Blast from the Past

Relembre a primeira aventura 3D do popular robô azul em Mega Man Legends (PS)

A transição da era 16-bit para a 32-bits teve como uma das características marcantes a melhoria do poder gráfico dos consoles. Por conta d... (por Farley Santos em 22/01/2014, via PlayStation Blast)

A transição da era 16-bit para a 32-bits teve como uma das características marcantes a melhoria do poder gráfico dos consoles. Por conta disso, várias franquias receberam novas versões com visual completamente tridimensional, com sucesso e recepção variados. Mega Man, o icônico robô azul da Capcom, manteve-se no mundo 2D até 1997, quando Mega Man Legends foi lançado para PlayStation no Japão (e um ano depois no resto do mundo). O título de aventura 3D, que se passa muitos anos depois de vários outros jogos da série, reimaginou completamente o herói, introduzindo elementos de aventura e RPG.

O explorador de ruínas

O mundo em um futuro distante é bem diferente. Boa parte da superfície terrestre foi coberta por água e a humanidade vive em ilhas. Por conta da pequena extensão de terra disponível no planeta, as pessoas encontraram formas alternativas de gerar energia. A solução foi utilizar refratores, que são cristais deixados por civilizações antigas. Estes artefatos normalmente se encontram em ruínas e cavernas. Por conta disso, apareceram os diggers (ou escavadores), indivíduos que exploram estes locais em busca de refratores de energia.

Mega Man Volnutt é um destes diggers. Ele vive com sua família adotiva, composta de Barrell Caskett e sua neta Roll Caskett, além do pequeno robô Data. O grupo está em busca do Mother Lode, um tesouro lendário que supostamente tem energia suficiente para abastecer todo o mundo sozinho. A aventura deles começa quando o Flutter, a nave voadora do grupo, quebra. Volnutt e seus amigos se encontram presos na ilha Kattelox, pois o local não tem as peças necessárias para concertar a nave. A única solução é explorar as ruínas da ilha com a esperança de encontrar materiais para a construção das peças. Além de ter que lidar com isso, o grupo tem também que repelir os inúmeros ataques da família de piratas aéreos Bonne.
Mega Man Volnutt, Roll Caskett e Tron Bonne

Uma aventura variada

Mega Man Legends é bem diferente de seus predecessores 2D. Enquanto o foco nos títulos clássicos era a ação, aqui o foco é exploração. A principal missão de Volnutt é investigar as ruínas atrás de materiais e tesouros, mas ele também é livre para ir aonde quiser pela ilha. O personagem ainda tem seus movimentos característicos, como atirar e pular, mas de maneira limitada, por ele ser humano. Outra diferença se dá na progressão: as ruínas são repletas de puzzles e não são lineares. Fora das ruínas, é possível visitar lojas, conversar com pessoas e fazer missões paralelas.

O combate de Mega Man Legends utiliza um sistema de trava de câmera, popularizado por The Legend of Zelda: Ocarina of Time (N64,1998). Com um toque de um botão, Volnutt concentrará sua atenção em um único inimigo, sendo possível atacá-lo sem perdê-lo de vista. O personagem usa primariamente a Buster Gun, arma que atira projéteis simples. Conforme avança pelas ruínas, é possível montar armas especiais de efeitos variados. Mega Man Volnutt conta também com um escudo que absorve dano básico e se recupera automaticamente após algum tempo.

Como todo título de aventura com toques de RPG, Mega Man Volnutt torna-se mais forte conforme progride na aventura. Além de receber mais pontos de energia, o herói pode equipar inúmeros itens, como armas, capacetes e melhorias, cada um desses oferecendo vantagens únicas. A Buster Gun, arma principal de Volnutt, pode ser customizada. Vários atributos dela, como força, distância dos projéteis e velocidade de recuperação podem ser alteradas por equipamentos. As armas especiais funcionam de maneira um pouco diferente: Mega Man só pode carregar uma arma especial por vez e só pode trocá-la ao conversar com Roll. Assim como a Buster Gun, as armas especiais também podem ser melhoradas.

O difícil início de uma nova série

Infelizmente Mega Man Legends não foi sucesso de vendas. Keiji Inafune, seu diretor e idealizador, diz que o motivo disso foi o fato do jogo ter sido lançado cedo demais, o que resultou em falta de polimento. Mesmo com esse problema, o título recebeu várias críticas positivas e criou uma legião de fãs. Ele foi portado também para Nintendo 64 e PC, mas estas adaptações foram duramente criticadas por conta da baixa qualidade. O PSP também recebeu uma versão do jogo, mas ela não foi lançada no Ocidente.

A franquia se tornou tão popular que vários outros títulos nesse universo foram produzidos. Personagens como Tron Bonne e Mega Man Volnutt também apareceram em títulos recentes a exemplo de Tatsunoko vs. Capcom: Ultimate All-Stars (Wii), Ultimate Marvel vs. Capcom 3 (PS3/X360) e Project X Zone (3DS). E vocês, tiveram a oportunidade de jogar Mega Man Legends? Quais são suas memórias desse jogo?

Revisão: Alberto Canen
Capa: Leonardo Correia

Farley Santos é brasiliense e gosta de explorar games obscuros e pouco conhecidos. Fã de Yoko Shimomura, Yuzo Koshiro e Masashi Hamauzu, é apreciador de boardgames, game music, fotografia e livros. Além de mostrar seus cliques no Flickr, tem também um blog onde escreve sobre inúmeros assuntos.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook