[E3 2018] A Sony e o começo do fim

A gigante nipônica está preparando o terreno para fechar o ciclo do PS4 com chave de ouro.


A E3 2018 se aproxima com rapidez e o hype em torno do evento vai se tornando cada vez maior. Com dois anos espetaculares em 2014 e 2015, a Sony tirou um pouco o pé do acelerador nos dois últimos anos, dando uma esfriada nos ânimos de quem já estava ficando acostumado com anúncios bombásticos.

Tendo de lidar com atrasos de grandes jogos no passado, como Uncharted 4 A Thief’s End e Horizon Zero Dawn, a empresa decidiu mudar seu modus operandi com relação aos anúncios, deixando datas para serem reveladas somente no momento que haviam certeza de que seus jogos estariam prontos para serem entregues. É claro que os atrasos ainda podem ocorrer, mas a estratégia é interessante e abre uma janela maior de ação para a empresa, que por sua vez evita frustrar os fãs com o adiamento de um jogo com data de lançamento revelada com um ano de antecedência, por exemplo.

Os quatro pilares da Sony

Quebrando um pouco a tradição, a própria Sony anunciou quais serão os jogos principais em sua apresentação na E3 2018. O PlayStation vem forte com quatro grandes títulos exclusivos do console: Death Stranding, aquele jogo que nem mesmo Hideo Kojima sabe o que é, mas que todos queremos; Ghost of Tsushima, novo projeto da Sucker Punch e do time por trás da franquia Infamous; Marvel’s Spider-Man, jogo do amigão da vizinhança cujo lançamento está marcado para sete de setembro; e a joia rara de Neil Druckman e da Naughty Dog, The Last of Us Part II.

É difícil prever o que irá acontecer durante a conferência, mas como todo bom evento de apresentação, nós, os fãs, podemos especular bastante. Death Stranding foi anunciado há dois anos e recebeu, até hoje, três trailers sem nenhum trecho de jogabilidade. Shawn Layden, presidente da Sony Interactive Entertainment America, afirmou já ter tido a chance de experimentar uma demo jogável do game. Seria este um indício de um possível trailer com gameplay? É tudo o que queremos, mas uma data definitiva parece ser uma aposta mais segura para a E3 2019.



Ghost of Tsushima, novo exclusivo produzido pela Sucker Punch com temática samurai e ambientado na era feudal japonesa, foi anunciado na Paris Games Week 2017 com um trailer cinemático. Os desenvolvedores disseram que o game está em desenvolvimento há três anos, então seria uma excelente escolha da Sony trazer uma demonstração jogável para sua conferência, assim como fez com God of War em 2016. Os fãs anseiam para saber mais sobre o game e também sobre como tem sido a transição dos desenvolvedores para um produto tão diferente de Infamous. Saem os super poderes, entram os samurais e a invasão mongol ao Japão. O longo período de desenvolvimento também pode indicar que o game não deve demorar muito a receber uma janela de lançamento, ou até mesmo a precisão da data específica em que será lançado.

Anunciado como um grande exclusivo do PlayStation 4, Marvel’s Spider-Man ficou incumbido à Insomniac Games, que já trabalhou com grandes projetos como Ratchet & Clank, Resistance e Sunset Overdrive. Essa é a chance de a Marvel mostrar que pode ter qualidade também nos games, algo que ela tem ficado devendo nos últimos anos. A data de lançamento está definida e muito já foi mostrado do novo jogo do aranha, então não há tantas surpresas assim à sua espera. Ainda assim, não podemos descartar eventuais novidades inesperadas que possam ter sido preparadas pela produtora justamente para o evento como, por exemplo, Miles Morales como Homem-Aranha, quem sabe?



E para fechar com chave de ouro, The Last of Us Part II. O que esperar da apresentação? Mais uma vez, difícil dizer, já que neste caso em específico não importa muito. Os fãs querem mais Ellie, mais Joel, mais estaladores. É a continuação de um game aclamado por público e crítica, e talvez o carro-chefe da Sony para os próximos anos. A expectativa é de que seu lançamento ainda demore, mas que novas informações sobre a história principal sejam divulgadas durante a apresentação. Dois trailers foram divulgados até hoje, e nenhum deles mostrou muita coisa, deixando os fãs fervorosamente curiosos e bolando inúmeras teorias na internet.



Incógnitas

A Sony ainda tem sob sua tutela alguns jogos com datas indefinidas mas em estado avançado de desenvolvimento. Days Gone, da Sony Bend, ainda não possui data de lançamento definida, mas recentemente foi foco de um extenso material jornalístico da Game Informer, que cobriu diversos aspectos do game, desde jogabilidade até narrativa, com vídeos extensos de gameplay publicados pelo veículo. Novidades podem ser divulgadas em breve, especialmente uma data definitiva de lançamento.

Dreams, da Media Molecule, é outro ambicioso projeto exclusivo de PS4 ainda sem estimativa de lançamento. Sendo sincero, neste caso a falta de data é interessante, visto que os produtores podem refinar sua ideia. A proposta de Dreams é dar ao jogador a chance de criar tudo aquilo que ele quiser, seja no aspecto da história ou da jogabilidade. É muita ambição e uma proposta frágil que, se não for bem executada, pode ser um fiasco.



Outros grandes estúdios da Sony possivelmente não darão as caras neste ano. A Sony Santa Mônica lançou recentemente o tão esperado God of War (PS4) e por isso dificilmente irá anunciar algo novo e de peso. A Guerrilla Games trouxe a expansão The Frozen Wilds  para seu Horizon Zero Dawn (PS4) ano passado, e  nos parece um pouco cedo para anunciar uma sequência. A franquia Killzone poderia dar as caras também, já que está em hiato desde o lançamento de Killzone Shadow Fall (PS4), em 2014. Resta ainda um possível anúncio de Bloodborne 2. O primeiro game foi lançado em 2015 e foi um sucesso tremendo, razão pela qual os fãs anseiam por uma continuação. Um teaser trailer de um projeto misterioso da FromSofware foi divulgado no The Game Awards 2017 e deixou os fãs especulando se era ou não Bloodborne 2, mas até a presente data nada foi confirmado a respeito.

Sozinhos não somos nada

Como nem só de exclusivos se vive um console, é certo dizer que muitos estúdios third-party estarão fazendo anúncios no palco da Sony. Nos últimos anos, vimos ótimas parcerias entre a gigante japonesa e franquias como Call of Duty e Destiny. Há grandes produtoras parceiras da Sony, como a Square-Enix, que pode aparecer com novidades a respeito de Final Fantasy VII Remake (sonhar não paga) e Kingdom Hearts III. Rumores apontam também para novidades de Resident Evil 2 Remake, da Capcom, visto que a produtora nipônica tem boas relações com sua conterrânea e seria uma grata surpresa ver RE2 aparecendo no palco do PlayStation.

Como é costumeiro, a presença de diversos estúdios indies também é esperada, com anúncios para todos os gostos e públicos, especialmente VR. E por falar em VR, talvez não seja ainda a hora de enterrar de vez o periférico. Embora ele não esteja alcançando as expectativas da Sony, ainda há um fio de esperança, mas talvez esta seja a última E3 em que a Sony realmente dê algum foco e destaque maior para a realidade virtual. E apenas para pontuar algo aqui: descanse em paz, PS Vita.

Ainda não, PlayStation 5

O PlayStation 4 se consolidou, com o passar dos anos, como um dos grandes consoles da oitava geração. Desde seu anúncio, a força do PS4 foi provada especialmente por sua grande gama de jogos exclusivos, que atendem a uma demanda cada vez maior e mais exigente de jogadores. Há sim algumas derrapadas aqui e ali, vide Driveclub e Gran Turismo Sport, mas o sucesso da plataforma é imenso, com aproximadamente 79 milhões de unidades vendidas/enviadas às lojas, de acordo com o VG Chartz.

Ainda que um novo console não deva ser descartado, a própria empresa já confirmou que não haverá a presença do sucessor do PlayStation 4 na feira deste ano. Sabe-se que o PS4 está entrando em sua reta final, como dito pelo Executivo-Chefe da Sony, John Kodera, mas com tantos grandes jogos ainda por serem lançados e uma grande base de jogadores instalada, seria uma decisão equivocada tirar o foco do PlayStation 4 neste momento.

Há tantas expectativas em torno da Sony neste ano, posto que não faltam títulos de peso para serem comentados, analisados e, finalmente, jogados. Sendo assim, não restam dúvidas de que esta é a chance da Sony conquistar o grande feito de oportunizar aos seus clientes o prazer de desfrutar de jogos de alto nível desde o início até o fim da vida de um console.

Fonte: VGChartz
Revisão: Bruno Ritter
Francisco Camilo é ex-viciado em platinas na família PlayStation e sonha em ser escritor no futuro. Divide suas jogatinas entre jogos de todos os tipos e partidas de Battlefield e Call of Duty.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook