Jogamos

Análise: Enfrente um jogo de trapaças repleto de ação e aventura para salvar a sua pele em Uncharted 2: Among Thieves (PS3)

“ Eu não contei nem metade do que vi, porque sabia que não acreditariam em mim...” - Marco Polo, em seu leito de morte, ano de 1324. E... (por Rodrigo Bitencourt em 02/08/2013, via PlayStation Blast)

Eu não contei nem metade do que vi, porque sabia que não acreditariam em mim...” - Marco Polo, em seu leito de morte, ano de 1324. E ele estava certo, você vai ter que ver, ou melhor, jogar para crer nos mistérios que a incrível aventura de Uncharted 2: Among Thieves traz até o seu PlayStation 3. O jogo é exclusivo para o console e foi desenvolvido pela sempre competente e surpreendente Naughty Dog. A desenvolvedora acerta de novo na sua aposta com a segunda parte da franquia, que mais tarde viria a se tornar uma trilogia e um clássico obrigatório para qualquer gamer que aprecie uma boa aventura. 

Ladrão que rouba ladrão tem 100 anos de perdão 

A história de Uncharted 2: Among Thieves começa um ano ou mais após os eventos de Uncharted: Drake’s Fortune. Nosso bom e velho conhecido de guerra Nathan Drake é convencido a se aventurar em mais uma caça ao tesouro pelo seu antigo parceiro de crime, Harry Flynn, e pela sensual Chloe Frazer, dona de um marcante sotaque britânico que deixaria até a Lara Croft com inveja. O objetivo é simples: achar a frota perdida de Marco Polo, passar a perna no contratante do serviço e ficar com qualquer objeto raro e valioso que possa ser encontrado, dividindo o lucro entre as três partes, claro. Mas nada é tão simples assim, ainda mais em um mundo repleto de ladrões.
"O que poderia dar errado? Ops, acho que falei cedo demais."
Com um forte elenco e enredo envolvente, Among Thieves é mais um daqueles jogos que prendem o jogador pela sua história. De maneira cativante, o roteiro é construído, atraindo a curiosidade e atenção dos amantes por uma boa narrativa no universo dos games. Você vai se encontrar inúmeras vezes tentando desvendar qual será a próxima reviravolta na jornada do nosso herói errante. Além dos novos personagens, também temos a volta de rostos conhecidos como o de Victor Sullivan, amigo e figura paterna de Drake, e da repórter Elena Fisher, ex-namorada de Nathan, ou “last year’s model” (modelo do ano passado), como ela mesmo se refere em sua primeira aparição no jogo.

O lado negro da força também não é fraco neste jogo. Zoran Lazarevic, um sérvio casca-grossa, criminoso de guerra e comandante militar procurado pela North Atlantic Treaty Organization (NATO), é o principal antagonista. Tá bom ou quer mais? Ele ainda tem metade do seu rosto e um dos braços marcados por um bombardeio, uma infeliz tentativa de assassinato promovida pela NATO. Marcas de guerra que agora ele carrega consigo para sempre. É, você tem que confessar que o cara é bem intimidante mesmo.

Preparar, apontar, explorar 

Assim como em seu antecessor, Among Thieves possui uma jogabilidade muito intuitiva, embora com uma maior liberdade. O jogo pode ser dividido entre três cenários: ação, exploração e puzzles. A ação inclui todos os momentos de tiroteio, quebra-quebra, explosões, correria, perseguição, mais tiroteio, mais explosão e um pouco mais de pancadaria. Os momentos de calmaria, apesar de existirem, vão ser raros, mas bem-vindos para uma melhor apreciação dos maravilhosos gráficos que desenham as paisagens de Uncharted 2. Aí entra a parte da exploração, que envolve as escaladas e os saltos impossíveis, quase circenses, do nosso protagonista. Finalmente, os puzzles, eles conseguem cumprir o seu papel durante o andamento do jogo, mas não são nada de outro mundo. Sempre acompanhado por um caderno de anotações de Drake, você pode conferir as dicas de como solucionar os quebra-cabeças a hora que quiser, o que vai facilitar e muito a sua vida.
Stealth é uma opção muito útil para os momentos de tensão. 
A jogabilidade, portanto, não apresenta grandes diferenças na evolução de um jogo para o outro. Claro, ela se tornou mais precisa, apesar de algum pulo ou outro apresentar uma complicação na hora de Nathan seguir a direção correta. A interatividade com o controle na hora de jogar uma granada ou ao se equilibrar em pontes e troncos de árvores, apresentada em Drake’s Fortune, foi eliminada. E o elemento stealth foi inserido, em uma das primeiras fases você é obrigado a ser mais discreto em suas ações, o que serve como uma espécie de tutorial para familiarizar o jogador com essa nova proposta. É uma opção que auxilia bastante, ainda mais em walktroughts com um nível maior de dificuldade, onde cada inimigo eliminado com discrição é uma pedra a menos no seu sapato.

Modo multiplayer 

Uma das maiores inovações do segundo jogo da franquia Uncharted é o multiplayer. Dessa vez não só é possível se divertir no modo campanha, como também reunir seus amigos para divertidas partidas online. No modo competitivo, dividido entre times de cinco contra cinco, as opções mais populares são o clássico Team Deathmatch, que consiste em uma corrida para ver quem chega ao número limite de mortes antes do time adversário, e o Plunder, uma espécie de caça ao tesouro, onde quem colecioná-lo cinco vezes primeiro ganha. Além disso, também temos um modo cooperativo, onde é possível reviver releituras de momentos épicos da campanha, tudo acompanhado por mais dois amigos online. É isso mesmo, você e sua dupla de amigos podem formar um trio contra o mundo, além de Drake, é possível jogar como Elena, Chloe ou até mesmo com Victor Sullivan. Ponto para a Naughty Dog.
Plunder é novidade para quem quer fugir do clássico "mata-mata". 
Na sua melhor fase, o multiplayer de Among Thieves ganhou bastante atenção dos desenvolvedores, com uma porção de atualizações, com DLC’s e até mesmo eventos especiais em datas como o Natal, onde todos os jogadores usavam toucas de Papai Noel e ganhavam o dobro de XP ao final de suas partidas. Mas, com a chegada de Uncharted 3: Drake’s Deception todas as atenções foram voltadas para o terceiro jogo da série. Apesar dos pesares, o multiplayer de Uncharted 2 não foi esquecido, o servidor ainda está lá, e você ainda pode encontrar alguns bons e velhos jogadores para uma partida clássica de "mata-mata" ou uma boa caça ao tesouro.

Ei, eu conheço essa voz de algum lugar 

Sim, você conhece sim. Nolan North, dublador e ator de captação de movimentos de Nathan Drake, é uma das, senão, a mais conhecida voz do universo dos games. Olha aí onde mais o cara já deu o ar de sua graça, quer dizer, o tom da sua voz: 
Desmond Miles na série Assassin’s Creed (PS3, Xbox 360, Wii U, PC) 
- Pinguim em Batman: Arkham City (PS3, Xbox 360, Wii U, PC) 
- O príncipe em Prince Of Persia (PS3, Xbox 360, PC) 
- O capitão Martin Walker em Spec Ops: The Line (PS3, Xbox 360, PC) 
- David em The Last Of Us (PS3)

Fim da linha 

Qualquer jogo da franquia Uncharted é uma experiência obrigatória para quem quer viver uma aventura com uma boa dose de humor e ação. Mas se eu tivesse que indicar um jogo da série como favorito, esse jogo seria Uncharted 2: Among Thieves. A Naughty Dog encontrou um caminho a seguir, consolidou a personalidade e estilo da franquia, além de conquistar um público fiel. Coisa que se torna cada vez mais difícil com a grande variedade de jogos e estilos disponíveis no mercado. É impossível não simpatizar com o protagonista, Nathan Drake, esse Indiana Jones moderno com um quê de Lara Croft, MacGyver e até mesmo um pouco de Don Juan, devido ao triângulo amoroso Elena-Nathan-Chloe. Ele é esse cara, que apesar de não pensar tão adiante assim durante a ação, sempre tem um plano, ou sorte mesmo, para se livrar das piores situações possíveis.
Um final feliz para Drake e para o PlayStation 3.
Entre explosões, tiroteios, saltos mortais, escaladas impossíveis, paisagens deslumbrantes, personagens carismáticos e uma trama emocionante, vai ser difícil manter o fôlego. A geração do PlayStation 3 inicia o seu fim abrindo as portas para o PlayStation 4, mas não sem ter grandes clássicos na sua biblioteca de games. E Uncharted 2: Among Thieves é definitivamente um desses clássicos.

Prós

* História com enredo envolvente
* Gráficos espetaculares
* Jogabilidade intuitiva
* Ótima atuação dos dubladores
* Modo multiplayer com cooperativo e competitivo

Contras 

* Linearidade, poderia apresentar mais liberdade de escolhas
* A câmera pode se tornar confusa em alguns saltos

Uncharted 2: Among Thieves - PS3 - Nota: 9.5 

Revisão: Jaime Ninice  
Capa: Stefano Genachi 

Rodrigo Bitencourt atualmente joga videogame para escrever e escreve para jogar videogame. Entre um checkpoint ou outro você pode encontrá-lo no Facebook, Twitter e MyPST.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook