Stage Select

Castelo do Kamoshida, a primeira aventura dos Ladrões em Persona 5 (PS3/PS4)

A primeira aventura em Persona 5 (PS3/PS4), se passa no castelo do malvado professor de educação física do colégio Shujin.



O primeiro desafio presente em Persona 5 (PS3/PS4), está no castelo de seu maligno professor. Apesar de não ser nele onde aprendemos todas as mecânicas, já que iniciamos o jogo em outro palácio, é neste castelo que encontramos nossos companheiros iniciais e formamos os ladrões fantasmas de corações.

Suguru Kamoshida

O primeiro vilão que enfrentamos é nosso professor de educação física, Suguru Kamoshida, antigo medalhista de vôlei. Ele também é o responsável pelo time de vôlei do colégio e sempre abusa fisicamente de seus estudantes, utilizando de castigos brutais e espancamentos. Além disso, o vilão assedia as garotas, vendo-as apenas como objetos sexuais.

Apesar de todos esses crimes, o vilão continua exercendo sua função de professor e “cuidando” do time de vôlei. Os outros professores, o diretor e, até mesmo, os pais dos alunos ignoram tais abusos, pois ele traz fama e sucesso para o colégio. Fazendo com que Kamoshida se veja como o rei do colégio.

Criação do castelo

Cada um de nós usa uma máscara para esconder nossas emoções e encarar diversos desafios. E também possuímos algo que guardamos no fundo de nosso ser, seja nossos desejos, maldades ou vícios. Sendo respectivamente Personas e Sombras, esse conceito é usado em todos os jogos da franquia e explicará a criação do castelo.

A visão de Kamoshida é tão distorcida que sua cognição, ou seja, a sua percepção do mundo, deturpa a aparência do colégio dentro de seu coração e mente. Isso faz com que o colégio torne-se um castelo medieval onde ele reina supremo, intocável e inquestionável. Essa é a realidade onde o grupo entra no castelo do vilão, e é chamado de metaverse.


O nome da música utilizada no castelo é King, Queen e Slave,  com uma batida agitada, traz a sensação de curiosidade pelo lugar novo que os personagens estão descobrindo. O jogador apoiado por esse ritmo, continua explorando com a intenção de ver até onde ele consegue chegar, trazendo um pouco mais de alegria para o castelo macabro do vilão.

Colégio e castelo

O castelo possui diversas salas bem detalhadas, que misturam uma certa tecnologia a antiga arquitetura dos castelos. O calabouço, por exemplo, possui sistemas interessantes de punição para o time de vôlei que demonstra os abusos cometidos pelo vilão na vida real. Cada sala passa uma informação sobre o castelo e tem certa ligação com a sala real do colégio.

Com a entrada do palácio sendo a entrada do colégio, a sala do trono sendo a sala do vilão no colégio, tendo direito a um templo, que seria a quadra, onde ele seria idolatrado e onde conseguiu sua medalha de ouro,  fazendo o vilão ser tão poderoso dentro do colégio.


Mas a visão não afeta apenas a escola, sua visão deturpada faz com que réplicas de alunos apareçam nas masmorras onde eles são torturados e que réplicas de meninas apareçam como alvo dos desejos do vilão. Porém, essa é apenas a forma com que ele vê seus alunos, ele chega até a criar uma versão de Ann Takamaki, uma das heroínas do grupo que ajuda a destronar o tirano.

Outra mudança é nos inimigos, os monstros que iremos enfrentar durante a fase lembram cavaleiros medievais, portando belas espadas e armaduras. O design deles também inova e traz uma nova ideia a franquia, que cresce cada vez mais. Esses pequenos detalhes tornam a fase única e sem precedentes, deixando a experiência única.


Apesar de possuir um belo visual, o castelo apresenta momentos bem bizarros, já que está ligado ao vilão, como torço de meninas do time de vôlei, usados como pilastras do castelo, e um retrato do vilão como sendo um belo príncipe. E acredite, depois de ver a forma que ele age o vilão está bem longe de ser um.

Medalha de Ouro

Os heróis inicialmente encontram o palácio de forma aleatória, chegando a ser presos e prestes a ser torturados. É no palácio onde os quatro membros iniciais do grupo aprendem a usar seus Personas para lutar, e onde aprendemos o básico para o combate e infiltração do jogo, que usaremos por muito tempo.


Para fazer o vilão pagar e impedir suas expulsões do colégio o grupo decide atacar Kamoshida e destruir o castelo roubando o tesouro. O tesouro é a manifestação dos desejos do criador do palácio, algo que o fez escolher a vida que leva, sendo um fator que o fez mudar. No caso de Kamoshida foi sua medalha de ouro.

Para conseguir esse roubo, o grupo tem que fazer o dono do palácio acreditar que seu coração pode ser roubado dando vida ao tesouro. E gastar alguns dias do jogo indo e vindo do palácio, que começa no dia 11 e vai até o 18. Após mandarem o cartão, enfrentar o chefe da fase e roubar o tesouro, o castelo é destruído e a sombra do vilão retorna para sua personalidade, fazendo-o confessar os crimes e assim ir preso.

Destronar o rei

Apesar de uma obra prima feito pelo estúdio Atlus, como todos os palácios presentes em Persona 5, traz a tona o pior dos vilões. Mas funciona como um bom lugar para iniciarmos, já que os outros palácios vão ficando cada vez mais futuristas, o castelo possui poucas armadilhas, mas possui puzzles interessantes e já nos mostra como será o decorrer do jogo.

Um excelente estágio, com excelente participação para o desenrolar do jogo, já que nos ensina as mecânicas básicas e o que acontecerá durante o resto do jogo. Desejamos que a empresa continue esse incrível trabalho nos próximos jogos, seja da franquia Persona ou de qualquer outro por ela produzido.


Revisão: Diogo Mendes
Antonio Stark escreve para o PlayStation Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook