Jogamos

Análise: Faça parte da perigosa caçada ao lendário tesouro de El Dorado em Uncharted: Drake's Fortune (PS3)

Em novembro do ano de 2007, quando o PlayStation 3 ainda carecia de jogos que o tornassem um console must-buy , a desenvolvedora Naughty ... (por Samuel Coelho em 14/05/2013, via PlayStation Blast)

Em novembro do ano de 2007, quando o PlayStation 3 ainda carecia de jogos que o tornassem um console must-buy, a desenvolvedora Naughty Dog publicou o primeiro título da hoje mundialmente aclamada série Uncharted. Revivendo nos games aquele atraente estilo de narrativa leve e descompromissada à la seção da tarde, abundante de uma atmosfera de aventura, ação desenfreada e muita confusão, a desenvolvedora estadunidense nos entrega um jogo no qual devemos explorar os segredos de um lado fictício da vida de Sir Francis Drake, que envolve os mistérios por detrás de uma lenda secular, um tesouro de valor incalculável e uma terrível maldição conjurada por uma civilização antiga.

Descendente autoproclamado

Em Uncharted: Drake's Fortune controlamos Nathan Drake, um carismático e jocoso caçador de tesouros que se autoproclama descendente do famoso capitão e pirata britânico, Francis Drake. 

O jogo se passa nos tempos atuais, e começa com Nathan e uma jornalista chamada Elena Fisher realizando uma perigosa busca clandestina nas águas de um oceano localizado nas proximidades do Panamá. Essa exploração acaba levando-os a tomar posse de um diário oficial de Sir Francis Drake contendo anotações a respeito de um tesouro envolvendo a misteriosa lenda de El Dorado. Não demorará nada para que essa dupla e um de seus aliados, o parceiro maior e tutor mulherengo de Nathan, Victor Sullivan, acabem participando de uma grandiosa e perigosa caçada envolvendo piratas modernos, larápios, tratantes e trambiqueiros, com todos em busca do tesouro escondido de Drake, que diz respeito à antiga lenda da cidade de ouro.


Para figurar a aventura tem-se um excelente time de personagens. Carismáticos, marcantes, críveis e divertidos, eles conseguem, sem quebrar o clima de suspense e ação típico dos filmes de séries como Indiana Jones, Piratas do Caribe e A Múmia, tirar uma graça praticamente de minuto a minuto com as coisas perigosas e/ou macabras que acontecem ao seu redor. Uma ótima adição que ajuda a desenvolver a narrativa de uma forma ao mesmo tempo leve e cheia de ação.

Em busca do tesouro 

Como jogo, Uncharted: Drake's Fortune se desenrola de maneira simples e direta. Controlando Nathan sob uma perspectiva em terceira pessoa, o jogador é lançado a toda hora em basicamente dois tipos de situação: uma que envolve tiroteios em terceira pessoa contra hordas de bandidos, e outra que se desenvolve em estilo plataforma, com bases de mecânica inspiradas (só que simplificada e melhorada em alguns aspectos) nas de títulos das séries Prince of Persia e Tomb Raider.

Durante os tiroteios, que são muitos, e às vezes um seguido do outro, você fará uso de um variado arsenal de armas e de uma limitada, mas realista, capacidade de inventário, que contrasta um pouco com a capacidade nada realista mas muito bem-vinda que Nathan possui de se auto-regenerar enquanto evita receber danos.

A mecânica de ação dessas partes é muito boa. O sistema de mira é funcional, os inimigos são inteligentes e graficamente bem representados, e você, além de poder atirar, pode realizar alguns combos − que caso sejam aplicados com sucesso até o fim, garantem instantaneamente a derrota do oponente acertado.


Essa combinação de estilos de jogabilidade realizada de forma simples e dinâmica é algo muito bom, e permite que o jogador domine de forma rápida e intuitiva quase tudo da mecânica do jogo, passando logo a aproveitar a experiência como algo imersivo e intuitivo, quase totalmente guiado pelos eventos da narrativa.

Vale notar que, como adendo não muito significativo, há no jogo uma série de tesouros colecionáveis. Contextualmente, esses itens são de pouca importância e podem ser completamente ignorados. Mas aqueles que, como este redator, gostam de completar cem porcento de tudo o que um título tem a oferecer, com certeza se sentirão facilmente enredados pela busca dos (quase) sessenta artefatos que estão espalhados pelas fases de Drake's Fortune.  

Santa qualidade técnica!

Quando este Uncharted foi lançado, seus gráficos receberam através de muitos a fama de serem os melhores da geração até aquele ponto. E de fato esse mérito merece respeito. Com um cenário de natureza exuberante, lotado de elementos dinâmicos de luz e sombra, várias camadas de textura fotorrealista desenhadas à mão, e com um notável nível de qualidade superior em suas animações, a estreia de Nathan Drake no mundo dos games realmente elevou os padrões da indústria em qualidade técnica para aquela época.

No decorrer da aventura, não se impressione se você, em alguns momentos, quiser ficar parado e mesmerizado apenas para observar a beleza das paisagens do jogo. Os cenários são muito bonitos, e contam com uma das mais fantásticas renderizações em tempo real de água já vistas até hoje em um videogame, tão boa que é capaz de fazer você ficar com vontade de fazer xixi só de olhar.

Nasce uma franquia de sucesso

Uncharted: Drake's Fortune chegou na hora certa ao até então recém-lançado PlayStation 3 para agradar apreciadores, e nem tão apreciadores assim, do gênero ação/aventura. Elevando os padrões técnicos da indústria e aliando sua narrativa leve, dinâmica e envolvente a um gameplay simples e intuitivo, o título consegue, apesar de apresentar alguns problemas de repetitividade, criar uma experiência vivaz e instigante, que o manterá ligado ao universo do jogo ao longo de pelo menos oito horas. E este é apenas o começo. Atualmente, a franquia Uncharted é um fenômeno mundial de enorme sucesso, que já se desenvolveu por cinco games, um romance e uma história em quadrinhos lançada em seis volumes. Se você é fã de jogos e narrativas de ação/aventura e ainda não teve um contato maior com a série, não perca tempo. Jogar Uncharted: Drake's Fortune é satisfação garantida.


Prós

  • Narrativa leve, dinâmica e envolvente;
  • Personagens inesquecíveis;
  • Elementos de gameplay variados, que se integram de forma natural e intuitiva;
  • Gráficos espetaculares (com destaque para as animações de personagens e renderização de água);
  • Trilha sonora bem ajustada ao tom da aventura.

Contras

  • As muitas hordas de inimigos que às vezes somos obrigados a enfrentar podem tornar o gameplay um pouco maçante.
Uncharted: Drake's Fortune - PlayStation 3 - Nota: 8.0

Revisão: Vitor Tibério
Capa: Diego Migueis


Samuel Coelho é apaixonado por literatura, música, filosofia e arte digital. Ex-aluno de Ciência da Computação na UFPa, ator amador e notívago inveterado, ele passa noites e noites em claro se afogando em tudo o que o fascina. Encontre-o no Facebook ou no Twitter.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook