Blast from Japan

Naruto: Shinobi no Sato no Jintori Kassen (PS1) é o banco imobiliário dos ninjas

O título relembra a primeira temporada do desenho japonês e é inspirado em jogos de tabuleiro.



Popular entre shinobis, kunoichis e muitos brasileiros que cresceram na década passada, Naruto é o maior sucesso do escritor Masashi Kishimoto. Além de ter dado origem à aclamada série animada, o mangá também serviu como inspiração para vários jogos eletrônicos. O primeiro título da franquia em consoles de mesa foi Naruto: Shinobi no Sato no Jintori Kassen (PS), uma espécie de jogo de tabuleiro virtual que foi lançado em 2003 e nunca saiu do Japão.

Volte duas casas

No geral, a proposta do título lembra bastante a de jogos de tabuleiro como Banco Imobiliário ou Monopoly. As partidas podem ter até quatro participantes, que giram uma roleta para se movimentar e começam com 2000 pontos de chakra para dominar espaços do mapa. As casas conquistadas ficam marcadas pela cor do jogador, e qualquer outro que pisar ali precisa pagar com uma determinada quantia de chakra. Se você cair em um espaço que já é seu, pode usar um jutsu para melhorá-lo e fazer com que os demais ninjas percam ainda mais pontos ao parar nele.



O diferencial de Naruto: Shinobi no Sato no Jintori Kassen (PS), em relação aos jogos de tabuleiro tradicional, está em suas batalhas animadas. Quando um jogador para no ponto de outro, ele pode escolher entre pagar a quantidade de chakra daquela unidade ou contestar o espaço. Escolhendo a segunda opção, uma luta começa e cada ninja deve selecionar uma técnica de ataque. O jogador vencedor fica com a casa, mas, se o desafiante perder, deverá pagar chakra em dobro. Os confrontos também acontecem quando dois personagens se cruzam.



Os requisitos para vencer uma partida variam de fase para fase. No primeiro capítulo da campanha principal, por exemplo, ganha quem juntar 3000 pontos primeiro. Além de acumular chakra conforme os demais ninjas pisam em casas dominadas, o jogador pode dar uma volta completa no tabuleiro para ser recompensado de acordo com a quantidade de espaços que possui. Um dos poucos terrenos que não pode ser comprado é o do kanji vermelho, que dá cartas aos ninjas que passam por ele. Essas cartas podem ser usadas para causar efeitos diversos, como aumentar um pouco o próprio chakra ou limitar os movimentos dos adversários.


Viagem até a Vila da Névoa

O principal modo de jogo em Naruto: Shinobi no Sato no Jintori Kassen é a campanha principal, que narra o começo dos eventos do anime clássico e desbloqueia a maioria dos personagens que podem ser usados no multiplayer. O jogador precisa passar por cerca de 10 fases e lutar contra vários ninjas famosos do desenho, como os misteriosos Haku e Zabuza. A jornada pode parecer curta, mas, por se tratar de um jogo de tabuleiro, a pouca quantidade de fases acaba sendo compensada pela longa duração das partidas.

O segundo modo de jogo da adaptação é o multiplayer, que deixa até quatro personagens participarem da mesma partida. O lado bom é que mesmo que você não tenha quatro controles ligados ao console, todos os ninjas podem ser controlados pelo mesmo Dualshock. Logo, assim como a grande maioria dos jogos de tabuleiro convencionais, que incentiva a participação de várias pessoas, esse é o modo que mais vale a pena para amigos que queiram se desafiar ou enfrentar a inteligência artificial da CPU.

Jutsu em pixel art



O primeiro jogo de Naruto em consoles de mesa aposta na simplicidade dos gráficos 2D para remontar cenas da primeira temporada do anime. Mesmo que o visual não seja nada surpreendente para o hardware do PlayStation, o universo dos ninjas consegue se adaptar muito bem aos pixels. Não falta qualidade no visual dos cenários e personagens, mas o destaque são as cutscenes de batalha e do modo história - que usam as animações para simular a leitura de um mangá e incluem as vozes da dublagem original. Ver Iruka sendo atingido pela shuriken gigante de Mizuki, por exemplo, é quase tão emocionante quanto assistir ao episódio inicial da série.

Harakiri animado



Considerando que Naruto: Shinobi no Sato no Jintori Kassen foi lançado poucos meses antes de Naruto Shippuden: Ultimate Ninja (PS2), é fácil entender porque a Bandai decidiu não levar o game para o resto do mundo. O título é focado em um segmento muito específico, o de fãs de anime e de jogos de tabuleiro, e chegou ao mercado quando o PlayStation 2 já era o centro das atenções. Por não ter nada de especial em relação a qualquer outra adaptação da franquia, a experiência com esse título só vale as barreiras da linguagem para quem deseja relembrar o desenho animado e não tem nada mais moderno que o primeiro console da Sony.
Clercio Rodrigues é paulista, tem 21 anos e está prestes a se formar em jornalismo pela UFRN. Apaixonado por videogames desde a infância, nunca perde a chance de competir em jogos de luta e pode ser encontrado no Twitter.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook