Plug and Blast

PlayStation VR: tudo que você precisa saber sobre a realidade virtual da Sony

Chegou a hora de tirar todas as suas dúvidas sobre o novo acessório do PS4.



O PlayStation VR, acessório de realidade virtual do PlayStation 4, será lançado oficialmente amanhã, 13 de outubro, ao redor do mundo. Sendo um dos primeiros produtos do seu tipo, muita confusão permanece sobre as características do dispositivo e suas diferenças quando comparado ao seus concorrentes. Este texto busca esclarecer essas dúvidas o máximo possível.

Preço e conteúdo da caixa

Nos EUA, o pacote básico do PlayStation VR custa USD 399. Este pacote inclui o seguinte:
  • Headset PlayStation VR;
  • Fones de ouvido estéreo;
  • Cabo micro USB;
  • Cabo HDMI;
  • Unidade de processamento;
  • Cabo de extensão;
  • Adaptador AC e fio de tomada;
  • Disco de demonstrações.
Adicionalmente, há um pacote que inclui uma PlayStation Camera e dois controles PlayStation Move, que custa USD 499. A PlayStation Camera é necessária para o funcionamento do PSVR, mas os controles Move só são requeridos em alguns jogos.

Como configurá-lo

Todas as unidades de realidade virtual atuais requerem um esforço na hora de conectar tudo corretamente e fazer a mágica funcionar. Comparado ao Oculus Rift e ao HTC Vive, o PSVR é relativamente simples, mas ainda requer um tanto de atenção. A seguir são as conexões necessárias para o funcionamento do acessório:
  • PlayStation Camera conectada ao PlayStation 4 através da porta AUX;
  • Unidade de processamento conectada ao PS4 através das portas HDMI PS4 e micro USB;
  • (opcional) Unidade de processamento conectada à TV através da porta HDMI TV;
  • Unidade de processamento ligada na tomada com o fio e adaptador AC;
  • Headset conectado à unidade de processamento usando o cabo duplo HDMI/AUX (opcionalmente, o cabo de extensão pode ser usado);
  • Fone de ouvido conectado ao controle de som presente no cabo do headset (qualquer fone de ouvido estéreo com conector 3.5mm é compatível).

Unidade de processamento

Muitas perguntas foram feitas acerca da unidade de processamento do PSVR. Afinal, para que serve essa tal caixinha que parece um filhote de PS4? Suas funcionalidades são:
  • Replicação da imagem produzida pelo PS4 para ser reproduzida simultaneamente no PSVR e na TV;
  • Produção de áudio 3D para o headset;
  • Reprodução de vídeo na TV para a funcionalidade Social Screen;
  • Transmissão de dados de sensores de movimento do PSVR para o PS4;
  • Transmissão de áudio capturado pelo microfone do PSVR para o PS4;
  • Servir como fonte de energia do PSVR.

Características técnicas


O PlayStation VR conta com uma tela de 5.7" com resolução 1920x1080 RGB (ou seja, cada pixel contém subpixels verde, vermelho e azul). Essa resolução é dividida em duas partes de 960x1080, uma para cada olho. Isso torna o PSVR o headset comercial com a resolução mais baixa disponível — o Oculus Rift e o HTC Vive ambos contam com 1080x1200 para cada olho. Quando experimentei os três durante a E3, pude afirmar que essa diferença é notável, mas não é o algo que elimina a eficácia do PSVR. Sem dúvida, essa resolução foi escolhida devido à limitação de hardware do PS4; os outros headsets podem usufruir de PCs poderosíssimos.

Todos os jogos de PSVR devem obrigatoriamente rodar a um mínimo de 60 quadros por segundo — menos que isso é inviável para realidade virtual. Mesmo se o jogo roda nessa taxa de quadros, o PlayStation 4 irá interpolar a saída para 120 quadros por segundo (que é a taxa de atualização da tela), tornando a experiência mais agradável. A interpolação de quadros é feita calculando imagens intermediárias entre cada par de quadros.

Para captar os movimentos da cabeça do jogador, utiliza-se duas informações: dados dos sensores de movimento do headset (similares aos presentes no DualShock 4) e dados visuais captados pela PlayStation Camera. É por causa desses dados visuais que o headset é repleto de LEDs brilhantes e a câmera é parte essencial do produto. Todas essas informações são recebidas pelo PS4 em uma taxa de 1000Hz, para garantir a experiência mais fluída possível.

É importante lembrar que o PlayStation 4 Pro não é necessário para rodar nenhum jogo do PSVR. No entanto, é possível que alguns jogos possam rodar nativamente a 120 quadros por segundo no console mais parrudo, eliminando a necessidade de interpolação de quadros.

E os jogos?


Como para qualquer hardware de videogames, os jogos são fundamentais para o PlayStation VR. A Sony tem investido forte nesse quesito e, portanto, o PlayStation VR conta com uma biblioteca considerável no seu lançamento e vários títulos previstos para o futuro. Entre eles, alguns que se destacam são:
Uma lista completa pode ser conferida no PlayStation Blog.

A primeira geração de algo impressionante

Assim como todos os headsets de realidade virtual, o PSVR está em sua primeira geração e, portanto, dificilmente será o dispositivo perfeito para cumprir todos os seus objetivos. Se a tecnologia vingar e jogos continuarem sendo feitos para o PSVR e outros dispositivos, é certo que novas versões serão lançadas e, aos poucos, iremos conseguir um hardware ideal. Tudo indica que o PlayStation VR é um ótimo produto, mas esperar para ver seu futuro é uma posição perfeitamente racional.

Para saber mais sobre o PlayStation VR e outros dispositivos de realidade virtual, leia o dossiê sobre a tecnologia na Revista GameBlast Nº 19. Também ouça ao BlastCast #85, sobre a BGS 2016, no qual eu, a Ana Krishna Peixoto e o Alexandre Galvão compartilhamos nossas experiências com as demonstrações do PSVR usando o player abaixo:

Renan Greca Quando não está ocupado sendo diretor, redator, newsposter, podcaster e RP do PlayStation Blast, Renan Greca gosta de jogar videogames. Às vezes, lembra de focar em seu mestrado também.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook