Persona 5 (PS3/PS4): Designer de personagens revela detalhes do jogo

Respondendo a perguntas de funcionários da Atlus, Shigenori Soejima trouxe à tona informações interessantes sobre o próximo Persona.

No booth da Atlus na E3 2016, Persona 5 era, de longe, o principal destaque, embora não estivesse jogável para o público. Ainda assim, a empresa preparou muita coisa para promover o próximo título da série, com destaque para uma ampla participação do designer de personagens Shigenori Soejima. Durante uma apresentação no palco principal da Atlus, Soejima falou muito sobre suas inspirações, processo criativo e ambientação de Persona 5. O papo revelou, por sua vez, alguns detalhes e curiosidades interessantes do game.

Começando Persona 5

Shigenori Soejima começou falando sobre o início da criação estética de Persona 5. Segundo ele, o design dos personagens partiu de ideias não utilizadas nos jogos anteriores, chegando até a concepção de personagens com identidades secretas de super-heróis. E foi exatamente esse o aspecto que norteou, inicialmente, a construção de cada personalidade: seus uniformes de herói. Para Soejima, primeiro veio a identidade dos personagens como figuras de um videogame para posteriormente construir suas identidades cotidianas.

Outro aspecto estrutural no design de Persona 5 é, naturalmente, a cor vermelha predominante. Para Soejima, trata-se de uma progressão natural da tendência da série de eleger uma cor para representar cada novo título. Persona 3 era azul, Persona 4 foi amarelo, Persona Q é roxo e, agora, Persona 5 é retratada como a cor da paixão para o designer. De acordo com ele, o vermelho retrata justamente a intensidade e a emoção na vida dos protagonistas.

Vivendo em Tokyo

Outro ponto abordado durante o bate-papo foi a ambientação metropolitana de Tóquio, onde o próprio Soejima vive. Um dos seus objetivos com a estética de Persona 5 era retratar Tóquio de forma convincente para aqueles que nunca visitaram a cidade, fazendo-os sentir como seria viver lá. Trata-se de um detalhe muito legal para nós, o público ocidental, uma vez que a realidade de Tóquio está muito longe do nosso cotidiano.

Também ficou nítido um esforço do designer em retratar o dia a dia dos japoneses da cidade. Para o Soejima, embora nenhum personagem de Persona 5 seja um retrato direto de uma personalidade do mundo real, a ideia é retratar seus trejeitos de maneira que estes sejam familiares para quem os conhecer através do jogo. Ele próprio se colocou para observar o cotidiano dos residentes de Tóquio, especialmente a forma como voltam do trabalho, utilizam o transporte coletivo, etc.

Construindo personagens

Quando perguntado sobre qual personagem Soejima acredita que será o mais famoso e icônico do jogo, o designer ressaltou que não há como prever a reação do público aos personagens. No entanto, ele percebe que a fama de um personagem não depende tanto de sua aparência, mas, na verdade, das interações que o jogador constrói com ele.

Ainda sobre os protagonistas de Persona 5, Soejima falou sobre a interrelação entre a construção da equipe de protagonistas e a construção de cada um individualmente. Segundo ele, ambos os processos se desenvolvem conjuntamente, de forma que o produto final é sempre muito diferente das metas iniciais. O designer também disse que frequentemente consulta outros companheiros de equipe sobre o design de personagens, algo que deve ajudar a alinhar a equipe em torno do mesmo projeto.

Afinal, qual é a dos fones de ouvido?

Muita gente se pergunta de onde vem o constante uso de fones de ouvido como elemento de design dos personagens de Persona. A resposta de Soejima foi bem interessante, pois revelou que não há um único motivo para isso. Na verdade, os fones de ouvido representam coisas bem diferentes em cada um dos títulos da série. Em Persona 3, é uma maneira de retratar a introspectividade e isolamento social do personagem. Já em Persona 4, os fones de Yosuke representavam sua relação íntima com o mundo ao redor, especialmente com as pessoas e com as novidades do momento. E quanto aos fones de Persona 5? Bom, isso é algo que Soejima quis que nós mesmos descubramos quando jogarmos o game.

Além da função dos fones de ouvido, o designer falou um pouco sobre o papel da música em si. As canções são um aspecto muito importante para a série Persona, segundo ele, especialmente com a utilização de faixas cantadas exclusivamente para o jogo. Nesse sentido, destacou que os fones de ouvido ajudam a estreitar os laços entre o design dos personagens e a música dos jogos.

Mudanças no espaço e tempo

Durante o papo, também foi perguntado como Soejima vê as mudanças na juventude japonesa que aconteceram desde o lançamento de Persona 4. Afinal, o designer procurou retratá-las nesse novo jogo? Segundo ele, não há muitas diferenças entre os estudantes do ensino médio de hoje e os de 2008. Para ele, a real mudança entre Persona 4 e Persona 5 diz respeito ao espaço geográfico, que saiu do local de intimidade suburbana para a frieza e impessoalidade da metrópole. Ainda assim, Soejima reconheceu a mudança no padrões comportamentais da juventude através das novas tecnologias e redes sociais.

Por fim, Soejima falou sobre o legado da série que Persona 5 carrega nas costas. Ele se mostrou nervoso em manter o padrão da franquia, ainda mais perante todos os outros veteranos da equipe de desenvolvimento. Mas, pelo que estamos conferindo, Persona 5 parece ser um excelente RPG e o design de personagens é um dos seus pontos mais altos. Com lançamento japonês no dia 15 de setembro de 2016 e 14 de fevereiro de 2017 nas Américas, Persona 5 é uma das maiores promessas futuras para o PS3 e PS4.

Revisão: Robson Júnior
Capa: Rafael Neves
Rafael Neves é estudante de psicologia na UFBA e planeja ingressar no mundo da literatura como escritor. A paixão por videogames e a vontade de escrever unem-se na experiência como jornalista do ramo. Também trabalha em sua HQ virtual. Encontre-o no Facebook.

Comentários

Google+
0
Disqus
Facebook