Blast from the Trash

Mova-se até o lixão com o imprestável PlayStation Move

A Sony é uma das empresas mais importantes do mundo e fez muita coisa boa em sua extensa história nos videogames, mas vamos ser honestos a... (por Unknown em 25/07/2013, via PlayStation Blast)

A Sony é uma das empresas mais importantes do mundo e fez muita coisa boa em sua extensa história nos videogames, mas vamos ser honestos aqui: uma coisa que a companhia nunca soube fazer é criar um controle por conta própria. Não sou o maior fã daquele dito popular “a Nintendo cria e a Sony copia” mas no que diz respeito a joysticks é impossível negar essa frase. No caso do PlayStation Move então, a coisa fica ainda mais complicada, pois não dá para não enxergar as similaridades entre ele e o Wii Remote. Na verdade, é bem claro que o controle da Sony só foi criado para tentar sugar um pouco da absurda popularidade do console da concorrente, o mais vendido da geração.

Aaah, nada como as ideias sempre
tão originais da Sony...
O que a Sony não estava esperando é que os jogadores casuais iriam embora do mercado tão rápido quanto chegaram, e que a vinda tardia do seu controle de movimentos iria chamar menos compradores que uma Playboy da Palmirinha. Desse modo nós, pobres jogadores, tivemos que aturar o lançamento de um acessório que já nasceu mais morto que o PlayStation Vita: o controle mais inútil do qual já se teve notícia, o assunto do nosso Blast from the Trash de hoje, o completamente podre PlayStation Move.

E3, o palco da vergonha

Sentiram saudades? O mascotinho da
coluna finalmente deu as caras no PSB!
A maior feira de videogames do mundo parece ter sido eleita o palco ideal para expor o PlayStation Move ao ridículo. As conferências centradas no aparelho são tão fedorentas que teria sido mais adequado colocar o nosso cocozinho mascote da coluna como apresentador. Tudo começou lá na E3 2009, em um dos momentos mais constrangedores de todos os tempos, quando a Sony ainda fingia que iria apoiar o PlayStation Move a gente fingia que acreditava no potencial dessa cópia do controle do Nintendo Wii. Sofra com o vídeo de apresentação:
Não sei ao certo se devemos levar muito a sério um acessório cujo atrativo principal é uma bolinha que muda de cor. Numa citação direta do vídeo, “Imagine um jogo de RPG no qual você lança um feitiço de fogo e o controle fica vermelho”. Uau, que revolução! Quem nunca quis isso num videogame? Esqueça os avanços na narrativa de jogos como Metal Gear Solid, Heavy Rain e The Last of Us. Deixe de lado os fascinantes mundos abertos dos clássicos da Rockstar como Red Dead Redemption e Grand Theft Auto. O futuro dos jogos está em tratar os jogadores como filhotinhos de cachorro que só querem correr pela sala atrás de bolinhas coloridas

O nada maravilhoso Wonderbook

"E isso é o que você deve jogar
se for um idiota."
Se você achava que as coisas não podem ficar piores do que a E3 2009, não deve ter assistido à pútrida apresentação do PlayStation Move na E3 2012. A conferência desse ano caminhava muito bem, obrigado, e todo sonysta que se preza estava ansioso por mais novidades de The Last of Us e Beyond, mas o que recebemos? Uma risível apresentação com mais de quinze minutos do “jogo” Wonderbook.

Que fique claro, não tenho nada contra videogames infantis, e na teoria era até bacana a ideia da Sony de tentar fisgar os fãs da famosa saga literária de J.K. Rowling, mas assistir a muitos e muitos agonizantes minutos de crianças lutando contra controles que pareciam não funcionar direito não foi exatamente a melhor ideia de marketing da história. E é claro que quando o jogo foi finalmente lançado descobrimos que a nossa primeira impressão estava correta e que nenhuma magia de Harry Potter poderia livrar esse game de ser um lixo completo.

Mova-se para bem longe

Se você foi um dos poucos azarados que, como eu, teve a infeliz ideia de comprar um PlayStation Move, deve ter sérias críticas à biblioteca de jogos compatíveis com o periférico. Afinal, desde que o controle foi lançado, pouco mais que algumas dezenas de jogos dando suporte a ele foram disponibilizados. Se você é daqueles que sempre tenta ver o copo meio cheio, pelo menos pode comemorar o fato de que pelo menos não precisou experimentar muitos jogos lixosos no PlayStation 3.

O que você está esperando
para comprar todos esses
grandes jogos?
Afinal, a lista de jogos feitos exclusivamente para tirar proveito do Playstation Move é patética e conta com “clássicos” como Beat Sketch!, Brunswick Pro Bowling, John Daly's ProStroke Golf, Sports Champions, Space Chimps 2: Zartog Strikes Back além do infame Kung Fu Rider, tido por muitos como um dos piores jogos já feitos e que bem poderia estrelar o seu próprio Blast from the Trash aqui no site. O único jogo com suporte ao PlayStation Move que me trouxe um mínimo de diversão foi o apenas legalzinho Sorcery, mas é realmente complicado recomendar essa aventura a qualquer jogador quando no mesmo console é possível jogar os fantásticos Skyrim e Dragon Age II.

A única recomendação que eu faço é que caso algum dia você sinta a menor vontade de experimentar ou comprar esse controle, mova essa ideia para bem longe.

Revisão: Vitor Tibério
Capa: Felipe Araujo

Escreve para o PlayStation Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook


  1. Pelo visto voce nao curte fps e provavelmente nunca jogou um killzone3, socom 4, resistance3 com uma sharp shooter. Lixo é essa matéria.

    ResponderExcluir
  2. É o seguinte: vivem dizendo que a Sony imita tudo da Nintendo, boa parte do que dizem é mentira. Descordo totalmente quando você diz que a Sony nunca soube fazer um controle.O DualShock é um clássico! A Sony e a Nintendo vivem em uma briga desde o tempo do PSOne. O PS Move "existia" desde 2004, quando Richard Marks, criador da Eye Toy, fez um vídeo caseiro com testes, em quem ele usava uma bola, como de ping pong, com uma cor bem forte, segurando na mão, aí tinha minis jogos como colocar a bola dentro de um círculo. Esse foi o início do Move, lembrando que o Wii seria lançado só em 2006. Quando demostraram o Remote Play que o Vita faz com o PS3, e fará com o PS4, fizeram um escândalo pois era como a tecnologia usada pelo Wii U, mas o que não sabem que existe uma patente da Sony mostrando o Remote Play, e olha que essa patente é de 2010. Além do mais podemos citar a Microsoft como uma empresa que quer pegar as ideias alheias e quer aprimorar, foi assim com o Zune, produto que ela queria concorrer com o iPod, foi assim com a Vision Camera, que pouco sabem da existência, que é uma imitação, descarada, da Eye Toy. Como a Sony já disse que foi um error deixar a Eye Toy só, pois não existia precisão, era muito limitado. Bem Thomas Schulze, eu recomendo você poupar seus comentários ácidos para alguém que tenha interesse. Se você entrou na GameBlast deveria se honrar e dá respeito ao leitores e as empresas.

    ResponderExcluir