Vem aí

Prévia: Mind Zero (PSVita) e seus mistérios vão mexer com a sua mente

Acquire e ZeroDiv, responsáveis pelas séries Tenchu e Class of Heroes, trazem um game com mecânicas semelhantes às da aclamada série Persona.

Lembra de Mind Zero? Aquele jogo legal para PlayStation Vita que, quando publicamos sobre ele aqui no PlayStation Blast, ainda não havia sido confirmado para as américas? Pois é, como bem sabemos ele vem sim pra esse canto do mundo e totalmente localizado em inglês.


Mind Zero trata-se de um típico dungeon crawler RPG: a ideia é explorar calabouços, coletando itens e combatendo adversários cada vez mais fortes enquanto a trama vai se desenrolando em um formato semelhante às tradicionais visual novels. No jogo, você controla Kei, um estudante de uma escola em Saitama, região próxima a Tóquio. Ao lado de seus amigos Sana, a esportista, e Leo, o desmiolado, ele descobre a existência de um mundo paralelo onde se pode controlar os MINDs, seres superpoderosos que podem, inclusive, ser utilizados como armas. É aí que o governo e outras forças ocultas entram em cena, saindo no encalço do trio de amigos e seus aliados.

O que são MINDs?
Os seres conhecidos como MINDs (Major Inner Node Displacement, algo como “Deslocamento Maior de Nodo Interno”, em tradução livre), são criaturas que vivem no Inner Realm. Agressivos por natureza, podem ser domados pelas suas contrapartes humanas do Outer Realm (o nosso mundo real) por meio da utilização de armas especiais. Essas armas permitem que os humanos firmem contratos com seus respectivos MINDs, possibilitando a utilização de seus poderes em batalhas contra seus inimigos.
A ação do jogo vai se desenrolar em dois mundos diferentes: o Inner Realm e o Outer Realm. O primeiro é onde vivem os MINDs, além de ser onde vai rolar a parte dungeon crawler do jogo. Já o Outer Realm é onde habitam os humanos, ou seja, o mundo real, e será aqui onde irá se desenrolar a trama em formato de visual novel. A receita parece familiar? Pois é, Mind Zero bebe da fonte da série Persona, da Atlus, e isso não é nem de longe uma coisa ruim.


Durante a exploração das dungeons, o jogo ficará em primeira pessoa, como nos primeiros Persona e em jogos como Starship Damrey. Quando você entrar em uma batalha, a visão muda para a terceira pessoa, exibindo seu time e os adversários. As lutas serão em turnos e, por isso, saber usar os MINDs pode ser a chave para o sucesso.

MINDs possuem muito MP (Mind Points), que funciona como um contador de vida dos monstros. Se esse contador chegar a zero, ocorre um MIND Break e seu personagem fica impossibilitado de usar a criatura por alguns turnos. Porém, como os humanos são mais frágeis e possuem poucos LP (Life Points), você vai poder usar seus MINDs como escudos. Diferente dos LPs, os MPs vão se recuperando aos poucos automaticamente, então pode ser uma boa poupar Kei e seus amigos e priorizar o uso dos MINDs durante os embates,seja atacando ou defendendo. Mas saiba equilibrar as coisas para não acabar em uma enrascada.


O PSVita tem recebido cada vez mais apoio, tanto das third parties quanto da própria Sony. Jogos como os recém-lançados Borderlands 2 e God of War Collection, além de lançamentos vindouros como Freedom Wars, Soul Sacrifice Delta, Akiba’s Trip e Sword Art Online: Hollow Fragment mostram que o portátil tem força e é merecedor de receber bons títulos. E Mind Zero não só é uma prova disso como tem potencial para ser um dos maiores sucessos do sucessor do PSP.

Mind Zero (PSVita)
Desenvolvimento: Acquire e ZeroDiv
Gênero: Dungeon Crawler RPG
Lançamento: 27 de maio de 2014
Expectativa: 4/5
Revisão: Jaime Ninice
Capa: Douglas Fernandes
Rodrigo Estevam é formado em Administração, mas seu negócio mesmo é jogar videogames. Além de escrever no PlayStation Blast, também é colaborador e colunista da Revista Nintendo World. Está no Facebook e no Twitter.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook