Vem aí

Prévia: God of War (PS4) promete muita violência e história mais madura

O anúncio de um novo título fez os fãs vibrarem, prometendo diversas mudanças e contando com ainda mais combates.

God of War (PS2) reinventou o estilo hack’n slash, com sua ação empolgante em uma Grécia mitológica. Kratos, um espartano, buscava vingança contra Ares, o deus da guerra, por fazê-lo matar toda sua família. Após cinco anos, Kratos finalmente retorna aos consoles da Sony em um novo título God of War (PS4), que promete trazer diversas mudanças para a franquia as quais falaremos a seguir.

Da Grécia para Escandinávia

Uma das primeiras mudanças que chamaram a atenção dos fãs nos trailers liberados foi a ambientação. O que antes possui elementos helenísticos, relacionados a uma grécia antiga, foi substituído por uma versão mais rústica, baseada na cultura Viking. Kratos possui um visual diferente, mostrando que os anos o afetaram, suas vestes refletem a mitologia na qual está inserido, possuindo certa semelhança à original.

Uma nova história aguarda todos os jogadores. Não só a ambientação sofreu mudanças mas a história será nova, podendo o jogo ser considerado um reboot para a série, permitindo a novos jogadores conhecerem e aproveitarem a franquia. Os motivos que levaram Kratos a essa região ainda são desconhecidos, mas a mudança em termos de mitologia poderá proporcionar não só mudanças geográficas, mas novos inimigos, gerando ainda mais desafios.


Os antigos jogos da franquia eram simples e cheios de testosterona, voltados para adolescentes e jovens adultos, mesmo possuindo diversos temas obscuros. Porém a indústria dos jogos evoluiu, possuindo narrativas mais complexas e até mesmo romances mais sofisticados. Podemos esperar um novo tom para o jogo, oferecendo uma experiência mais madura para igualar a seu público. Se essa mudança será dramática, ainda não sabemos.

Um novo protagonista

Kratos, o espartano furioso, também apresentará mudanças em sua personalidade. O estúdio decidiu dar ao personagem uma paleta diversificada de emoções, para assim deixá-lo mais complexo. E apesar de ser o mesmo dublador, o espartano irá soar de forma diferente para os fãs da franquia, demonstrando mais maturidade. É possível que o espartano, após criar um filho, tenha ganhado uma perspectiva diferente da vida e de si mesmo.


Passando anos se arrependendo de suas ações ou aceitando a monstruosidade que é, ele deixa de ser a reencarnação do ódio e se torna mais humano. Um guerreiro endurecido pelos diversos combates, vemos o homem demonstrando empatia e paciência com o garoto, mesmo que ainda ensinando sobre a vida e a morte, mostrando o quanto ele foi influenciado pelo tempo e pela paternidade.

A tradicional arma utilizada por Kratos, Blades of Chaos, que são espadas presas por correntes em seus braços, não está presente no jogo. O ato de abandonar suas lâminas é profundo, pois estas o ligavam diretamente ao panteão grego, permitindo seguir em frente e deixar seu passado para trás. Em seu lugar o guerreiro usará um machado, que permitirá ataques curtos ou longos, podendo dar ao jogador diferente ataques geométricos.


Multiplayer?

Apesar de jogos com mundo o aberto estarem em alta, God of War irá permanecer um jogo linear, não deixando espaço para diversas horas de exploração e colocando Kratos no caminho narrativo. Apesar disso, o estúdio divulgou que missões secundárias serão incluídas no jogo, incluindo chefes opcionais. Se os antigos games ensinaram algo, essas sessões lineares serão polidas, levando a excelentes encontros e combates.

Por se tratar de um novo começo para a série, colocar uma técnica antiga só por ser tradicional não seria realmente uma mudança. Quick Time Events, que consistiam em apertar os botões que apareciam na tela de forma rápida e precisa, estão com seus dias contados. Apesar das cinemáticas serem visualmente belas, em termos de gameplay eram chatas e cansativas, fazendo com que a empresa as retirassem, optando por formas de substituição desconhecidas.


Com a nova onda de jogos multiplayers, estúdios têm recheado seus games com conteúdos online, assim como foi o caso de God of War: Ascension (PS3). O novo God of War parece ser grande em diversos aspectos, e a Sony decidiu por retirar qualquer vestígio de um modo multijogador, permitindo que ele seja focado em seu modo história e nos excelentes combates que fizeram a franquia ser famosa.

Tudo para ser bom

Os fãs podem descansar seguros, pois o título está nas mãos de um homem que conhece e ama ela. Cory Barlog trabalhou em diversos jogos da franquia, mais notavelmente como diretor em God of War II (Multi), considerado um dos melhores títulos da série. Ele retorna para o estúdio da Sony com o intuito de dirigir o novo game para o PS4.

A trilha sonora deste novo God of War promete, assim como a de seus antecessores. Porém, diferentemente de outros, este terá um compositor exclusivo, Bear MCCreary — o homem que possui fama por compor diversos temas para as séries de televisão, como Battlestar Galactica e The Walking Dead. MCCreary deu uma demonstração durante a E3 de 2016 da trilha sonora do jogo, mostrando o que os fãs podem esperar.

Parece promissor

Após anos fazendo jogos com a temática grega, é bom ver que o Estúdio da Sony em Santa Mônica está testando novas ideias, histórias e lugares. Realizando mudanças até mesmo na personalidade de Kratos, que aparentemente será mais maduro. Essas mudanças buscam deixar o jogo mais maduro e recheado de novidades.

Este será um novo jogo, com novos personagens, prometendo uma vasta gama de diversão para todos os tipos de jogadores. O jogo traz inovações não só na história, mas também na jogabilidade. Chamando atenção até mesmo de jogadores que não eram tão fãs da franquia, o jogo promete e será lançado dia 20 deste mês. Agora só podemos esperar pelas novidades que ele oferecerá.


God of War - PS4Desenvolvedor: Sony
Gênero: Aventura, Ação
Lançamento: 20 de Abril 2018
Expectativa: 4/5

Revisão: Luigi Santana
Antonio Stark escreve para o PlayStation Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook