No lançamento de Gran Turismo 6 (PS3), batemos um papo com Bruno Senna e testamos as super máquinas no game e na pista

Nessa terça-feira fomos até o autódromo Velo Cittá, em Mogi Guaçu (SP), a convite da Sony, para conferir de perto a versão final de Gran T... (por José Carlos Alves em 06/12/2013, via PlayStation Blast)

Nessa terça-feira fomos até o autódromo Velo Cittá, em Mogi Guaçu (SP), a convite da Sony, para conferir de perto a versão final de Gran Turismo 6, lançado oficialmente hoje. Além do jogo em si, tivemos muitas outras atrações, entre elas uma entrevista com o piloto Bruno Senna, representando o Instituto Ayrton Senna, parceiro do jogo no Brasil. Confiram como foi!


Realizar o lançamento de um jogo de corrida num autódromo foi uma sacada e tanto, mas sabíamos que não estávamos ali apenas para ver o jogo. Havia algo a mais. O autódromo em si é muito moderno e conta até com uma pista off road, que faz parte do circuito da Mitsubish Cup no Brasil. O entorno era de uma linda área verde, o que dava ares de tranquilidade, onde escutávamos apenas o ronco dos motores. Um deleite para os amantes do automobilismo.

Logo que chegamos fomos para um salão, onde fomos recepcionados pela equipe da Sony. O local estava repleto de conjuntos PS3 + TV + GT6, além de dez cockpits alinhados à frente do palco. Podíamos testar livremente em seis dos dez cockpits disponíveis e nos consoles. Os quatro da frente estavam reservados para uma competição que premiaria o campeão com um cockpit daqueles! Além disso, outros prêmios foram concedidos até o sexto colocado, entre PS3, GT6 e documentários sobre Ayrton Senna. Nada mais justo, já que o Instituto Ayrton Senna é parceiro do jogo no Brasil, contando até com conteúdo do lendário piloto da F1 no jogo.
A apresentação no palco e dos cockpits à nossa espera!
Após esse primeiro impacto, o apresentador do evento nos passa o cronograma, e finalmente descobrimos o motivo de estarmos ali. Além de testar e competir no novíssimo Gran Turismo 6, daríamos uma volta no circuíto em um dos carros disponíveis no jogo, acompanhados de um piloto profissional! E como se não bastasse, o piloto Bruno Senna estaria presente ao final do evento, fazendo a premiação e concedendo entrevistas aos jornalistas presentes!
Alguns dos "brinquedos" disponíveis
Como fui um dos primeiros a dar a tal volta no autódromo, o teste do jogo ficou pra depois. Entre os diversos modelos presentes, entre Ferrari, Lamborghini, Porsche, Mercedes e Mitsubishi, fiquei, por sorteio, com uma BMW M3. Os pilotos nos davam todos os detalhes dos carros, desde suas configurações até sua dirigibilidade. A volta em si foi emocinante, chegando, em alguns pontos, a ultrapassar os 200km/h. Os carros ali alcançavam (muito) mais que isso, mas por questões de segurança os pilotos deviam se “conter”. Depois de completada a volta, existia a possibilidade de observar outras voltas no terraço dos boxes. Após alguns bons minutos de deleite, era hora de voltar ao salão e finalmente pôr as mãos na versão final de Gran Turismo 6.
Alguns dos pilotos presentes com o carro que "passeamos"
O jogo estava mais completo que a versão apresentada na BGS, pouco mais de um mês atrás. A jogabilidade está excelente, assim como a representação dos carros e suas respectivas características e noções de direção. Cada modelo traz suas diferenças, algo ainda mais detalhado do que o visto em GT5, o que era difícil de ser superado. O visual agrada muito, até nos cantos mais esquecidos das pistas, que estão bem fiéis. As intempéries também foram melhoradas, dando um toque a mais jogabilidade. Mas não podemos esquecer que o foco do jogo é dirigir, e como o “verdadeiro simulador de corrida”, nada melhor do que testá-lo no cockpit. Nele, a jogabilidade muda. A sensação era de estar num carro de verdade, já que tínhamos à nossa frente uma TV Full HD de 40”, acento em cunha, volante com regulagens e um excelente sistema de vibração e pedais bem precisos. As noções que temos de direção, aliadas ao nosso conhecimento gamístico, rende bons resultados nesse equipamento. Depois de algumas (muitas) tentativas, adquiríamos algum conhecimento sobre a pista e já aplicávamos isso à nossa tentativa. Lembrando que havia uma competição por um dos cockptis! Depois de baixar alguns segundos do meu tempo, aplicando os “truques” que aprendi ao longo das muitas tentativas, o resultado não foi o esperado e não consegui nenhum prêmio. Mas a sensação de repetir várias vezes a mesma pista, procurando onde melhorar seu tempo não deve ser muito diferente do que os pilotos fazem num simulador.

Antes do final tivemos a possibilidade de colaborar com a entrevista que nossos amigos da Gameworld fizeram com Bruno Senna, sobrinho de Ayrton e que ali representava o Instituto Ayrton Senna. Veja o que coneseguimos!

GameWorld/PlayStation Blast: Senna, hoje em dia você faz parte do automobilismo, já chegou à F1 e às principais categorias mundias de fórmula e turismo. Os jogos virtuais contribuíram de alguma forma para sua carreira como piloto profissional?

Bruno Senna: Os primeiros passos efetivos foram no kart, quando eu era ainda uma criança, na época os videogames ainda eram pouco desenvolvidos e ainda não existiam jogos que simulavam condições reais de corrida. Assim que os jogos foram se desenvolvendo, eu fui muito adepto aos simuladores. Teve uma vez que eu ia correr em Nürburgring (Alemanha) e eu joguei tanto nessa pista em Gran Turismo 4 que quando fui de fato pilotar lá, já conhecia todas as curvas devido ao realismo do jogo. Então, sempre fui fã da série e sempre fui adepto ao jogo para simular as condições de pista.

Além de talentoso, Bruno se mostrou
 muito simpático e receptivo
Você usa o Gran Turismo para estudar a pista, desenhar o melhor traçado, ver os melhores pontos para tirar vantagem durante as corridas?

Certamente, Gran Turismo apresenta uma grande variedade de pistas, muitas disponíveis no mundo todo, diferente dos primeiros jogos que surgiram em que as pistas do Japão e EUA eram o foco. Atualmente, a melhor coisa que tem para estudar uma pista, conhecê-la melhor, é fazer o uso de um simulador como o Gran Turismo, que tem uma física boa, com carros bem similares aos do mundo real. Então é possível aprender muito sobre as pistas, é possível ter uma noção bem próxima do real e de como o carro se comportaria na pista.

Em Gran Turismo 6 temos uma grande variedade de configurações para acertar o carro de acordo com cada corrida. Isso também chega próximo às condições dos acertos em um carro real?

No jogo você aprende bastante sobre os acertos do carro para melhorar a dirigibilidade no momento de uma disputa. Cada pista tem uma necessidade de acertos nos carros para render mais potência ou melhorar as tomadas de curva e isso é a parte mais interessante do jogo, a tendência é que isso melhore a cada dia. Um exemplo disso são os pneus: de acordo com o composto escolhido o aquecimento de pneu muda então você tem que descobrir a melhor forma de aquecer os pneus e utilizando essa ferramenta os jogadores de Gran Turismo poderão com o tempo chegar em uma pista real e saber exatamente como faz o aquecimento de pneus de um carro de corrida de verdade.

Você daria alguma dica para quem gostaria de sair do mundo do automobilismo virtual para o mundo do automobilismo real?

A melhor dica é se divertir com os simuladores, como Gran Turismo, entender sobre os conceitos que o jogo passa sobre as corridas e carros e tentar levar tudo isso para as pistas, mas não é só isso, é preciso entender sobre mecânica, se possível fazer uma faculdade ou curso para aprender mais os dados técnicos, até mesmo sobre física. Ou seja, ter um conhecimento da parte “chata” do processo, afinal ser um piloto não é apenas pilotar o carro, o piloto tem que fortalecer seu corpo e sua mente para conseguir dominar as forças exercidas por um carro de corrida de verdade.

Vai um Gran Turismo aí?
Após a entrevista, Bruno Senna se encaminhou para a premiação, chamando cada um dos seis primeiros colocados. Como prêmio bônus ao vencedor, ele disputou uma corrida com o mesmo em Suzuka, onde seu tio foi campeão de Fórmula 1. Como já era esperado, Bruno Senna ganhou a disputa com larga vantagem. Pra fechar o evento com chave de ouro, foi apresentada uma coleção de capacetes originais de Ayrton e logo em seguida foram servidos drinks temáticos, um deles com o logo da franquia em forma de espuma.
O campeão entre os jornalistas enfrenta o sobrinho do mito
Gran Turismo 6 está disponível hoje nas lojas para PS3 pelo valor sugerido de R$149,00, além de um bundle do console que acompanha uma cópia do jogo e um milhão para ganhar no jogo. Vale lembrar que parte da renda do jogo irá para o Instituto Ayrton Senna.

Para mais informações sobre esse grande lançamento, leia a Revista PlayStation Blast nº 18, que tem Gran Turismo 6 em sua capa!

Revisão: Vitor Tibério
Capa: Douglas Fernandes
José Carlos Alves escreve para o PlayStation Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook