Perfil

HADES, o destruidor da vida

Horizon Zero Dawn (PS4) traz mais que belos gráficos; traz a conquista das máquinas e de seu corruptor, Hades.

Horizon Zero Dawn (PS4) foi desenvolvido pela Guerrilla Games e lançado pela Sony Interactive Entertainment em 28 de fevereiro deste ano. Sua temática nos mostra um futuro apocalíptico no qual as máquinas dominaram o mundo e os seres humanos restantes vivem como homens da caverna. Com esse tema, o jogo nos traz um vilão surpreendente, que iremos conhecer adiante. O texto a seguir contém spoilers; leia por sua conta e risco.


Nascimento de GAIA

Theodore Faro, magnata fundador da Soluções Mecânicas Faro, desenvolveu robôs para fins militares que se alimentavam do planeta e conseguiam hackear outras máquinas, convertendo-as. Porém, um glitch causado neste projeto fez com que as máquinas se rebelassem contra seus criadores, levando a humanidade à quase extinção.


Com a dominação das máquinas uma iminência, a Dra Elisabet Sobeck iniciou um projeto chamado de Zero Dawn. Esse projeto visava a preservação da vida e do planeta através de um processo de terraformação, após os robôs infectados pelo glitch parassem de funcionar. Lutando para sobreviver da melhor forma possível, um time de cientistas criou uma inteligência artificial chamada de GAIA, que teria a função de restaurar a vida na Terra.



HADES e GAIA

GAIA era a esperança da humanidade, ela buscava restaurar a Terra e a humanidade que haviam sido devastadas pela praga de máquinas. Para auxiliá-la nessa árdua tarefa, seus criadores lhe deram funções subordinadas com diferentes objetivos, entre elas: AETHER, APOLLO, ARTEMIS, DEMETER, ELEUTHIA, HEPHAESTUS, MINERVA, POSEIDON e HADES.

HADES era o último recurso do programa. Ao perceber que determinadas condições foram encontradas, ele destruiria toda a vida no planeta e passaria o controle para GAIA iniciar o processo de terraformação novamente. Esse equilíbrio se manteve por diversas vezes, sendo, no entanto, quebrado quando um sinal de origem desconhecida chegou até GAIA.


Tal sinal permitiu que as subfunções de GAIA se tornassem conscientes e agissem de forma incomum. HADES tentou tomar controle da terraformação, e, para impedi-lo, GAIA destruiu um reator, na esperança de destruir suas funções subordinadas. HADES, no entanto, lançou um vírus, que conteve a explosão, até que ele conseguisse escapar.

Sombra enterrada

Verificando que apenas sua antiga instalação podia mantê-lo funcionando, HADES foi forçado a viver dentro de um dos antigos robôs Faro. Ele diminuiu todas as funções e começou a emitir um sinal, esperando que alguém inteligente o encontrasse e o ajudasse. Essa ajuda veio na forma de Sylens, um homem que apenas buscava conhecimento sobre os antigos.


Sylens havia encontrado um Foco, acessório usado no olho que possui diversas funções, e foi através dele que o homem encontrou HADES. Usando os conhecimentos que a inteligência artificial possui, Sylens conseguiu consertá-lo e fez um acordo com HADES: a inteligência lhe ensinaria tudo que soubesse, enquanto o homem lhe daria um exército, armas e tecnologia.


Sylens começou a aprender com HADES e criou uma rede para o vilão que se conectava a diversos Focos que ele havia achado e consertado. Com o tempo, o homem ganancioso deu a HADES um exército de fanáticos que acreditavam que a inteligência artificial era uma espécie de deus que havia em uma de suas lendas, e HADES começou a ser chamado de Sombra Enterrada.

Aproveitando a engine

O ícone de HADES é baseado no logo de Decima, a engine usada para rodar o jogo, esse mesmo ícone é usado pelos cultistas que adoram o vilão. A inteligência artificial não possui um corpo físico, sendo demonstrada em forma de energia e dominando qualquer robô possível para sobreviver, possuindo principalmente os robôs Faro.


HADES foi baseado no antigo deus grego que governava o submundo e os mortos. Isso é verificado e compartilhado em sua função: exterminar tudo e permitir a GAIA recomeçar o processo de terraformação. Nos primeiros estágios de criação do vilão, seu nome era ARES, baseado no antigo deus grego da guerra, porém, essa idéia foi logo abandonada.


O futuro da sombra enterrada

O vilão, com medo de ser derrotado pela jovem Aloy, a protagonista que carrega os genes de Elisabet Sobeck, tenta desesperadamente matá-la, porém, falha em sua tentativa. Logo após sua derrota pelas mãos da jovem, HADES aparece em sua forma de energia e é capturado por Sylens no que parece ser uma gaiola. Sylens aparece em frente a uma ruína, talvez buscando conhecimentos ainda mais profundos em outras partes do reino.

Em futuros títulos da série, é possível que a subfunção de GAIA apareça e nos mostre novamente o terror que pode causar, talvez em um corpo ainda mais assustador e poderoso. O vilão foi marcante e se encaixou perfeitamente nessa belíssima trama. Ter um vilão que na verdade é uma máquina buscando realizar sua função nos ajuda a questionar para qual futuro estamos indo. Espero que em um segundo jogo o próximo vilão fique ainda mais interessante.


Revisão: Bruno Alves
Antonio Stark escreve para o PlayStation Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook