, será possível investir em novos mecanismos relacionados à história. Aqueles que jogaram o jogo original entenderão a história do início ao fim, incluindo partes importantes, e espero que essas pessoas sejam surpreendidas novamente.
 Kitase complementou:
Poderemos adicionar mais densidade à certas regiões, como foi visto no trailer, onde mostramos o Sector 1 e o Sector 8. Seria impossível refazer o jogo original, com a qualidade que foi mostrada, e incluir tudo em um único jogo.
Além disso, eu não quero que o remake seja algo nostálgico. Eu quero que os fãs do jogo original fiquem empolgados, e nós estamos fazendo os ajustes na história tendo isso em mente.
Por último, algo que muitos fãs se perguntavam finalmente foi esclarecido: a famosa cena onde Cloud se transveste para Don Corneo estará presente no game, mas ainda não foi produzida.

Final Fantasy VII Remake será lançado para PS4 e ainda não tem data de lançamento definida. Será que teremos que esperar muito para finalmente experimentar o tão aguardado remake?

Fonte: Gematsu e IGN
July Dourado é aspirante a jornalista e redatora no PlayStation Blast. Sua paixão por games começou com o Nintendo 64 e só tem crescido desde então. Além dos games, também é viciada em séries de TV e gatos.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook