Perfil

Crash Bandicoot, o marsupial mais carismático dos games

A franquia que lançou a Naughty Dog está voltando. Vamos agora conhecer de novo Crash e suas aventuras.

Sendo apresentado ao mundo em 1996 com Crash Bandicoot (PS1), Crash foi a primeira franquia de grande sucesso da Naughty Dog, que atualmente é conhecida por franquias de sucesso como Uncharted e The Last of Us. Sendo a empresa uma parceira de carteirinha dos consoles da Sony, ela conseguiu nos anos 1990 fazer de Crash o mascote do PS1, sendo amplamente comparado com Sonic nos consoles da SEGA e com Mario nos da Nintendo.


Agora, após 21 anos de altos e baixos desde o seu surgimento nos games, Crash está às portas de receber um remake de seus três primeiros jogos, todos lançados para o PS1. Com esse retorno, vamos revisitar a história do herói que há muito é clamado pela comunidade gamer de uma das franquias antigas que mais deveria voltar na nova geração.

Eis que surge um mascote!

Era uma vez uma empresa até então independente chamada Naughty Dog, fundada em 1984 com outro nome (Jam Software). No início dos anos 1990, essa empresa já era conhecida pelo desenvolvimento de jogos até bem falados na época, como Rings of Power (Mega Drive) e Way of the Warrior (3DO). Mas eles queriam que sua empresa tivesse um rosto, uma personalidade marcante que carregasse o seu nome, bem como eram Mario para a Nintendo e Sonic para a SEGA.



Foi então que Andy Gavin e Jason Rubin, fundadores da empresa, convencidos pelo designer de games Mark Cerny, começaram a pensar em um personagem que fosse carismático o bastante para o papel. Depois de bastante discussão, resolveram utilizar um marsupial chamado Bandicoot como base para o personagem do seu novo jogo de plataforma e aventura, o primeiro da empresa a usar tecnologia 3D. E assim, pegando elementos emprestados de raposas e até cachorros combinados com o Bandicoot, surgiu Crash, em 1996.

O jogo foi um sucesso espontâneo e conseguiu fazer com que Crash se tornasse rapidamente o mascote não oficial da Sony, sendo comparado constantemente com Sonic, Mario e até Megaman. Em sua história, Crash é um Bandicoot modificado geneticamente pelo vilão do jogo, Neo Córtex. Entretanto, Crash não absorveu a maldade que o vilão queria que suas criações tivessem para formar um exército e se rebelou contra ele, adquirindo alguns aliados no caminho.


Sua jornada se passou até então por sete games canônicos, culminando no título Crash: Mind Over Mutant (Multi), lançado em 2008. Além disso, foram lançados também cinco spin-offs, sete títulos de corrida e outros sete jogos focados em mini-games e puzzles. Agora, em 2017, o personagem receberá o primeiro remake de sua história, compilando os três primeiros games da franquia no jogo Crash Bandicoot N. Sane Trilogy (PS4).

Afinal, o que é um Bandicoot?

Mario é um encanador italiano, Sonic é um ouriço e Crash é um bandi… o quê? Afinal, não é todo mundo que está habituado ao nome Bandicoot, principalmente aqui no Brasil. Os bandicoots são marsupiais nativos da região da Austrália, Tasmânia e Nova Guiné e seu nome, mesmo que seja de origem estrangeira, não possui tradução para o português.

Sendo principalmente comum na Austrália, os bandicoots têm pequeno porte e se assemelham até certo ponto a ratazanas. Entretanto, suas características próprias garantem que este animal seja considerado um marsupial, como o fato de manter seus filhotes em uma bolsa após nascerem, tal como os cangurus.



Ao contrário do nosso querido Crash, que adora comer frutas, os bandicoots são na verdade onívoros, tendo como principal prato animais menores do que ele. Mas frutas e folhas também não estão fora de sua dieta.

As aventuras contra Neo Cortex

Como falamos antes, Crash foi modificado geneticamente pelo vilão do jogo, Neo Cortex e seus aliados. Cortex e Nitrus Brio queriam montar um exército de animais mutantes para serem seu exército e dominação do mundo, porém, Crash (que seria o general desse exército) que recebeu características humanas em sua criação, teve problemas ao ser transformado em um ser maligno. A máquina que faria isso não funcionou da forma correta, pois não estava terminada, e assim Crash nasceu: inteligente, alegre, humano e nem um pouco mau.
 
Logo após ser criado, graças à sua perspicácia e agilidade, fugiu do covil dos vilões e passou a morar nas Ilhas Wumpa, lar das suas frutas prediletas. Com isso, Crash se manteve tranquilo e acabou montando uma família próxima. Entretanto, os vilões da história não desistiram de seus planos e coube a Crash e seus aliados impedi-los de obter sucesso. Entre os principais vilões da franquia temos o já citado Dr. Neo Cortex, N. Gin, Tiny Tiger, Dingodile e Uka Uka.
 


Como aliados, o bandicoot possui sua irmã, Coco Bandicoot, a qual é o cérebro da equipe e torna-se um personagem jogável em alguns títulos da franquia. Temos também Crunch, seu antigo inimigo que vira aliado e, claro, Aku Aku, a marcante máscara encantada que o ajuda nas melhores horas.
 
Ao longo dos games, Crash foi adquirindo várias habilidades diferentes que o ajudavam a impedir os planos maldosos de seus adversários. No primeiro jogo o marsupial apresentava a habilidade  de girar ao ponto de criar um pequeno tornado que detonava caixas e inimigos próximos. Já em Crash Bandicoot 2: Cortex Strikes Back (PS1) ele recebe a habilidade de dar uma rasteira, pular mais alto e também uma espécie de barrigada que esmaga seus inimigos. 
 


A partir de Crash Bandicoot 3: Warped (PS1), o personagem passou a receber diversas habilidades desbloqueáveis ao longo da jogatina, derrotando os bosses. Conceito que foi muito bem encaixado na jogabilidade focada em aventura. Já em Crash of the Titans (Multi), o bandicoot recebeu uma reformulação que o permitiu socar diretamente inimigos, um giro mais potente e até usar seu aliado Aku Aku como um campo de força. 

Entre altos e baixos

A franquia Crash passou seus 21 anos pelas mãos de diversas desenvolvedoras distintas. Em algumas, como a sua criadora original , Naughty Dog, o personagem fez um tremendo sucesso. No entanto, em outras isso não aconteceu da melhor forma, repercutindo em jogos não tão bons como os primeiros e em aventuras nem tão criativas assim.
 
A Naughty Dog foi responsável apenas pelos quatro primeiros games da franquia, a trilogia que será remasterizada esse ano e o primeiro jogo de corrida do marsupial, Crash Team Racing (PS1). Depois disso, a Eurocom produziu Crash Bash (PS1), primeiro game focado em puzzles no estilo da franquia Mario Party para Crash. Mas sua participação na franquia parou por aí, pois em 2001, ano em que a Naughty Dog passou a ser uma subsidiária da Sony, Crash ficou sob o domínio da Traveller’s Tales.
 


Até 2004, a Traveller’s Tales lançou Crash Bandicoot: The Wrath of Cortex (Multi) e Crash Twinsanity (Multi) os primeiros títulos multiplataforma da franquia. De todas as empresas, foi a Vicarious Visions que mais produziu games de Crash, mesmo que não sejam os mais lembrados pelos fãs: Crash Bandicoot: The Huge Adventure/Crash Bandicoot XS (GBA), Crash Nitro Kart (Multi), Crash Bandicoot 2: N-Tranced (GBA) e os crossovers de Crash com o Dragãozinho roxo, Spyro.
 
Depois da Vicarious, a Radical Entertainment, a Dimps, a Vivendi Games Mobile e a Polarbit também produziram alguns títulos da franquia, que incluíam cópias para Mobile, DS, PS2, GC, PSP, XB, X360 e GBA. Depois de tantos títulos de tantas empresas, foi a Vicarious que ficou por conta de reviver a franquia, com o apoio da Sony e da Naughty Dog por fora. 


O retorno do marsupial

Na E3 de 2016, entre vários anúncios bombásticos da conferência da Sony, a Vicarious Visions roubou a cena por alguns instantes quando, em uma apresentação mais que carismática, oficializou que o primeiro remake da franquia finalmente estava em produção com exclusividade para o PS4. 
 
Claro que estamos falando de Crash Bandicoot N. Sane Trilogy, que será lançado para PS4 no próximo mês. O game trará os jogos Crash Bandicoot, Crash 2: Cortex Strike Back e Crash Bandicoot 3: Warped todos reformulados com gráficos atualizados para a nova geração, mas sem perder a boa e velha jogabilidade característica do início da franquia. 
 


Com a data de lançamento deste incrível retorno cada vez mais próxima, fica uma mistura de curiosidade, alegria e dúvida. Colocar as mãos nessas trilogia clássica revisitada com gráficos novos sem dúvida gera alegria e curiosidade em todos que experimentaram essa franquia no final dos anos 1990. Agora, a dúvida fica no que virá após essa remasterização. Será que capítulos inéditos do nosso bandicoot favorito estão nos planos da Sony e da Vicarious Vision? Vamos aguardar e conferir, afinal, a E3 está cada vez mais próxima!
 
Revisão: Ana Krishna Peixoto
Gilson Peres é Psicólogo e Mestrando em Comunicação pela UFJF. Está no Blast desde 2014, onde é Redator e Diretor. Começou sua vida gamer bem cedo no NES e hoje divide seu tempo entre games antigos e novos. Pode ser visto por aqui sempre escrevendo algum texto polêmico, instrutivo ou nostálgico. Geralmente é visto em alguma discussão no Facebook ou no Twitter.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook