Future Blast

Medievil (PS): o que esperamos de um relançamento da série?

Sucesso na era do primeiro Playstation, Medievil é um clássico jogo de plataforma e ação. O que podemos esperar da anunciada remasterização para o PS4?

Em um vídeo lançado em dezembro de 2017, foi anunciada a remasterização do jogo Medievil (PS) para o PS4, contando agora com gráficos 4K. Desde então, com a exceção de alguns poucos comentários não oficiais de membros da Sony, nenhuma informação foi divulgada. O que será que podemos esperar deste clássico sucesso do saudoso Playstation? Vamos explorar as possibilidades neste Future Blast.


Mas afinal de contas, o que é “Medievil”?

Lançado em 1998, é um jogo de ação e plataforma com visual que mistura elementos góticos e medievais. Os cenários e personagens sombrios e monstruosos são balanceados pelo bom humor, tornando a experiência uma espécie de caricatura de filme de magia e terror. Em Medievil, o jogador encontra esqueletos, bruxas, espadas mágicas e toda tipo de monstros em ambientações bem pensadas e cheias de desafios.
Capa do jogo Medievil

A história gira em torno do cavaleiro charlatão Sir Daniel Fortesque. No ano de 1286 no reino de Gallowmere, começou uma guerra contra o feiticeiro maligno chamado Zarok. Durante um combate contra o exército de mortos vivos do vilão, o protagonista foi morto com uma flecha em seu olho antes mesmo de poder entrar no combate.

Após um século desaparecido, o vilão consegue retornar, lançando um feitiço para trazer de volta o seu exército de mortos vivos sobre a agora pacífica Gallowmere. Entretanto, o azarado Sir Daniel também é revivido no processo, e o herói resolve utilizar esta segunda chance para obter status de herói e receber o reconhecimento na sua pós-vida. Agora contando com corpo consistindo em um esqueleto desmontável, cuja única parte viva é o olho direito, o protagonista deve se aventurar pelo reino para descobrir como derrotar Zarok.

Pontos fortes e potenciais melhorias

Apesar de não ser nada revolucionário, o enredo é bastante interessante e bem desenvolvido ao longo do game. Logo, uma remasterização não exigiria grandes mudanças no roteiro original. O mesmo vale para o design geral do jogo, que é marca registrada da série Medievil, que une de uma forma encantadora elementos de terror e humor com personagens originais e cenários envolventes, sempre com um nível de dificuldade elevado, mas justo. Bastaria apenas algum polimento para estes elementos serem relançados ao PS4.

Quanto às mecânicas do jogo, novamente as mudanças seriam mais em nível de adequação a nova geração. Isso porque o jogo já conta com uma estrutura bem sólida: ele conta com vários itens como espadas, arcos e inclusive uma magia que permite a Sir Daniel ter uma cabeça de dragão e cuspir fogo; há uma boa variedade de cenários e inimigos diferentes para desafiar o jogador; existem itens secretos e quebra-cabeças bem inteligentes para serem explorados.
O game original é cheio de ação e aventura
Talvez o ponto com maior potencial de aprimoramento (além das óbvias melhorias na qualidade gráfica e sonora) em Medievil seja a inclusão de missões extras e mais colecionáveis. Embora o jogo original conte com algumas opções além da história principal, eles não são tão numerosos, sendo que a adição de novos objetivos e itens secretos seria muito interessante.

A continuação no mesmo pacote?

O sucesso de Medievil lhe garantiu uma continuação em Medievil 2 (PS), lançado no ano 2000. Se passando 500 anos após o primeiro título, a história mostra como o feiticeiro Lord Palethorn descobre o livro de feitiços de Zarok, utilizando-o para criar um exército de mortos-vivos e dominar Londres. Novamente Sir Daniel também é revivido no processo, tendo que ajudar a derrotar o novo vilão em um mundo novo.
Capa do jogo Medievil 2
Este novo capítulo da série manteve as qualidades de Medievil, agora contando com novos e mais interessantes personagens em relação ao primeiro título, incluindo a bela múmia Kiya (pela qual o cavaleiro tem uma quedinha). O cenário, ainda com tom gótico, agora se baseia na antiga Londres da era Vitoriana. Neste “novo” tempo, o herói agora também  conta com pistolas e bombas, além dos itens mágicos e medievais. Novas mecânicas foram adicionadas, incluindo uma divertida luta de boxe. As lutas com os chefes e o bom nível de dificuldade continuaram marcando presença.
Kiya é o amor de Sir Daniel na pós-vida
Utilizando como base o game Crash Bandicoot N’sane Trilogy (Multi), do qual falaremos mais adiante, é bem provável que Medievil 2 seja incluso em um pacote com o primeiro título. Já que os games originais utilizaram a mesma engine, a remasterização também deverá ter um sistema comum, tornando o lançamento conjunto ainda mais natural. Uma ideia interessante seria uma “troca” de elementos entre os games, permitindo que alguns itens e mecânicas possam ser utilizadas nos dois jogos quando forem liberadas.

O primeiro relançamento e suas lições

Em 2005, o game Medievil: Resurrection foi lançado para PSP. Consistindo em uma espécie de remasterização do jogo original, a história e as mecânicas principais se mantiveram as mesmas. Entretanto, a maioria das modificações não foi adequada, resultando em uma recepção inferior a encontrada no lançamento do título original.
Medievil Resurrection deixou os fãs esperando por mais
Boa parte do design saído dos filmes de terror e do “humor macabro”, característicos da série, foi suprimido, deixando o game mais leve. O final alternativo, que premiava os jogadores colecionistas, foi removido, assim como algumas fases, sendo que outras foram bastante modificadas. Essas alterações na estrutura básica de Medievil mostraram que mexer na “alma” do jogo não é um bom caminho para a nova remasterização.
Apesar de alguns pontos negativos, Resurrection ainda é um jogo divertido
Apesar destas críticas, houveram boas adições ao game. Uma delas foi a utilização de minigames, que inclusive podiam ser jogados online. Para o novo jogo, este seria um elemento interessante, aumentando ainda mais as possibilidades com a interação entre jogadores. Também houve a integração de uma história secundária, tornando a experiência um pouco mais profunda e cheia de possibilidades. Espera-se que estas ideias sejam lembradas para o novo lançamento.

Basta seguir os bons exemplos

Voltando ao game Crash Bandicoot N’sane Trilogy, lançado em junho de 2017, quem jogou o título (e os originais) pode comprovar que a nova interpretação do marsupial mais famoso dos games é basicamente a mesma experiência original, porém aperfeiçoada com todos os recursos que a nova geração do Playstation dispõe. As poucas adições feitas não alteraram aquilo que tornou a série tão popular entre os gamers.


N'Sane Trilogy é um bom indicativo do que podemos esperar da volta de Medievil
Dado o sucesso deste jogo, podemos concluir que esta provavelmente é a melhor estratégia: utilizar os melhores recursos disponíveis na atualidade sem modificar as qualidades que fizeram Medievil ser tão querido pelos fãs e respeitado pelos gamers. Elas incluem um nível de dificuldade bem balanceado, jogabilidade divertida e um universo único, cheio de magia, personagens e ambientações cativantes e que mistura o macabro com o humor. A adição de novos itens, fases e missões extras, além de um modo online, seriam as potenciais modificações que tornariam o game ainda melhor.
O cavaleiro em alta definição como combatente em Playstation All-Star Battle Royale (Multi)
O lançamento de Spyro Reignited Trilogy (Multi), em setembro, dá ainda mais suporte a esta hipótese. Como se pode observar pelos vídeos divulgados, boa parte dos games originais do pequeno dragão está mantida, agora com uma “roupagem” digna da tecnologia da nova geração do Playstation. Esta seria a melhor tática para relançar a série Medievil para novos jogadores sem perder a base já existente.

O negócio é esperar pra ver

A série Medievil é uma das melhores de ação e plataforma do bom e velho Playstation. O anúncio da remasterização da franquia encheu os fãs de expectativa de jogar novamente com o atrapalhado cavaleiro Sir Daniel Fortesque, agora no poderoso PS4. Utilizando como base o excelente N’Sane Trilogy e o promissor Reignited Trilogy, esperamos que este reboot mantenha os padrões dos games originais: personagens interessantes, ótimas mecânicas de jogo e um equilíbrio (quase) perfeito entre desafio e diversão.
Sir Daniel está pronto para levantar mais uma vez!


E você? O que espera desta remasterização? Será que Sir Daniel irá ressuscitar para mais jogos de sucesso? Deixe seu comentário.
Matheus Senna de Oliveira é um grande fã da décima arte, embora ultimamente não tenha tido muito tempo disponível para ela. Seus games favoritos (que formam uma longa lista) incluem: Kingdom Hearts, Guitar Hero, Zelda, Crash, FIFA, COD, Pokémon, MvC, Yu-Gi-Oh, Resident Evil, Bayonetta, Persona, Burnout e Ratchet & Clank. Caso tu tenhas gostado da matéria que ele escreveu, é possível encontrar mais algumas no blog dele.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook