Blast from the Past

Tradição e novidade no remake Mega Man: Powered Up (PSP)

Mega Man é uma série que resistiu ao longo do tempo: o primeiro jogo foi lançado na década de 1980 para o saudoso NES e,  depois de vári... (por Diego Leon em 10/11/2013, via PlayStation Blast)


Mega Man é uma série que resistiu ao longo do tempo: o primeiro jogo foi lançado na década de 1980 para o saudoso NES e,  depois de vários títulos e spin-offs  a saga resiste bravamente até hoje. Para comemorar a saúde da série, nada melhor que um remake de qualidade do primeiro game lançado em 1987 – Mega Man Powered Up. O jogo conseguiu mesclar a tradição da série Mega Man com a modernidade dos gráficos potentes do PSP.


Desafio old-school

Mega Man é sempre lembrado pelos jogadores por causa do seu desafio elevado. Em Powered Up o desafio ainda permanece o mesmo, o que pode assustar jogadores casuais. São duas aventuras principais para o simpático robô azul. A opção Old Style é a recriação perfeita do primeiro jogo, mas com gráficos tridimensionais. Até os efeitos sonoros são os mesmos. Nesta opção, a tela do jogo será em 4:3, para manter a fidelidade com o anterior.

Não se engane com o visual - o desafio é alto!
Depois temos a opção New Style, que traz os mesmos estágios, mas totalmente remodelados, usando a widescreen e abusando de beleza gráfica. A novidade fica por conta dos novos inimigos Time Man e Oil Man. Outra adição é o modo Challenge, em que o jogador pode selecionar Mega ou seus inimigos para vencer desafios. Algumas das tarefas são passar a fase em determinado tempo ou vencer alguns robôs durante o percurso. É no Challenge que as coisas pegam fogo – se você gosta de dificuldade elevada, aqui é o seu lugar.

Há ainda um editor de fases em que o jogador poderá criar seus estágios. No início é um tanto difícil utilizar as ferramentas do editor, mas nada extremamente complicado. Os níveis criados pelo jogador também podiam ser disponibilizados pela internet.

E mais uma luta... agora contra Ice Man!

Aqui é clássico!

Um desafio pelo caminho!
Esqueça o carregamento do Mega Buster ou o dash: o game recria a experiência do jogo pioneiro do Mega, então estes movimentos estão ausentes. Tudo o que você tem são os tiros comuns do Mega Buster e muita perspicácia para enfrentar os desafios do game. Ao vencer os bosses, como é comum na série, o azulzinho conquistava os seus poderes. A estratégia atrás do título era encontrar a arma mais eficiente contra os chefes, já que cada um tinha uma fraqueza.

Ao terminar a campanha, era possível jogar com os robôs inimigos, o que recriava a experiência do game. Como cada um possuía características únicas, era necessário que o jogador entendesse os prós e contras de cada um. Como se vê, o desafio é alto e o replay também.


Para melhorar ainda mais a experiência, todos os personagens foram dublados, desenvolvendo melhor a personalidade de cada um. É interessante ver os diálogos entre Mega e a turma e ampliar o entendimento da história.

E por falar em enredo... não espere muito, pois ele é muito superficial. Dois cientistas, Wily e Light criaram robôs para ajudar a humanidade. No entanto, apenas Light recebeu crédito pelas criações, o que levou o invejoso Wily a roubar os robôs e tentar – adivinhe! – conquistar o mundo. Assim, cabe a Mega – e sua irmã Roll – deter Wily e seus outros irmãos!

Trilha sonora remixada sem perder o charme

Powered Up tem uma trilha sonora que já encanta na sua introdução. É incrível ver o empenho da Capcom de manter o clássico, mas ao mesmo tempo modernizar. A música de cada nível condiz com cada estágio e empolga a jogatina. Acho que é impossível não simpatizar com a trilha de jogo – é competente, animada, nostálgica. Tem um charme único.

A introdução já é cativante!

Simplicidade e diversão

Mega Man Powered Up pode assustar alguns por seu visual colorido e infantil, mas atrás dessa bonita máscara esconde-se um belo jogo de plataforma, com desafio alto, belas músicas e gráficos fluidos. Para os nostálgicos, é um jogo obrigatório. Para os da nova geração, é a oportunidade para conhecer o primogênito da série, no melhor estilo. E além disso, com o game a Capcom ensinou como um fazer um remake de qualidade – mais do que um caça-níqueis, o jogo amplia a experiência do NES e entrega diversão descompromissada, mas ao mesmo tempo muito profunda.

Revisor: Alberto Canen
Capa: Leonardo Correia

Diego Leon escreve para o PlayStation Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook