Death Stranding (PS4) abordará vida e morte, revela Hideo Kojima

Kojima diz que não existirá "Game Over" em seu jogo.

Depois do novo trailer de Death Stranding no The Game Awards e da menção de Mark Cerny de que os jogadores teriam que jogar de 4 a 5 horas para entender o jogo, Hideo Kojima revelou em entrevista ao IGN US, o que, afinal o tão esperado game vai abordar.

Segundo Kojima, desde o início da produção de videogames há 40 anos, o conceito de morte permanece igual. Quando o personagem morre, retorna para um momento anterior a sua morte, uma mecânica, que foi feita especificamente para que jogadores gastassem mais em fliperamas, por exemplo. A partir desta visão, Kojima revelou que um dos temas que seu novo jogo abordará é a vida e a morte.
"Um dos temas deste jogo é a vida e a morte. Quero que as pessoas percebam que quando morrem no jogo, não é o fim. O trailer, mostra o conceito. Sam (personagem de Norman Reedus) volta à vida depois do aparecimento daquele estranho colosso, mas não volta atrás no tempo."
Além disso, Kojima disse que não existirá "Game Over" em seu jogo. Quando o personagem morre, fica numa espécie de purgatório, ou seja, uma área explorável.
"Nestes momentos, Sam estará extraído de seu corpo e poderá recolher itens e outras coisas. Como visto no trailer, havia uma cratera e quando morrer ela ainda estará la. A maioria dos jogos levaria o jogador para um momento anterior a abertura da cratera. Dependendo da jogatina, poderão existir muitas crateras espalhadas."
Death Stranding ainda não tem data de lançamento definido, mas chega primeiro ao PlayStation 4 e posteriormente ao PC.

Fonte: IGN US
Tiago R. Herrmann é estudante de Sistemas de Informação, pesquisador voluntário em criptomoedas e desenvolvedor de jogos educacionais em Realidade Aumentada na UFSM. Gosta de explorar mundos abertos e de plataforma. Aloy e Rayman são seus melhores amigos nestas jornadas.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook